Despedida do Mickey Mouse

Deixamos Piúma de manhã cedo, mas não sem antes resolver um dos maiores mistérios de todos os tempos (desta expedição pelo menos). Já fazia algum tempo que ouvíamos barulhos vindos de baixo do motorhome e desconfiávamos de um quinto viajante a bordo. Dura

  
  

Deixamos Piúma de manhã cedo, mas não sem antes resolver um dos maiores mistérios de todos os tempos (desta expedição pelo menos). Já fazia algum tempo que ouvíamos barulhos vindos de baixo do motorhome e desconfiávamos de um quinto viajante a bordo. Durante alguns dias me perguntei se seria um lagarto (muito comum em Alto Caparaó) ou um pequeno camundongo.
O safado era muito silencioso e só fazia seus passeios depois que todos estavam dormindo. O nosso motorhome tem uma boa vedação, mas mesmo assim ele conseguiu entrar em um dos bagageiros e fez um estrago danado. Gastamos meio dia para tirar todas as coisas e lavar o local. Cheguei a comprar uma ratoeira que não funcionou e um pacote de veneno para rato que foi consumido até o último pedaço pelo nosso misterioso visitante. Cheguei a ficar uma madrugada inteira acordado procurando avistar o safado. Não achei e ainda perdi uma boa noite de sono. Na hora de tirar o Pégaso do lugar a grande revelação. Encontramos um rato de bom tamanho, chapado de tanto comer veneno, andando em zigue-zague por baixo do ônibus.
Sem exitar, pequei a vassoura e dei um tacada de golfe no coitado. Afinal, este Mickey Mouse atrevido tinha me custado um bom par de neurônios (e olha que não tenho muitos!).
Depois da execução, seguimos em direção a Vitória pela Rodovia do Sol. As estradas do ES estão em bom estado e bem sinalizadas. Chegamos a Vitória antes as 11:30h através de Vila Velha e da terceira ponte, um enorme viaduto que atravessa a baia de Vitória.
Fiquei impressionado com a visão. Que Floripa e Guanabara me perdoem, mais até agora esta foi a baia mais linda que encontrei. Nos “hospedamos” na concessionária Atlântica da Renault, onde fomos recebidos pela simpática família do Sr. Lúcio (Regina sua esposa e seus filhos). Em Vitória vamos dar algumas entrevistas e resolver pequenos problemas pendentes, mas deixar de fazer pouco de turismo.
Hoje mesmo a Sandra e as crianças foram conhecer o Convento da Penha, uma igreja que fica no alto de um rochedo com 154 metros de altura às margens da baia. De lá de cima se avista toda Vitória e seus arredores. O convento foi construído em 1651 e hoje é um marco da cidade (apesar de não estar em Vitória e sim na cidade vizinha de Vila Velha).
Algumas coisas me impressionaram em Vitória. Um delas foi as vias limpas e com bom fluxo de transito. A outra foi a grande quantidade de áreas verdes e parques. Parece uma cidade do interior, só que grande. As praias também são limpas e bem cuidadas. Gostei!

Terceira Ponte

Terceira Ponte

Baia de Vitória

Baia de Vitória

Convento (1)

Convento (1)

Convento (2)

Convento (2)

Entrada para o convento

Entrada para o convento

  
  

Publicado por em