Jacaré a vista

Ontem, depois de um belo jantar, fomos dormir cedo. Dormir é modo de dizer, as muriçocas (pernilongos) não deram trégua. Só conseguimos pegar no sono quando consegui convencer a todos a tomarem um banho de repelente. Apesar da noit

  
  

Ontem, depois de um belo jantar, fomos dormir cedo.

Dormir é modo de dizer, as muriçocas (pernilongos) não deram trégua.

Só conseguimos pegar no sono quando consegui convencer a todos a tomarem um banho de repelente.

Apesar da noite mal dormida, acordamos cedo e saímos (a cavalo, ai, ui, ai) conhecer a casa do Reis, um dos vaqueiros que nos acompanharam na cavalgada de ontem.

O Reis tem mais ou menos 50 anos e nasceu e se criou aqui, dentro da ilha.

Perguntei a ele se ele gostaria de morar na cidade ou mais perto do mundo urbano e recebi um “de jeito nenhum” como resposta.

Quando perguntei que parte da vida urbana fazia mais falta para ele, a resposta foi “A medicina.

Aqui é tudo muito difícil. É difícil para o médico chegar e para o doente ir para o hospital”.

Fiquei imaginando se por acaso eu quebrasse um braço ou fosse picado por uma cobra, como seria terrível ter que viajar mais de 6 horas de cavalo e lancha para chegar em um hospital em Soure.

Se tivesse que ir para Belém seria pior ainda. Eu hein!!

Como eu dizia, conhecemos a casa do Reis onde também funciona uma escola rural para as crianças da região.

A esposa dele é a professora, tem uma dedicação enorme e já ensinou muitos dos vaqueiros que trabalham ali.

Depois da visita, fomos até um açude tentar fotografar alguns jacarés.

Apesar de vermos muitos olhinhos nos observando de dentro d’água, só conseguimos fotografar dois Jacarés-tinga tomando banho de sol.

Como diz o ditado adaptado: “antes dois jacarés na margem do rio do que três debaixo d’água”.

O dia terminou com uma visita ao cemitério da fazenda, onde existe uma frondosa árvore que serve apoio para os ninhos de Curicacas, uma ave muito graciosa de plumagem branca e preta. Santos ou Corinthians?

Lá demos de cara com camaleão, com mais de um metro de comprimento.

Depois de fazer com ele uma sessão de fotos tipo top model, deixamos o bichinho em paz e voltamos para casa.

Ainda deu tempo de ver nascer uma enorme lua cheia que iluminou toda a planície à nossa frente. Um espetáculo reservado para poucos.

Pensei: enquanto as pessoas na cidade estão vendo novela, presas em um engarrafamento ou entretidas em alguma coisa dentro de casa, eu tenho o privilégio de estar aqui, em um pedaço quase intocado deste mundo criado por Deus, observando um show fantástico.

Que bênção ! Graças a Deus que nos deu a oportunidade e a coragem de chegar até aqui.

Salvaterra (Ilha de Marajó) Soure (Ilha de Marajó)

  
  

Publicado por em

Humberto

Humberto

17/02/2011 19:51:01
Gostaria se saber quantos habitantes tem a ilha

Sergio de Oliveira Silva

Sergio de Oliveira Silva

26/10/2009 21:36:06
Para quem gosta de contato com a natureza, a Ilha de marajó, tem uma enorme reserva de atrativos especiais, o nascer do sol, visto da Praia Grande é extraordinarimente bonito. Permaneci 03 dis por lá avistei e filmei um OVNI,na região de Colares e Vigia. Um verdadeiro disbundi. Voltarei em 2010.