Caminhada ao Pico da Bandeira – 2

Depois de algumas horas de sono leve, o Josias nos acordou às 2 da manhã para continuar a caminhada. Na escuridão ele parecia um fantasma. Eu falava com ele e ele não estava ali. Depois de poucos segundos quando eu me virava, ele já tinha voltado. Levando

  
  

Depois de algumas horas de sono leve, o Josias nos acordou às 2 da manhã para continuar a caminhada. Na escuridão ele parecia um fantasma. Eu falava com ele e ele não estava ali. Depois de poucos segundos quando eu me virava, ele já tinha voltado. Levando em conta a escuridão, este ‘aparece-e-some’ pode fazer mal ao coração. A chuva havia ido embora e no seu lugar apareceu um céu fantástico, repleto de estrelas, com a Via Láctea bem no alto. No meio da escuridão e por entre as muitas pedras que forram a trilha, subimos mais 3 quilômetros até a base do Pico. Nesta altura, tivemos que deixar as mulas e parte do equipamento e seguir morro acima carregando nosso material. A trilha, de íngreme se tornou MUITO mais íngreme, e nós 7 subíamos nos apoiando nas pedras (além do Josias, estavam subindo conosco o Rodrigo e a Gis). Quando faltavam apenas 500 metros para se chegar ao pico, a Ingrid chegou ao seu limite. Foi uma choradeira só. Depois de muita insistência (e um pouco de coação) conseguimos levá-la até o topo, mesmo que tendo que carregá-la nos últimos metros. Eu digo e hoje a Ingrid concorda: Valeu a pena! Chegamos justo antes do nascer do sol. De cima do pico, tem-se uma visão de 360 graus e de lá se pode avistar os dois estados. O Espírito Santo, do lado do nascente, estava coberto de nuvens baixas, o que deixou o nascer do sol mais vermelho e mais bonito. Diante de tanta beleza, eu e a Sandra ficamos abraçadinhos (para enfrentar o frio) contemplando o astro rei, enquanto nosso dois pimpolhos se entregavam a um merecido sono no topo do mundo (ou do Brasil, ou pelo menos do sudeste).
Mais tarde, depois de uma pequena soneca (também sou gente, viu?), notei uma falha neste quadro tão belo. No Pico da Bandeira, não havia nenhuma bandeira. Imediatamente tirei do meu KPSP (Kit de Primeiros Socorros Patrióticos) uma bandeira do Brasil e a coloquei no topo de uma torre que existe no local. Emocionado, diante de tanta beleza, comecei a cantar o hino da Bandeira (pelo menos a parte que eu conhecia) em homenagem ao meu maravilhoso país. Mais tarde eu descobri que, subindo aquela torre de 10 metros (acima do Pico da Bandeira), acabei ficando mais alto que a segunda maior montanha do Brasil, o Pico 31de Março com 2.992 metros. Nada mal para um principiante. Dois picos em um. Agora só me restam o Pico da Neblina e o Everest, mas estes eu vou deixar para depois.

Família aguarda o nascer do sol

Família aguarda o nascer do sol

O sol nasceu! Espetáculo magnifico!

O sol nasceu! Espetáculo magnifico!

Peter carrega Ingrid até o topo do Pico da Bandeira

Peter carrega Ingrid até o topo do Pico da Bandeira

Sandra e Ingrid festejam a conquista

Sandra e Ingrid festejam a conquista

Peter coloca a bandeira no topo da torre.

Peter coloca a bandeira no topo da torre.

Alto Caparaó

  
  

Publicado por em

Leonardo brasil

Leonardo brasil

20/07/2010 08:30:25
muito bom, eu fui parar lá esse fds quando faltava os ultimos 500 metros mais difíceis ,caiuu a chuva pegamos de sensação termica -15...quase morremos todos desistiram, mas eu e mais 2 conseguimos...mesmo com o tempo chuvoso, sem ver o sol nascer fomos assim mesmo!.