De Parnaíba a Jericoacoara

Saímos mais uma vez de Parnaíba para conhecer a região. A cidade de Parnaíba tem sido um ótimo ponto de apoio. Aqui tem tudo o que precisamos e se você um dia vier para cá, aconselho que fiquem por aqui e a partir desta cidade, percorram toda a re

  
  

Saímos mais uma vez de Parnaíba para conhecer a região. A cidade de Parnaíba tem sido um ótimo ponto de apoio.

Aqui tem tudo o que precisamos e se você um dia vier para cá, aconselho que fiquem por aqui e a partir desta cidade, percorram toda a região.

Saímos cedinho em direção a Camocim no Ceará. Deixamos a Pepita Gold aos cuidados do pessoal do SESC. Em Camocim, fomos recebidos pelo André e sua simpática família.

Ele é amigo do Marcos da Eco Adventure e se ofereceu para guardar nosso carro em sua casa, enquanto seguimos rumo a Jeri.

A esta altura, um bugue comandado pelo Neguinho do Arlindo (é assim que todos o conhecem) já nos aguardava na margem do rio.

A travessia da balsa já foi uma aventura. A balsa de madeira era um pouco maior que um carro e tinha dois operadores, um para cuidar do motor e outro para tirar a água do fundo do barco. Muito animador!

No outro lado desembarcamos na ilha do Amor, uma ilha repleta de dunas e carnaúbas, uma combinação interessante.

Atravessamos a ilha e seguimos pela praia os 50 km que nos separavam da famosa Jericoacoara.

Sempre parávamos para tirar fotos dos pescadores e suas cabanas. Muito pitoresco.

A longa praia é quase que totalmente deserta e com muitas paisagens interessantes. O lugares que eu mais gostei foram as Pequenas Dunas e Rio de Nova Tatajuba, além do trecho chamado de mangue seco (adivinhe porquê!!).

A todo momento, os vários bugues passavam pela gente cheios de turistas, muitos deles estrangeiros. E olha que estamos na baixa temporada.

Imagino isto aqui na alta estação. Chegamos em Jeri perto das 3 horas da tarde, justo antes de uma baita chuva.

Primeiro ficamos na Pousada Wind Praia, onde conhecemos a simpática Socorro (a gerente).

Ela nos recebeu muito bem, nos deu várias dicas e nos ofereceu para ficarmos na outra pousada do grupo, a Wind Serrote que foi recém inaugurada e tinha alguns recursos a mais como piscina e internet.

Assim fizemos e trocamos logo de quarto. Aqui não é difícil conseguir onde ficar (pelo menos na baixa estação).

Jeri é uma vila de pescadores, com mais de 70 pousadas, além dos restaurantes, lojas e barzinhos.

O que tem de menos aqui, acho que são pescadores. Apesar da invasão, a vila ainda mantém um ar tranqüilo com construções típicas.

Lembrou-me muito a aldeia de São Pedro do Atacama no Chile, uma espécie de versão tropical de lá.

De qualquer modo, eu que tinha poucas expectativas sobre Jeri, fiquei bem impressionado.

Amanhã eu conto mais.

Para reservas nas pousadas citadas, entre em contato com a Eco Adventure Tour
Fones: (86) 323-9595 / 9983-6333
Website: www.ecoadventure.tur.br

  • Recomendamos sem dúvida alguma, a Pousada Wind.

Jijoca de Jericoacoara

  
  

Publicado por em