Curtume e despedida

Nossa última parada em Soure antes de voltamos a Belém foi no curtume da cidade, onde alguns artesão trabalham o couro dos búfalos. Acompanhamos o preparo das peles desde sua raspagem até o tingimento e secagem. Visitamos duas lojas muito

  
  

Nossa última parada em Soure antes de voltamos a Belém foi no curtume da cidade, onde alguns artesão trabalham o couro dos búfalos.

Acompanhamos o preparo das peles desde sua raspagem até o tingimento e secagem.

Visitamos duas lojas muito interessantes, uma que trabalha com selas e sandálias e outras com artigos mais curiosos, como a bolsa feita com o saco escrotal do búfalo.

Meio esquisito, mas funcional. Afinal, nada mais próprio do que vender saco, como saco.

Depois desta visita curiosa, nos despedimos de nossos amigos. Eles vão deixar saudades.

Uma delas foi a Margareth, a Secretária de Turismo e grande responsável por nossa visita a
ilha.

Agradecemos também a toda a família da Dona Jerônima que tão bem nos recebeu. Nos sentimos em casa.

Igualmente à família Acatauassu, proprietários da Sanjo e da Flecheiras. Foram dias inesquecíveis!

Neste dia de partida ainda fizemos amizade com o Alacid, um fazendeiro e veterinário que também possui uma pousada na ilha.

Ele nos presenteou com uma garrafa de óleo de Andiroba (ótimo para inflamações) e histórias fantásticas sobre castração de búfalos, histórias que não ouso repetir aqui. Talvez no livro, sei lá.

Resumindo, a visita a Ilha do Marajó me trouxe a tona o mesmo sentimento que tive quando conheci a Patagônia e o Deserto do Atacama, dois lugares misteriosos, belíssimos e que guardo no fundo do meu coração como meus preferidos.

Quero voltar em breve para cá e talvez traga alguns de vocês comigo. Quem se habilita?

Salvaterra (Ilha de Marajó) Soure (Ilha de Marajó)

  
  

Publicado por em

Marilene baia

Marilene baia

28/10/2008 00:58:18
valeu você acrescentou muito para minha pesquisa sobre bulbalinos!