Piumirim????

Parou! Parou! A chuva parou! Yupppiiiiiiiiiii! Bem, não vou exagerar na festa, pois vai que comece a cair água de novo, né? Aproveitamos o sol tímido e fomos fazer um passeio que já havíamos adiado várias vezes, conhecer o futuro Parque nacional Marinho

  
  

Parou! Parou! A chuva parou! Yupppiiiiiiiiiii!
Bem, não vou exagerar na festa, pois vai que comece a cair água de novo, né?
Aproveitamos o sol tímido e fomos fazer um passeio que já havíamos adiado várias vezes, conhecer o futuro Parque nacional Marinho de Piúma. O parque já está no papel e tudo, e sua área já foi tombada pelo município. Agora só falta a aprovação Federal. O parque pretende proteger uma área de praias e mar aberto que inclui 4 ilhas (Gambá, Meio, Cabritos e Francês). A proteção desta região é importante por duas razões: primeiro porque ali se reproduzem vários animais, além de ser um local de descanso para as baleias Jubarte na sua volta para o sul do continente. No parque também existem animais endêmicos como por exemplo os Morcegos Pescador, que se alimentam de pequenos animais marinhos que capturam na costa da ilha do francês, onde vivem. A outra razão é que nesta área se reproduzem os peixes e os moluscos que dão vida e sustento para as famílias de Piúma. A criação do parque, além de proteger a fauna e flora, protegeria também a economia da cidade. Eu fiquei um tempão com a Jô discutindo sobre o novo nome do parque. O nome preferido dela é P. N. M. Gambá Francês. Eu disse a ela que este nome parece nome de perfume barato. O meu nome preferido é P. N. M. Piumirim (junção dos nomes Piúma e Itapemirim) gostaram? Então votem em mim!
Bem, voltando ao nosso passeio, embarcamos na escuna do Neraldo na ilha do Gambá (aquela ilha que não é mais ilha) e seguimos para a ilha do Francês. Esta ilha inclusive é cercada de muitas histórias e lendas. Uma delas conta que ela serviu de refúgio para os franceses em uma das tentativas de invasão ao Brasil. Nela há uma grande caverna conhecida como Buraco do Judeu (ninguém ainda me explicou porquê), onde os franceses teriam escondido um tesouro e onde hoje mora o famoso morcego. Chegando na ilha, ancoramos perto de um costão rochoso e subimos por uma trilha até um farol construído em 1897 e que continua em funcionamento até hoje. Na volta, o prêmio foi um merecido banho de mar. Valeu!

Familia a bordo da escuna do Neraldo

Familia a bordo da escuna do Neraldo

Erick no comando da escuna

Erick no comando da escuna

Farol construído em 1897, em pleno funcionamento

Farol construído em 1897, em pleno funcionamento

  
  

Publicado por em