VIAJE COMIGO 25 | CANADA - COSTA OESTE

O Canadá é um país fantástico

  
  

Sua vasta extensão, suas belezas naturais, seus simpáticos habitantes, tudo colabora para nos apaixonarmos por este lugar. Em nossa viagem por este país, tivemos a oportunidade de conhecer parte da Costa Oeste onde encontramos cidades belíssimas e vários parques nacionais, tudo ligado por uma boa rede viária e ferroviária.

Victoria
Nossa viagem começa pela cidade de Victoria, a capital do estado de British Columbia. Victoria é considerada a mais “inglesa” das cidades canadenses, pois preserva muito da arquitetura e dos costumes trazidos pelos colonizadores. Seu mais famoso hotel, o Empress, serve diariamente (e pontualmente) o tradicional chá das cinco, com toda a pompa e circunstância. A cidade é repleta de praças e jardins e muitos dos seus edifícios tem arquitetura no estilo vitoriano, lembrando muito a capital inglesa. Apesar do ar londrino, Victoria também tem seu lado moderno, representado por lojas de grife, bons restaurantes, um museu de cera, o National Geografic Teather (Imax) e o Royal British Columbia Museum. Certamente o ponto mais charmoso e visitado na cidade é a região do porto (Inner Harbor), cercado de restaurantes, lojas e hotéis. Ali chegam diariamente pequenos hidroaviões que trazem turistas desde Vancouver (1 hora de vôo) e de onde parte os passeios para observação da vida selvagem, como lobos marinhos e baleias orcas. Estas últimas podem ser avistadas a poucos quilômetros da cidade (entre o período de Maio a Outubro). Outro local muito procurado é o Butchart Garden. Trata-se de um jardim criado há dezenas de anos sobre uma pedreira abandonada e que se transformou num exemplo de dedicação e amor a natureza. Um exército de jardineiros mantém este parque sempre florido e bem cuidado para receber os mais de 1,5 milhões de pessoa que o visitam anualmente.

Vancouver
Vancouver é a maior cidade do estado e um forte pólo econômico e turístico. Passeando por suas ruas não é difícil entender porque está cidade foi eleita como uma das melhores do mundo para se viver. Para isto contribuem sua geografia, clima e estrutura. Vancouver é banhada pela águas do Oceano Pacífico, mas é protegida dos fortes ventos e marés por uma série de ilhas e canais. A proximidade do mar, assim como de grandes montanhas tornam seu clima ameno. A cidade é quase toda plana, o que facilita a locomoção e tem muitas aéreas verdes e opções de lazer. Tudo bem organizado, bem sinalizado e de fácil acesso. Vancouver consegue equilibrar com muito sucesso os confortos da vida urbana com um contato direto com a natureza. Possui muitos parques, sendo que o maior deles é o Stanley Park, uma península verde ao lado do centro da cidade. Neste parque podem-se praticar diversos esportes como caminhada, bicicleta, remos e vela. Ali encontramos também o aquário de Vancouver, cuja principal atração são as baleias Belugas, mamíferos típicos da região do ártico com a pele totalmente branca.

Quase nunca neva em Vancouver, mas nas montanhas próximas existem três boas pistas de esqui. A mais próxima delas, Grouse Mountain, está a apenas 20 minutos do centro da cidade e pode ser acessada através de um bondinho. Lá em cima, existe uma estrutura turística completa que funciona durante o ano inteiro. No caminho para as estações de esqui, uma boa opção de parada é Capilano Bridge. Está reserva privada de fauna e flora preserva antigos exemplares de ciprestes, alguns com dezenas de metros de altura. O rio Capilano corta a floresta formando um profundo cânion que pode ser atravessado através de uma ponte suspensa construída há mais de cem anos. O centro da cidade (Downtown) é um dos lugares mais visitados de Vancouver e certamente onde se concentram o maior número de atrativos. Sugiro visitar a região de Gastown, onde a cidade foi fundada e reduto da colônia chinesa, Chinatown. Outro lugar interessante é o Waterfront de onde partem os cruzeiros para o Alasca. Possui um centro de convenções, shopping, cinema Imax e uma linda vista para as montanhas. O centro comercial fica ao redor de Robson Street, que junto com a Burrard Street, forma um corredor de lojas que atendem a todos os gostos e bolsos. Um dos pontos mais badalados da cidade é a Granville Island, uma pequena ilha ao sul do Downtown transformada em um centro de compras com mercados, lojas de artesanatos e muitos bares e restaurantes.

Montanhas Rochosas
Existem várias opções para ir de Vancouver as Montanhas Rochosas, a região turística mais famosa da costa oeste. Pode-se ir de avião (1h), de carro (cerca de 15hs) ou de trem. Nós escolhemos esta última e embarcamos no trem conhecido como The Canadian. Nosso objetivo era chegar à cidade de Jasper, a 900 quilômetros de distância em uma viagem de 20 horas. Apesar de ter sido construído há mais de 50 anos, o trem é mantido em excelente estado de conservação. Suas poltronas, cabines e dormitórios são super confortáveis e além dos vagões de passageiros, existe um vagão restaurante e um panorâmico com o teto todo em vidro. O serviço de bordo também merece destaque. Boa parte do percurso atravessa as Rochosas Canadenses, com uma visão privilegiada de bosques selvagem, montanhas nevadas e vários lagos.

Percorrer as montanhas Rochosas Canadense é uma aventura que recomendo a todos que amam a natureza. As excelentes estradas seguem por vales escavados há milênios pelo gelo. As montanhas são altas e imponentes, salpicadas por glaciares e rodeadas por bosques nativos. Os lagos, com diversos tons de azul estão por toda parte, sempre acompanhados de altas cachoeiras ou plácidos riachos. O caminho natural a ser percorrido liga a cidade de Jasper, ao norte das rochosas, a Banff, no sul. No percurso é importante percorrer a Icefield Parkway, considerada a rodovia mais linda do mundo. Dentre as incontáveis belezas deste caminho tenho que destacar duas: a primeira é o campo de gelo conhecido com Columbia Icefields que dá origem a dezenas de glaciares. O mais famoso deles é o Attabasca, uma “língua” de gelo que desce das montanhas em direção ao vale. Durante o verão, um caminhão especial com 6 rodas gigantescas leva os visitantes até o meio do glaciar para um contato direto com o gelo milenar. O outro destaque é para o Peyto Lake, cujas águas azuis criam um contraste impressionante com as altíssimas montanhas que o cercam. Um lugar maravilhoso!

No extremo norte da Icefield Parkway fica a cidade de Jasper, com apenas quatro mil habitantes. É muito procurada durante o verão pelas suas trilhas e durante o inverno pela sua estação de esqui. Seu principal atrativo é o Maligne Lake, que não combina com o seu nome. É um lindo lago, plácido e cujas águas azul-turquesa impressionam a qualquer visitante. No outro extremo da rodovia está um dos destinos mais famosos desta região, o Lake Louise. Descoberto em 1882, este imenso lago está encerrado entre duas grandes montanhas rochosas de paredes quase verticais. Suas águas azuis têm origem em seis glaciares que estão em um dos extremos do lago. Todos os anos milhares de pessoas vêm até aqui para conferir sua beleza ou para percorrer alguma das dezenas de trilhas que avançam em direção das montanhas e de outros lagos. Durante o inverno, o lago congela totalmente, permitindo várias atividades sobre sua superfície como patinação, caminhada com sapatos de neve e até um passeio de charrete com esquis. Nas margens do lago está o imenso e requintado Chateau Lake Louise pertencente à rede de hotéis Fairmont. Um sonho de hotel que recebe turistas há mais de cem anos.
Não podemos deixar as Rochosas sem falar de Banff, a mais famosa de todas as cidades da região. Fundada a mais de cem anos sobre as margens do rio Bow, está localizada dentro de um parque nacional. A cidade é linda, com ruas largas, boas opções de lojas e restaurantes, além de muitos hotéis. Devido à proximidade com a floresta, é muito comum encontrar alces, veados e caribús pastando nos jardins das casas e nos canteiros nas ruas. Às vezes até ursos e raposas aparecem por aqui. O lugar ideal para ver animais selvagens na região é nas proximidades do lago Minewanka, um imenso e maravilhoso espelho d’água próximo a cidade. Outro passeio interessante é subir de gôndola até o alto da Sulpher Mountain. Do seu cume, com quase dois mil metros de altura se tem uma vista impressionante dos vales e lagos próximos.

Como você pode ver, toda acosta oeste do Canadá oferece atrativos para todos os tipos de visitantes. Recomendo visitar a região com calma e tempo, para aproveitar toda a sua beleza. Vancouver e Victoria podem ser visitadas durante todo o ano, sem restrições. Para percorrer as Rochosas de carro, sugiro ir entre Maio e Outubro, quando os lagos estão descongelados e a estrada livre da neve. Se for viajar no inverno, aproveite as estações de esqui em Banff, Lake Louise e Jasper. Boa viagem!

Peter Goldschmidt

Fonte: http://www.goldtrip.com.br/viaje-comigo-canada-costa-oeste/

  
  

Publicado por em

Regeane

Regeane

18/08/2012 16:26:46
Ola sera que se eu for em dezembro verei os lagos ??? Ou tudo congelado. E os passeios nas geleiras??? Penso em ver a aurora boreal e conhecer a costa oeste, porem me preocupo por ser inverno...

Abraços

Família Goldschmidt

Família Goldschmidt

Em dezembro os lagos estarão congelados. As geleiras e Aurora Boreal existe uma grande possibilidade, mas não podemos garantir já que se trata de um fenomeno natural. Existe também boas estações de esqui por lá.
Gilmara

Gilmara

30/03/2012 13:18:09
Nossa adorei tudo que li até agora, já estou no terceiro texto, mas preciso descobrir uma cidade no meio do caminho ( uns 700kms depois de quebec , em direção a Washington)p fazer uma parada e no dia seguir p washington. Vc sabe me dizer ?

Família Goldschmidt

Família Goldschmidt

New York (EUA) fica cerca de 830km de Quebec, passando por Montreal.