Nascimento tartaruguesco

O projeto Tamar está espalhado por todo o Brasil, mas eu percebi uma presença marcante desta instituição aqui no Espírito Santo. Eles estão presentes em quase todo o estado. Tartaruguinha rumo ao mar Em Itaúnas, eles mantém uma base de desova e

  
  

O projeto Tamar está espalhado por todo o Brasil, mas eu percebi uma presença marcante desta instituição aqui no Espírito Santo. Eles estão presentes em quase todo o estado.

Tartaruguinha rumo ao mar

Tartaruguinha rumo ao mar

Em Itaúnas, eles mantém uma base de desova e encubação, onde monitoram vários quilômetros de praia com poucos recursos. Para isto, contam a colaboração de vários pescadores que durante a noite procuram rastros ninhos em perigo.

Crianças sendo orientadas pela bióloga sobre o nascimento das tartarugas

Crianças sendo orientadas pela bióloga sobre o nascimento das tartarugas

Durante os meses de dezembro a março, acontecem os nascimentos. Nós tivemos o privilégio de acompanhar uma abertura de um destes ninhos. Na verdade, as tartarugas nasceram de madrugada, horário da maioria dos nascimentos.

Recém-nascidas

Recém-nascidas

No dia seguinte, uma bióloga do projeto foi até o local para fazer a contagem de ovos e ajudar algumas tartaruguinhas que ficam presas no fundo do ninho.

De noite, haviam nascido 118 tartarugas e no dia seguinte a bióloga conseguiu resgatar mais 7 vivas. Foi um momento emocionante para todos nós; observar o nascimento destes pequenos animais e sua primeira luta pela vida.

Depois de limpas, elas foram colocadas na praia e instintivamente correram em direção ao mar. Alguns ecoturistas (menos ecos e mais turistas), avançaram tanto para tirar fotos que quase pisaram nas coitadas.

Pobres tartaruguinhas, como se já não bastasse a chance de um para mil de chegarem a fase adulta, ainda têm que enfrentar turista burro logo depois de sair do ninho. No final, todas salvas e se Deus permitir, ainda hoje nadando seguras pelo vasto Atlântico.

  
  

Publicado por em