Despedida de Belém e agradecimentos

Ficamos ainda alguns dias em Belém esperando o dia da saída da balsa para Manaus. Recebemos uma cortesia da SILNAVE, uma das empresas que transposta carga e carretas para a capital do Amazonas. O Sr. Eduardo Carvalho já tinha ouvido falar

  
  

Ficamos ainda alguns dias em Belém esperando o dia da saída da balsa para Manaus.

Recebemos uma cortesia da SILNAVE, uma das empresas que transposta carga e carretas para a capital do Amazonas.

O Sr. Eduardo Carvalho já tinha ouvido falar do nosso projeto e nos disponibilizou a viagem tanto entre Belém e Manaus, como entre Manaus e Porto Velho. Valeu Eduardo!!

Ah, já ia esquecendo... quase por acaso reencontramos um casal de antigos amigos, a Mara e o Ranieri.

Ele é pastor adventista e ela obreira. Nos conhecemos em Atibaia e não nos víamos a 13 anos.

Foi um prazer reencontrá-los, agora com família formada e trabalhando em Belém.

De quebra, revimos também um outro amigo, o Roberto, que é irmão do Ranieri.

Ele mora em Recife junto com a família e estava aqui só de passagem. Foi mais uma destas maravilhosas surpresas de viagem.

Nos despedimos também do Parque dos Igarapés, este oásis dentro de Belém e de nossos amigos da Paratur, o Sr. Adenauer e a Maria de Belém.

Também nos despedimos dos amigos da Reicon, de toda a família Rebelo e também do Diego e sua família.

No final de uma destas tardes fomos para o porto da Silnave em Icoaraci e embarcamos em uma enorme balsa para 36 carretas.

Saímos com a maré às 5 da manhã e acordamos no meio da Baía de Marajó.

Ficamos acomodados bem na frente de maneira que recebíamos todo o vento vindo do rio.

Nada melhor do que isto para refrescar um calor de 38 graus.

A tripulação nos recebeu muito bem. As crianças armaram a mesa de camping debaixo de uma carreta e nesta sombra agradável começaram a por os estudos em ordem.

Eu dividi meu tempo entre o computador e a paisagem que desfilava por nós.

A Sandra começou a preparar os presentes de viagem.

Vou explicar: em alguns pontos onde o rio se estreita é comum os meninos ribeirinhos chegarem de canoa próximo à balsa para vender alguma coisa ou então pedir presentes.

Sabemos que isto vai acontecer a partir de amanhã e por isto já preparamos alguns sacos plásticos onde pusemos salgadinho, pipoca doce e mensagens sobre a volta de Jesus.

Nossa intenção é dar alegria ao estômago e uma palavra de conforto à alma.

Preparamos cerca de 100 sacolas. Amanhã eu conto como foi.

Se precisar viajar entre Belém e Manaus e para as cidades vizinhas, eu sugiro que procure uma destas empresas:

  • Silnave - (91) 227-5000
  • Reicon - (91) 213-7000
  
  

Publicado por em