Serra da Canastra, o berço da vida

A serra da Canastra tem este nome pois vista de longe, lembra um daqueles baús que os tropeiros levavam durante suas viagem pelas Minas Gerais. Vista de perto, porém, a Serra da Canastra mais se assemelha a um berço, um berço de vida. A começar pelo fato

  
  

A serra da Canastra tem este nome pois vista de longe, lembra um daqueles baús que os tropeiros levavam durante suas viagem pelas Minas Gerais. Vista de perto, porém, a Serra da Canastra mais se assemelha a um berço, um berço de vida. A começar pelo fato de que ali, nasce o maior rio totalmente brasileiro, o rio São Francisco, que tanta vida leva em suas águas, para tanta gente que vive em suas margens.

O Velho Chico nasce pequeno, quase imperceptível a mais de 1400 metros de altura. Primeiro um brejinho, alguns olhos d´água,, depois um pequeno regato e alguns metros adiante, já é um pequeno rio com alguns lambaris e direito à sua primeira ponte. Esta, de madeira bem rústica, mas que representa muito bem as dezenas de pontos que o cruzarão durante os seus mais de 3 mil quilômetros de extensão.

O São Francisco tem a sina de ser grande, após alguns quilômetros seguindo na direção sul, despenca estrondoso pela beirada do chapadão, formando a linda cachoeira da Casca d´Anta. Depois, como que ouvindo o apelo de nossos irmãos nordestinos, vira primeiro para o leste e logo depois definitivamente em direção ao norte do país. Como diz nosso amigo Luis Barcelos, o São Francisco leva alimento tanto para o corpo e como para a alma dos ribeirinhos, pois além do peixe, do transporte e da irrigação, o rio também faz parte da religiosidade e do credo do povo mineiro e nordestino.

Também chamei a Serra da Canastra de berço da vida pelo fato de ela renascer após cada queimada que a atinge. Mal o fogo se apaga e a natureza já mostra sinais de recuperação. Onde havia somente carvão hoje brotam centenas de flores, como os lírios, as sempre-vivas e as belas canelas de Ema. Junto com as flores, chegam também os pássaros que enchem de cor e canto todo o chapadão. São tantos que ornitólogos de todo o mundo vêm até aqui observar tanta beleza. E você não quer também conhecer um pouco deste berço da vida?

DICAS DE VIAGEM

Onde ficar:

São Roque de Minas é cidade mais próxima da entrada principal do parque. Existem várias pousadas das quais eu indico a Pousada Barcelos: Av. Vicente Picardi, 189 – Centro – São Roque de Minas, MG
Fones: (37) 3433-1216 ou (31) 3297-6017
Website: www.barcelos.tur.br
E-mail: pousada@barcelos.tur.br

Onde comer:

Restaurante Zagaia
Self- service e a la carte - Próximo a Igreja Matriz

São João Batista do Glória

  
  

Publicado por em