Dia de Emoções Radicais

Domingos Martins é uma cidade muito tranqüila, um lugar ideal para se morar. Pelo menos ideal para mim. Ela fica nas montanhas (que eu adoro), tem um clima ameno (que eu também adoro) e a vantagem de ficar há apenas 50 minutos de Guarapari e Vitória, amba

  
  

Domingos Martins é uma cidade muito tranqüila, um lugar ideal para se morar. Pelo menos ideal para mim. Ela fica nas montanhas (que eu adoro), tem um clima ameno (que eu também adoro) e a vantagem de ficar há apenas 50 minutos de Guarapari e Vitória, ambas no litoral Capixaba. Nos últimos seis anos a cidade tem sido enfeitada na época do natal com milhares de luzes, imitando a idéia surgida em Canela e Gramado no sul do país. O “Brilho de Natal”, como foi batizado, tem o poder de tornar a ainda mais bonita, a bela praça central da cidade. Em D. Martins também esta localizada a fábrica de refrigerantes Coroa, muito conhecida no Rio, Minas e Espírito Santo. Ela pertence a família do sr. Kautsky (aquele das orquídeas) e nós tivemos o prazer de conhecê-la. É uma fábrica moderna e eficiente, mas que ainda conserva um clima bem familiar entre os funcionários. A Ambev que se cuide!
Hoje foi dia de aventura! Logo cedo seguimos junto com o pessoal da “Emoções Radicais” para sentir o que eles propõem, emoções radicais. Dentre as várias atividades que nos ofereceram, escolhemos fazer um rafting no rio Jucu, o maior da região. Já haviamos feito rafting antes, tanto em Pucon (Chile), como em Canela (RS), mas este foi um dos mais gostosos que participamos. Primeiro porque o rio estava cheio, formando belas corredeiras e boas quedas. Segundo porque o trecho escolhido pela agencia é bem intenso, ou seja, as corredeiras acontecem em seqüência, com poucos locais de remanso. A Ingrid (muito esperta) se acomodou rapidinho no fundo do bote, um pouco pensando na segurança, um pouco pensando em não remar. Junto conosco estava o guia e proprietário da agencia o Cici e o nosso anfitrião, o Arthur. Juntos descemos várias quedas de nível 3 com direito a muita emoção e adrenalina. A Sandra inclusive, além da adrenalina, ganhou também um belo banho quando caiu para fora do barco em uma das corredeiras. Quando voltou puxada para dentro do barco, não sabia ainda o que tinha acontecido. A única coisa chata foi ter que descer do bote várias vezes para filmar e fotografar. Ossos do oficio. Afinal, sem isto não teria como mostrar para vocês as emoções do rio Jucu.
Depois do rafting, o pessoal da Emoções Radicais ainda nos convidou para um canoying (rapel em cachoeira) do qual, só eu e a Sandra poderíamos participar por ser muito escorregadio. Apesar da vontade, não fizemos. Vocês sabem, um dos nossos objetivos é promover a aventura em família, por isto, ou vão os quatro ou não vai ninguém. Com certeza teremos outra oportunidade mais para frente.

Nota:

Amigos, estamos nos primeiros minutos de 2003. Antes de mais nada é o desejo da Família Goldschmidt que todos vocês tenham um ótimo 2003 com as bênçãos de Deus e aguardando a volta de Cristo Jesus. Que neste ano, cada um de nós possa dar um passo a mais para a realização de nossos sonhos e objetivos.

  
  

Publicado por em