Peixe Boi, feixe luz, quem foi que fui

Começamos o dia com uma ótima notícia. Meu sogro, o Sr. Gumpei vem nos visitar. Ele vem de ônibus e deve chegar daqui a uns 3 dias. Vai ser legal rever alguém da família depois de tanto tempo. O Sr. Gumpei, é uma pessoa muito especial por

  
  

Começamos o dia com uma ótima notícia. Meu sogro, o Sr. Gumpei vem nos visitar.

Ele vem de ônibus e deve chegar daqui a uns 3 dias. Vai ser legal rever alguém da família depois de tanto tempo.

O Sr. Gumpei, é uma pessoa muito especial por quem eu tenho bastante admiração. Ele saiu de casa cedo, trabalhou muito e em vários lugares.

Participou até da construção de Brasília. Além de ótimo trabalhador, ele é também uma fábrica de idéias.

Apesar da idade, vive inventando soluções criativas para os mais diversos problemas. Espero que ele faça uma boa viagem.

Mas enquanto ele não chega, continuamos nosso trabalho e fomos visitar a base do Projeto Peixe Boi Marinho, o qual mencionei ontem.

Este projeto era desconhecido por nós. Na verdade eu nem sabia que havia um peixe boi marinho.Se demorasse mais um pouco, não haveria como saber mesmo.

De todos os mamíferos aquáticos, o peixe boi marinho é o que está em maior risco de extinção, restam apenas 400 indivíduos distribuídos pelo litoral norte e nordeste.

Este projeto criado na década de 80, visa estudar e proteger este Sirênio (seu gênero ou sua família, sei lá!) e reverter o quadro atual.

No Projeto, existe um centro de visitante, onde assistimos a um vídeo sobre a história do projeto e suas ações.

Depois visitamos a fábrica onde são confeccionados pequenos bonecos de peixe boi e que ajudam, com sua venda, a manutenção do projeto.

Além disto, os biólogos ainda contam com o apoio do Ibama, da Fundação Mamíferos Marinhos, da Petrobrás e da prefeitura de Rio Tinto.

Depois de conhecer a base e suas atividades, fomos de barco a remo visitar um braço de rio, onde dois animais estão passando pelo processo de readaptação a natureza.

Fomos de barco a remo porque todo o estuário de Mamanguape é hoje área de proteção ambiental e considerado pela Unesco patrimônio da humanidade.

Aqui não entra nenhum barco a motor e a pesca e a caça são controladas. Conhecemos dois machos jovens, de 6 e 7 anos. Os peixes boi podem viver até 60 anos.

O grande problema que enfrentam hoje é a caça e a poluição dos rios, justamente nos locais onde as fêmeas vêm dar a luz a seus filhotes.

Quando a água está muito poluída, elas dão a luz no mar e os filhotes, apesar de terem quase um metro, são carregados pelas ondas e acabam encalhando na praia, onde morrem.

O Projeto Peixe Boi hoje possui uma rede de informantes voluntários espalhados por todo litoral nordestino, que avisam a central assim que um filhote é achado encalhado na praia.

Somente este simples procedimento já tem sido responsável por um aumento na população da espécie.

Achei o trabalho super interessante e todos nós resolvemos apoiar o projeto. Espero que você também possa conhecer melhor o Peixe Boi Marinho e ajudar a preservá-lo.

Maiores informações você pode ter através do fone 0800-281-2009 ou 9-XX-82 375-1200 e pelo e-mail peixeboialagoas@uol.com.br.

OBS: o título de hoje é em homenagem a Chico César de quem sou fã e que é paraibano.

  
  

Publicado por em