VIAJE COMIGO 24 | TURQUIA - KUSADASE

A riqueza arqueológica da Turquia me impressiona dia a dia.

  
  

Sabe aquelas cidades antigas citadas na Bíblia e nos livros de história que você sempre imaginou como seriam, mas nunca pensou que as conheceria? Pois é, muitas delas estão aqui na Turquia. Vamos conheça-las?

Éfeso
Citada várias vezes no Novo Testamento e a quem Paulo dedicou uma de suas epistolas (Carta aos Efésios). As ruínas desta antiga cidade ficam a apenas alguns quilômetros de Kusadase, um importante porto de comércio e de cruzeiros.
Esta cidade greco-romana foi uma das maiores e mais importantes do mundo antigo. As ruínas estão bem conservadas e cheias de curiosidades. Ali foi encontrada uma imagem da deusa Nike, a deusa da vitória, que inspirou o nome desta famosa marca de produtos esportivos. Éfesos foi um importante porto comercial e aqui viveram grandes filósofos e pensadores. A fachada de sua biblioteca ainda está de pé e é um dos cartões postais da cidade. O teatro também impressiona pela sua grandiosidade, pois foi um dos maiores da sua época com capacidade para mais de 25 mil pessoas. As arquibancadas ficavam de frente para o mercado, o porto e o mar. Interessante é que nos últimos dois mil anos, toda a região do porto foi assoreada e o mar recuou cerca de oito quilômetros. A perda do acesso fácil ao mar Egeu contribuiu para declínio da cidade no século VIII.

Próximo dali vale a pena visitar dois importantes marcos do cristianismo. Um deles é a casa onde, segundo a tradição, morou Maria, mãe de Jesus. Na verdade a casa mais parece uma pequena capela, com uma grande imagem de Maria e vários desenhos e relíquias.

Um outro atrativo interessante, são as ruínas da Basílica de São João. Foi nesta região que o apóstolo de Jesus passou seus últimos anos, depois da sua prisão na ilha de Patmos (aqui perto). Seu corpo foi enterrado sob uma imensa igreja construída em sua homenagem. A igreja está em ruínas, mas vale uma visita.

Pergamo
Ao norte de Kusadase, encontramos outros sítios arqueológicos importantes. Um deles é a cidade de Pérgamo, uma das sete cidades (igrejas) citadas pelo apóstolo João no livro de apocalipse (Bíblia). Esta cidade foi também conhecida porque possuía a segunda maior biblioteca do mundo antigo, com mais de 200 mil volumes. Ela só perdia para a Biblioteca de Alexandria. Por causa desta disputa, o Egito restringia o envio de papiros para Pergamo. Por causa disto, os habitantes da cidade desenvolveram um novo tipo de material onde poderiam escrever seus livros. Este novo material era feito com a pele das cabras curtida e foi batizado de Pergaminho. Por ser mais resistente e durável, o novo “papel” logo ganhou fama e mercado. Na cidade de Bergama (Pérgamo), existem alguns lugares onde se podem comprar pergaminhos.Visitamos uma loja chamada Pergamon Parchment onde, além de comprar quadros decorados, pudemos assistir a um mini-show. O dono, senhor Macit, tocou para nós uma música no Alaúde, um instrumento medieval.

Perto de Pergamo também visitamos as ruínas do Santuário de Esculápio, o deus grego da cura. Para o seu templo eram trazidos doentes que ficavam deitados e dormiam o mais que podiam. A crença era que Esculápio os curava durante o sono ou enviava mensagens de como determinada doença poderia ser vencida. Os templos de Esculápio deram origem aos atuais hospitais, aonde as pessoas também chegam para serem curadas. O símbolo de Esculápio, uma serpente enrolada em um bastão, ainda é usado como símbolo de cura e pode ser encontrada na bandeira da Organização Mundial de Saúde.

Cavalo de Tróia
Até pouco tempo atrás sua existência era apenas um mito. Somente no final do século IX, com a descoberta do sítio arqueológico de Tróia é que esta cidade, imortalizada por Homero no clássico Ilíadas, ganhou contornos de realidade. No livro, Tróia foi o palco de uma lendária batalha contra os gregos, depois que um dos seus príncipes raptou Helena, esposa de Menelau, rei de Esparta. O nome Ilíadas vem do nome grego para Tróia, Ilios.

As ruínas não são muito grandes e ainda há muito que ser escavado. Na verdade, no sítio arqueológico há vestígios de nove cidades de Tróia, uma construída sobre a outra. O estrato mais antigo remonta a 2.500 a.C. e o mais recente ao Império Romano.
Terminamos aqui nossa viagem pela Turquia, este fantástico país. Um outro mundo, uma outra cultura, uma mistura de civilizações, raças, religiões e histórias.
Levo da Turquia lindos presentes, mas principalmente boas memórias, ótimas experiências e muitos amigos, espero voltar em breve.
Se quiser conhecer a Turquia e ver tudo com seus próprios olhos, entre em contato conosco através do site da Gold Trip (www.goldtrip.com.br). Até breve!

Güle-güle Türkiye!

Peter Goldschmidt
www.familiagold.com.br // www.goldtrip.com.br

  • Este post se refere a viagem feita pela Família Goldschmidt a Turquia em Abril/11

Quer viajar? Veja algumas dicas

  • Em geral as pessoa são educadas, gentis e muito hospitaleiras. Os turcos também são ótimos negociantes, sempre abertos a uma boa pechincha. Gostam de fazer um bom negócio, mas se você não compra nada, eles continuam sorrindo e lhe tratando bem. Sempre simpáticos. Apesar de a língua turca ser um pouco complicada para nós, conseguimos nos comunicar bem através do inglês, do espanhol e da mímica universal.
  • A comida é um pouco mais temperada que a do Brasil, mas muita variada e saborosa. Usam muitos temperos diferentes e exóticos. Eles também são loucos por Iogurte. Ele aparece nas refeições de várias formas e tem até uma bebida feita com ele: o Ayran. É uma bebida que mistura doce com salgado. Eu não gostei muito, mas eles adoram. Os doces são saborosos e variados. Procure provar a “Delicia Turca” uma espécie de goma com açúcar. O sabor faz jus ao nome. Prove de tudo, experimente! Afinal, conhecer um país é também conhecer os seus sabores.
  • As estradas são em geral de boa qualidade. Encontrei muitas rodovias em obras nos quase três mil quilômetros que rodamos pelo país. Há bons postos de serviços e muitos policiais nas estradas. A polícia é séria e confiável, o único problema para nós brasileiros é o idioma. O combustível é caro, cerca de R$ 3,50 o litro (Abril/11).
  • A alta temporada para turismo na Turquia começa em Abril e vai até Novembro. Dentro destes meses, o maior pico é entre Junho a Agosto, também os meses mais quentes.

Em alguns lugares a temperatura chega fácil aos 45 graus. No inverno também é possível viajar suas vantagens são: Tem menos turistas, é mais barato e a neve dá um toque especial na paisagem.

  • A moeda é a Lira Turca, que hoje (Abril/11) tem um valor 10% menor que o Real. Os preços em geral são mais baixos que o Brasil. Posso dizer em média de 30% mais baixos. O artesanato é rico e variado.

Da vontade de levar tudo. Em geral é mais barato fora de Istambul onde você consegue negociar melhor. Cada região tem o seu próprio artesanato então, vale a pena ir comprando aos poucos.

Fonte: http://www.goldtrip.com.br/viaje-comigo-turquia-kusadase/

  
  

Publicado por em