Chegada tumultuada a Chapada dos Veadeiros

Saímos depois do almoço com o Pégaso em direção à Chapada dos Veadeiros. Na verdade saímos tarde demais, pois já era quase 4 horas da tarde. Não gostamos de viajar tão tarde, pois se acontece algum imprevisto fica mais difícil buscar socor

  
  

Saímos depois do almoço com o Pégaso em direção à Chapada dos Veadeiros.

Na verdade saímos tarde demais, pois já era quase 4 horas da tarde.

Não gostamos de viajar tão tarde, pois se acontece algum imprevisto fica mais difícil buscar socorro.

E (como confirma Murfy) foi exatamente isto que aconteceu. Lembra-se do conserto da mangueira do hidráulico que fizemos há alguns dias atrás ?

Pois bem, o mecânico que fez o conserto, deu uma esticada indevida na correia do alternador e esta partiu ao meio no caminho para a Chapada.

Junto com ela, foram outras 3 correias. Já eram 18:30h e estava começando a chover.

O Pégaso parou em uma subida forte, no meio da serra, num lugar não muito seguro.

Sinalizamos o local e eu saí no Kangoo para buscar ajuda.

Só para resumir a história, foi muito difícil achar as correias certas e um mecânico para trocá-las.

Gastamos ao todo 6 horas neste conserto e rodei mais de 210 kms com o Kangoo em busca de peças.

Quando conseguimos andar de novo, já era 1:30h da madrugada e só chegamos a Alto Paraíso de Goiás às 3 da matina.

Lá fomos recebidos pelo pessoal da Pousada Camelot que ficaram nos esperando até de madrugada.

A Pousada Camelot foi idealizada e construída pelo empresário João Luiz Batista Ramos como uma pousada temática, uma réplica de um castelo medieval, toda decorada com motivos do Rei Arthur e sua Távola Redonda.

Um lugar fantástico, bem decorado e super tranqüilo.

Ficamos acampados no estacionamento. Foi lá que conhecemos na manhã seguinte o Tatoo, nosso guia, que trabalha junto com o pessoal da Travessia Turismo.

Ali mesmo ele já nos passou um resumo dos próximos dias e planejamos o que iríamos conhecer.

Infelizmente, temos pouco tempo para conhecer muita coisa, então resolvemos escolher alguns pontos que servirão como representativos dos outros.

O dia estava chuvoso e impróprio para fotografias de natureza, por isso resolvemos conhecer um pouco da cidade e seus habitantes.

Alto Paraíso de Goiás é conhecido como uma região muito mística, onde seres transcendentais e discos voadores, de vez em quando dão o ar de sua graça.

Infelizmente não vimos nenhum. Tem também um tal de paralelo 14, que segundo dizem, liga a cidade de Alto Paraíso a Machu Pichu no Peru, coisa assim.

A cidade e algumas pousadas têm até discoporto privativo. Ali se reúnem vários gurus, músicos alternativos, astrólogos e aficionados sobre o tema.

A arquitetura da cidade atesta a vocação mística. Várias casas têm cristais nos seus vértices, além de construções em formas circulares, piramidais, orientais e em formato de gota.

Esta última é um local para meditação e apresentações de músicas da Nova Era.

Muitos vão ali nos finais de semana para meditação.

Muitos charlatões também passaram por aqui e enganaram várias pessoas.

Em conseqüência disto, veio o descrédito e hoje a cidade têm se tornado menos mística e alternativa, e está se abrindo mais para o turismo tradicional.

Acho que Alto Paraíso é uma cidade em transformação, o que a torna ainda mais interessante e digna de uma visita.

Aproveitamos o espaço para desejar um feliz 2004 para todos vocês, nossos amigos, que Deus oa abençoe e que encham seus corações de alegria e otimismo no novo ano!!

  • Pousada temática Camelot

Rodovia GO -118, km 168
Fones: (62) 446-1581 / (61) 321-7574
Website: www.pousadacamelot.com.br

  • Travessia Ecoturismo

Fone: (62) 446-1595
Website: www.travessia.tur.br
E-mail: travessia@travessia.tur.br

  
  

Publicado por em