Valdívia - Final da expedição lagos Andinos

Saímos cedo desde Pucon (que cidade linda!) e percorremos os 120 quilômetros que nos separavam de Valdívia. A viagem foi pela rota 5, a autopista que corta o Chile de norte a sul.

  
  
Porto de Vldívia

Saímos cedo desde Pucon (que cidade linda!) e percorremos os 120 quilômetros que nos separavam de Valdívia. A viagem foi pela rota 5, a autopista que corta o Chile de norte a sul. Uma maravilha! Pista dupla, asfalto perfeito, boa sinalização e pedágio com preço justo. Esta estrada em conjunto com as estradas vicinais, muito bem cuidadas (tanto as de terra com as pavimentadas), tornam o Chile um país ideal para as viagens no estilo Fly & Drive, onde os turistas alugam um carro, reservam os hotéis e conhecem o país por conta própria.

Memórias do terremoto

Valdívia é uma cidade histórica. Ela foi uma base importante na colonização do sul do país e um enclave dentro das terras ocupadas pelo Mapuches, o povo nativo desta região. Mas não foi por isto que a cidade ficou conhecida mundialmente. Em 22 de maio de 1960, um grande terremoto atingiu a região, destruindo boa parte das casas e edifícios. Em seguida, três vulcões próximos entraram em erupção e um tsunami com ondas de 12 metros de altura subiu o rio Calle-calle e destruiu o que ainda estava em pé. Este foi o maior terremoto já registrado pela humanidade e atingiu 9,4 na escala Richter. Valdívia ficou arrasada e houve centenas de morto.

A cidade, no entanto, ressurgiu das cinzas e hoje é um centro universitário de excelência, além de um importante pólo turístico do sul do país. Um simpático mercado de frutos do mar funciona diariamente as margens do rio e atrai muitos visitantes. É uma grande oportunidade para se conhecer a fauna marinha da costa do Pacífico. Além dos peixes e frutos do mar, pode-se observar a margem do rio muitos lobos marinhos, cormoranes e pelicanos que vem se alimentar das sobras do mercado. Eles são assíduos visitantes deste verdadeiro restaurante ao ar livre. Do porto, próximo ao mercado, saem diariamente barcos turísticos que visitas os antigos fortes espanhóis e as cidades costeiras de Niebla e Corral.

Decidimos encerrar nossa expedição em Valdivia porque as águas de muitos lagos que visitamos deságuam no rio Calle-calle em seu caminho para o pacífico. Aqui também termina a rota dos Sete Lagos internacionais, que começa no lago Lacar em San Martin de Los Andes na Argentina e atravessa a cordilheira.

Nossa viagem foi curta, porém bastante intensa. Conhecemos lugares lindos, cenários cinematográficos e vivemos muitas aventuras. Nem tudo o que vimos pudemos mencionar neste diário, devido a limitação de tempo e espaço. Prometo que em breve faremos reportagens especificas sobre cada um destes destinos.

Viajamos cerca de mil quilômetros, uma boa parte dele trafegando por estradas de terra, todas elas muito bem conservadas. Durante a viagem margeamos 18 grandes lagos: Llanguihue, Todos os Santos, Rupanco, Puyehue, Espejo, Nahuel Huapi, Correntoso, Traful, Villarino, Falkner, Meliquina, Lacar, Pirihueico, Neltume, Panguipullim, Calafquen, Villarica e Caburga.

Avistamos os vulcões Osorno, Cabulco, Pontiagudo, Puyuhue, Casa Blanca, Tronador, Choshuenco, Lanin, Villarica, Llaima e Quetropillan.

Passamos pelas cidades de Puerto Montt, Puerto Varas, Peulla, Frutillar, Puerto Octay, Entre Rios, Villa la Angostura, San Martin de los Andes, Panguipulli, Coñaripe, Villarica, Pucon e Valdívia.

Quero aproveitar para agradecer o André Pereira da TGK que foi nosso companheiro nesta viagem. Sem ele esta expedição seria mais difícil e certamente menos divertida. Obrigadão André!

Espero que em breve vocês possam fazer esta viagem e conhecer por vocês mesmo esta região do Chile tão maravilhosa. Para saber mais sobre esta expedição visite o site da Família Goldschmidt (www.familiagold.com.br) ou veja os roteiros na agência de turismo Gold Trip – www.goldtrip.com.br

Peter e Erick Goldschmidt

Mercado de Valdívia
Frutos do Mar
Cuidado, Lobo Marinho!
Restaurante de Lobos Marinhos
André - Nosso companheiro de viagem
André, Peter e Erick
  
  

Publicado por em

Angela maria bermudes

Angela maria bermudes

14/10/2009 12:47:57
Gostei muito da reportagem. Conheço toda a região que vocês visitaram, e é realmente deslumbrante. Mas, Pucón em especial me encantou desde que pus os pés na cidade. Tem uma energia impossível de descrever, não sei se é pelo vulcão ativo, pelas águas límpidas dos lagos e rios, pela natureza, enfim. É um paraíso, longe da agitação das grandes cidades, da poluição, da violência. Acabei comprando um terreno lá, construindo um pequeno hotel, e estando próximo da minha aposentadoria no Brasil, pretendo mudar-me para Pucón, definitivamente. Conhecer o Chile, e em especial a cidade de Pucón, acabou transformando a minha vida, de uma maneira muito inesperada. Meu "hostal" fica em frente ao terminal de ônibus da empresa TUR BUS e se chama HOSTAL PUCON SUR. Espero que muitos brasileiros se interessem por conhecer esse país "hermano" tão lindo e de povo tão agradável.

Paula Colin

Paula Colin

07/10/2009 18:31:05
Essa cidade é muito gostosa também adoreiii tudo isso que a Familia Goldschmidt narrou revivi uma das minha melhoras viagem adoreiii
bjoss a todos