Explicando o explicável

Seguimos nossa expedição cruzando a ponte Dom Pedro II em direção a Alagoas. Nosso destino é Penedo, quase na foz do São Francisco. No caminho, passamos por duas cidades que eu já havia mencionado antes por causa dos nomes “pouco convencionai

  
  

Seguimos nossa expedição cruzando a ponte Dom Pedro II em direção a Alagoas. Nosso destino é Penedo, quase na foz do São Francisco.

No caminho, passamos por duas cidades que eu já havia mencionado antes por causa dos nomes “pouco convencionais” (gostaram do termo sutil para “esquisito”?).
Pesquisei e descobri a razão dos nomes:

  • Olho d´água do Casado – Não tem nada haver com olho gordo lacrimejando em cima de uma pessoa que casou com outra. É que havia aqui uma fazenda chamada Olho d´água pertencente a família Casado, muito poderosa na região. Entendeu?
  • Jacaré dos Homens - Não, aqui também o jacaré não comeu ninguém. A cidade dos homens era famosa pela honestidade de seus moradores, os homens. Depois um dia surgiu no rio que corta a cidade um jacaré, que foi logo adotado pela população. Daí o nome, Jacaré dos Homens. Ainda hoje, a principal atração da cidade são os 3 jacarés cuidadosamente criados na praça central.

Durante a viagem também vi outra coisa interessante. Passamos por uma região de plantação de Palmas, uma espécie de cactos que se dá ao gado para comer (e serve como ótima salada também).

A curiosidade é que a safra é transportada por carros de boi, o que é muito inusitado na caatinga. É uma mistura de Minas com sertão.

Depois de várias horas de viagem (e uma parada numa Concessionária Mercedes-Benz para uma rápida revisão) chegamos em Penedo na hora do pôr-do-sol e fomos recebidos pelo Sérgio Paulo, secretário de turismo.

Mas sobre Penedo eu falo amanhã, pois agora vou dormir!
ZZZZZZZZZ.

  
  

Publicado por em