VIAJE COMIGO 26 | CANADA - COSTA LESTE

Toda viagem ao Canadá deve, em minha opinião, começar ou terminar por Toronto, a maior cidade do país, com mais de dois milhões de habitantes.

  
  

Localizada às margens do lago Ontário, Toronto é uma cidade plana, bem organizada e que oferece ao visitante um grande número de atrações para todos os gostos e bolsos.

Não há como não se maravilhar diante da CN Tower, uma estrutura de 553 metros de altura que se ergue em meio à cidade. Lá em cima um restaurante giratório oferece uma visão privilegiada de toda Downtown (centro) e do lago Ontário a seus pés. Um piso de vidro ultra-resistente permite o visitante caminhar (sem risco) sobre o vazio abaixo da torre. Caminhar pelo centro é fácil e muito divertido. Há varias praças, museus e vários edifícios de arquitetura arrojada. O bairro chinês, Chinatown, com suas cores e aromas é um espetáculo à parte. Vale uma visita. Outro bom passeio é tomar um barco para a Toronto Park Island, uma gigantesca área verde em uma ilha bem em frente à cidade. É a melhor vista que se pode ter dos edifícios do centro. Toronto é também um grande lugar para compras com preços muito parecidos aos encontrados nos EUA. As melhores lojas ficam próximas às ruas Yongue e Dundas. É ali perto que está o mais famoso shopping da cidade, o Eaton Centre. Outra opção também são os shoppings subterrâneos. Devido ao intenso inverno, Toronto construiu mais de 25 quilômetros de galerias subterrâneas, interligadas e com vários níveis. É como um shopping infinito, onde é muito fácil perder a noção do tempo e da direção. Um paraíso para as mulheres e um inferno para os donos dos cartões de créditos.
Um passeio imperdível é visitar as Cataratas do Niagara (Niagara falls). Situada a 130 quilômetros do centro, este complexo turístico impressiona qualquer um. Primeira pelas duas grandes cachoeiras que derramam um gigantesco volume de água. Uma delas, em forma de ferradura é a mais impressionante e é possível caminhar até uma de suas extremidades ou descer por um túnel escavado na rocha até sua base. As cachoeiras ficam na divisa do Canadá com os Estados Unidos. Para quem tem visto de entrada é uma grande oportunidade de visitar o país vizinho. Ao redor das cataratas, foi construído um grande complexo turístico com hotéis, restaurantes, grandes torres de observação, parque de diversões e cassinos. Se puder, passe um dia e uma noite na cidade para aproveitar todas as suas opções de lazer e ver as cataratas iluminadas. A região de Niagara falls é também uma grande produtora de vinhos. Vale à pena conhecer uma das cem vinícolas artesanais e talvez provar o Ice Wine, o vinho feito a partir de uvas congeladas naturalmente. Cidades como St. Catharine e Niagara-on-the-lake devem fazer parte do seu roteiro.

Kingston
Para quem deseja estender a visita ao Canadá pelas Costa Leste, a próxima parada pode Kingston (a duas horas de Toronto), uma linda cidade localizada exatamente onde o lago Ontário forma o rio San Laurence. Kingston é uma cidade histórica, fundada no século XVII como um forte militar e que passou por várias fases, inclusive servindo como capital provisória (1841 a 1844) do então recém-criado Canadá. Hoje a cidade é conhecida por duas razões. Uma delas é o Forte Henry, remanescente da guerra de 1812 e porta de entrada do Canal Rideau, uma passagem fluvial para o interior da província. Outro atrativo importante da região é o arquipélago fluvial Thousand Islands (mil ilhas). Este conjunto de ilhas fica sobre o rio San Laurence, que marca a fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos. Na verdade são 1.793 ilhas divididas entre os dois países, algumas com apenas poucos metros de terra firme. Está região se estende por quase 80 quilômetros rio abaixo a partir de Kingston e é uma concorrida aérea de lazer durante os meses de verão. Sobre as ilhas foram construídas residências, marinas e até castelos. Grandes navios também trafegam pela região, vindos dos portos de Toronto e de cidades americanas em direção ao Atlântico.

Ottawa
A capital do país, fica às margens do rio Ottawa, que divide as províncias de Ontário e Quebec. O rio também divide a cidade em duas. De um lado esta a capital Ottawa, mas basta atravessar uma ponte e a cidade muda de nome e para Gatineau. Apesar de estarem em províncias diferentes e de terem diferentes governantes, ambas fazem parte da Região da grande Capital e compartilham entre si vários serviços como transporte e limpeza. A melhor maneira de conhecer a cidade é a pé. Um bom roteiro pode começar com um café da manhã no mercado Byward, na parte mais antiga da cidade conhecida como Lower Town. É uma área repleta de lojas, restaurantes, café e bistrôs. Depois, siga caminhando para a Avenida Rideau e em seguida em direção a Avenida Wellington. Quando estiver sobre a ponte observe o fabuloso castelo do hotel Fairmont e o canal Rideau mais abaixo. Este canal foi construído no principio do século XIX com propósito militar. A idéia foi criar uma via fluvial que ligasse vários rios e permitisse o transporte de tropas e suprimento. Ele tem mais de 200 quilômetros de extensão e é usado até hoje. Sob a ponte ainda pode-se ver algumas de suas eclusas. Uma obra de engenharia espetacular.
Ao deixar a ponte, visite o monumento aos heróis canadenses de todas as guerras e comece a fotografar os edifícios coloniais e o Parlamento. Este complexo de edifícios governamentais forma um dos mais famosos cartões postais da cidade. Em frente ao prédio do Parlamento, no meio da praça existe um monumento em homenagem a Confederação do Canadá. De forma circular, nele está gravado os brasões de todas as províncias e as datas de quando se uniram ao Canadá. Do centro do monumento jorra uma cortina de água e sobre está, queima uma chama que foi acesa pelo então primeiro ministro Pierce em 1967. Siga em direção ao Parlamento, veja sua impressionante torre e dê uma volta completa no prédio. Na parte de trás você encontrará o lugar ideal para fotografar o rio Ottawa e suas pontes. Se puder faça um tour guiado ao Parlamento ou uma visita a biblioteca. Siga então pela Avenida Wellington através do centro financeiro em direção oeste observando o contraste entre os edifícios moderno e os prédios e igrejas centenárias. No final da avenida você encontrará o parque Le Breton e o interessante Museu da Guerra (War Museum). Atravesse então a ponte Portage ou a Ponte Chaudieres (mais adiante) parando sempre para observar e fotografar a colina do Parlamento. Quando você terminar de atravessar a ponte, você já estará na cidade de Gatineau na província de Quebec. Caminhe pela Avenida Laurier em direção oeste até encontrar o Museu das Civilizações no parque Jacques Cartier. Situado em um bonito prédio da arquitetura arrojada, o museu conta a história do Canadá desde seus primeiros habitantes até os dias modernos. As replicas de cidades em tamanho natural impressionam qualquer um. Também existem salas com mostras temporárias e um cinema Imax. Depois desta parada cultural, continue a caminhada através da ponte metálica Alexandra, erguida em 1901. Através dela você retorna a Ottawa a tempo de almoçar (ou jantar) na região do mercado Byward na Lower City.

Montreal
Montreal é uma cidade especial, pois consegue misturar com equilíbrio o lado moderno de uma grande metrópole com a sua herança histórica. O centro é repleto de grandes e modernos edifícios, enquanto a região do porto reúne prédios e igrejas com mais de 200 anos de idade. Montreal é a segunda maior cidade do Canadá e considerada a capital cultural do país. A presença de muitos imigrantes, de várias partes do mundo certamente contribuiu para isto. Existem também muitas áreas verdes e parques. O maior deles é o Mont Royal, uma colina coberta de floresta bem no centro da cidade de onde se tem a mais bela vista de toda Montreal. Um atrativo muito especial que deve constar em qualquer itinerário é o Parque Olímpico, cujo maior atrativo é o estádio principal, construído especialmente para os Jogos de 1976. Sua torre inclinada se eleva a mais de 70 metros de altura. Uma estrutura construída há mais de 30 anos e que ainda impressiona pela sua beleza e estilo. No parque existem duas atrações que merecem uma visita. O Insetarium e o Biodome. Este último reúne em um gigantesco pavilhão, a reprodução de vários ecossistemas que vão desde um deserto até uma floresta tropical. Em cada um deles você verá plantas e animais típicos de cada região.
Montreal tem um clima muito variável, com verões quentes e invernos muito, mas muito frios. A temperatura média no auge do inverno é de 26 graus negativos. Mas isto não significa que os habitantes de Montreal passem frio. A cidade possui um verdadeiro labirinto de shoppings e centros de serviços ligados por um emaranhado de passagens e pelo metrô. Só na região de Downtown (centro) existem sete shoppings subterrâneos interligados entre si somando mais de 2 mil lojas. A estação de trem da cidade também é subterrânea e está debaixo do hotel Queen Elizabeth (Fairmont). É possível tomar um trem aqui e em menos de 4 horas desembarcar no centro de Toronto (sem passar frio ou pisar na neve). Impressionante! O próprio metrô de Montreal é uma atração turística. Cada estação foi decorada em um estilo diferente e muitas delas possuem áreas de exposições com estátuas e obras de arte. Vale à pena fazer um turismo subterrâneo pela cidade. Não é a toa que o animal típico do Canadá é o Castor, que trabalha e vive abaixo da superfície.
Para quem tiver um pouco mais de tempo, vale à pena passar um dia na estação de esqui de Mont Tremblant. A vila é tão bonita que, mesmo durante o verão quando não há neve, vale à pena passear por suas ruas repletas de lojas e restaurantes. Construída no estilo europeu, com terraços e telhados coloridos, Mont Tremblant mais parece uma cidade de brinquedo.

Quebec
Quebec é a cidade mais diferente que encontramos no Canadá. Um dos fatores é a língua usada pela população e considerada a língua oficial da cidade, o francês. Quase toda a população tem este idioma com língua-mãe e em muitos lugares as pessoas não sabem nem falar o inglês. Nem parecia o Canadá. Todas as placas e informações turísticas são em francês e há poucas referências em outra língua. Apesar disto, nos viramos muito bem com nosso inglês. As pessoas são muito solícitas, simpáticas e atendem muito bem ao visitante.

A arquitetura da cidade também sofreu a influencia da colonização francesa. O centro antigo parece uma cidade européia. Belos edifícios, cafés, ruas impecáveis e muito verde são características da velha Quebec, onde nasceu a cidade. Toda esta região está delimitada por grandes muros e portões no século XVIII. Dentro da cidade murada, além das charmosas ruas, alguns edifícios chamam a atenção do visitante. O mais importante, bonito e famoso é o Chateau Frontenac, um castelo construído defronte ao rio San Laurence (que aqui se chama Sant Laurent). Foi neste castelo que entre 1943-1944 o então primeiro ministro inglês Winston Churchill, o presidente americano Theodore Roosevelt e os demais aliados se reuniram e decidiram os planos finais para a invasão da Europa, o famoso Dia D. Hoje o castelo é um hotel que pode ser visitado sem agendamento. À noite, o castelo fica todo iluminado. Um espetáculo! Outro lugar interessante é a Fortaleza ( Cidadel ), situada em um dos extremos da cidade antiga, cercada por um lindo parque chamado Parc des Champes-de-Batalle. Estrategicamente localizado entre o rio e a cidade, este forte foi responsável pela defesa do território contra os ataques ingleses durante décadas. Vale à pena gastar suas horas visitando a parte alta e baixa cidade antiga. Os dois níveis da cidade são ligados por escadas e um furnicular (bondinho). Uma dica: preste atenção nos enormes painéis pintados nas laterais dos prédios que misturam motivos modernos e históricos. Se você tiver mais dias par conhecer Quebec, sugiro conhecer também os seguintes lugares:

  • Cascata Mont Morecy – Uma fantástica cascata de 60 metros de altura inserida em um parque com boa estrutura turística. Pode-se fotografar a cascata praticamente de todas as direções, inclusive de cima, desde uma ponte suspensa. Fantástico!
  • Cânion Sta Anne – Situado a 26 quilômetros depois da Cascata Mont Morecy, este cânion de 60 metros possui várias cachoeiras. Pode ser visitado através de uma trilha e três pontes suspensas. Acessível a todas as pessoas.
  • Ilha de Orleans – Região de fazendas, venda de produtos da região e linda vista do rio.
  • Observação de baleias – Os passeios saem diariamente desde Quebec. As baleias podem ser avistadas entre Maio e Outubro ao norte do rio San Laurence.

Em Quebec terminamos nossa visita a Costa Leste canadense. Existem, porém muito mais para se conhecer e visitar. Tudo depende de tempo, orçamento e época do ano. De qualquer maneira, estes destinos mencionados são um bom começo. Faça suas malas e boa viagem!

Peter Goldschmidt

  • Peter Goldschmidt é membro da Família Goldschmidt que desde 1999 viaja pelo mundo descobrindo e divulgando novos roteiros turísticos. É também diretor da agência de turismo Gold Trip. Para ler todos os diários desta e de outras viagens visite este endereço:

http://www.goldtrip.com.br/portal/blog-da-familia

Fonte: http://www.goldtrip.com.br/viaje-comigo-canada-costa-leste/

  
  

Publicado por em