Chegamos a Alto Caparaó, a suíça mineira

Olá pessoal, desculpem-nos o sumiço, mas agora estamos de volta! Depois de dois dias de viagem, finalmente chegamos a Alto Caparaó, no extremo leste de Minas Gerais. As crianças me perguntaram várias vezes como era a cidade e eu nunca soube responder. Não

  
  

Olá pessoal, desculpem-nos o sumiço, mas agora estamos de volta! Depois de dois dias de viagem, finalmente chegamos a Alto Caparaó, no extremo leste de Minas Gerais. As crianças me perguntaram várias vezes como era a cidade e eu nunca soube responder. Não tinha a mínima idéia do que ia encontrar pela frente. Ainda na estrada, fomos recebidos pelo jovem Rafael, o secretário municipal de turismo que nos conduziu por uma serra bem íngreme que chegava até 1000 metros de altura. Ao cruzar o topo da serra fiquei deslumbrado. Uma enorme cordilheira de quase 3 mil metros de altura cercava uma pequena cidade bem acomodada entre milhares de pés de café. Alto Caparaó é uma cidade jovem, emancipada em 1995, mas situada na base de um maciço milenar, na verdade o final da serra da Mantiqueira que começa lá em São Paulo. Neste maciço esta localizado o terceiro pico mais alto do Brasil, o Pico da Bandeira com 2.890 metros sobre o nível do mar. Hoje, a região da serra do Caparaó foi transformada em Parque Nacional. A região me lembrou muito a Suíça, mais precisamente a região de Interlaken. Pode parecer um exagero, mas não é. É só colocar uma nevezinha aqui, uma vaquinha malhada ali, e pronto!
Assim que chegamos nos limites da cidade, fomos recepcionados por uma comitiva de jeeps que fazem o transporte dos turistas até o parque. Foi uma fila quilométrica que subiu (para meu desespero) lentamente a rua principal de Alto Caparaó. Quase perdi minha frissão. Na Casa da Cultura, foi feita uma pequena cerimônia de recepção, onde fomos apresentados formalmente às autoridades e começamos a descobrir pequenas surpresas desta cordial comunidade.
Primeira surpresa: os homens que me perdoem, mas quem manda aqui são as mulheres.
Se não mandam, pelo menos ocupam um lugar de destaque. Duvida? Então veja só: O delegado não é delegado, é delegada; A presidente da Câmara e sua vice são mulheres. Na verdade 1/3 da Câmara é formado por mulheres. E assim vai!
Segunda surpresa: Aqui todos são parentes, e quem não é, um dia vai ser. A cidade surgiu basicamente a partir de duas famílias (é lógico que hoje existem outras), mas todo mundo que você conhece é primo, cunhado, irmão, tio ou sobrinho de alguém. E mesmo os que vieram de fora, vão acabar casando e entrando na família. O povo daqui tem que tomar muito cuidado sobre quem fala, isto pode dar uma encrenca danada.
Brincadeira a parte, chegamos e fomos muito bem recebidos. Nos instalamos na pousada do Carlinhos Bezerra, uma figura de pessoa! Mas dele eu falo amanhã.

  
  

Publicado por em