Cansaço, mecânico e nossa viagem ao Piauí

Estes dias foram puxados! Tanto que mal conhecemos a capital. Mas valeu, pois tivemos uma ótima divulgação na cidade e no estado. No dia de irmos embora, eu escutei um rangido no pneu dianteiro direito e com a ajuda do pessoal da Cagece ach

  
  

Estes dias foram puxados! Tanto que mal conhecemos a capital.

Mas valeu, pois tivemos uma ótima divulgação na cidade e no estado.

No dia de irmos embora, eu escutei um rangido no pneu dianteiro direito e com a ajuda do pessoal da Cagece achei um mecânico de confiança, a Carmo Diesel.

O barulho vinha de uma lona gasta. Como já haviam tirado a roda, aproveitei e mandei trocar também os amortecedores e o burrinho do freio.

Serviço completo que me custou quase o dia inteiro. Para não viajar a noite, dormimos novamente na Cagece e saímos no dia seguinte às 5 da manhã.

Devido a nossa velocidade média e pelo fato de pararmos muito para tirar fotos, não costumo fazer mais do que 350 km por dia de viagem.

Desta vez abrimos uma exceção e resolvemos viajar os 520 km que nos separavam de Parnaíba, no PI, em apenas um dia.

Como disse antes, saímos cedo e sempre que achávamos algo interessante pelo caminho fazíamos uma parada.

Só não parávamos quando não dava mesmo.

E uma destas paradas foi quando nos deparamos com uma placa no meio do caminho, onde estava escrito “Cuidado com o Jacaré – Proibido nadar nú”.

Hehehe, este jacaré devia ser tarado!!

Ainda estamos sem o Kangoo, que ficou em Campina Grande, na PB.

O carro já está pronto faz tempo, mas como quase não paramos, eles não tinham onde nos entregar, por isto marquei com a Renault Assistence que nos entregasse o Kangoo em Parnaíba, onde iremos passar 15 dias.

Deixe-me explicar: quando o proprietário de um Renault tem o serviço do Renault Assistence, ele tem alguma regalias.

Por exemplo, se eu estivesse de viagem e o conserto do carro demorasse mais de 48 horas, eles me dariam uma passagem para minha casa (junto com meus acompanhantes) e depois me entregariam o carro na minha cidade.

Como eu estou sempre seguindo adiante e não voltando, eles se dispuseram a entregar o Kangoo para onde eu fosse. Que maravilha, não?

Sem querer, acabei economizando mil quilômetros de péssimas estradas.

Por volta de 3 da tarde, paramos para almoçar em um postinho na estrada.

Lá havia um bebedouro com um galão cheio de água de cor de barro.

A Sandra pensou que fosse garapa (caldo de cana), mas eu disse que era água suja mesmo.

Era impressionante ver as pessoas tomando aquela água com a mesma tranqüilidade que bebemos água mineral.

É, ainda temos muito que aprender sobre os Brasis.

Chegamos em Parnaíba às 4 da tarde, e fomos recebidos pelo Secretário de Turismo Anísio e pela Diretora de Eventos Ana.

Fomos instalados nas dependências do SESC, um lugar muito gostoso, como muito verde e perto do mar.

Mas isto eu conto amanhã. Até lá!

  
  

Publicado por em