Triste notícia

Hoje acordamos com uma triste notícia que não dá nem vontade de escrever. Lembram quando há alguns dias atrás eu falei do circo armado em Ingá na Paraíba? Falei sobre a visita do Buriti e dos Tropeiros do Asfalto, um motoclube de Campina Gr

  
  

Hoje acordamos com uma triste notícia que não dá nem vontade de escrever.

Lembram quando há alguns dias atrás eu falei do circo armado em Ingá na Paraíba?

Falei sobre a visita do Buriti e dos Tropeiros do Asfalto, um motoclube de Campina Grande.

Pois bem, quem organizou toda a bagunça foi um camarada chamado Flávio Pasteur.

Na brincadeira ele se apresentava como Flávio Pastel. Um sujeito brincalhão, de bem com a vida, muito legal.

Ele inclusive vivia chamando o meu sogro, seu Antonio de Kataka.

Ele disse que japonês para ele era tudo igual e como já conhecia um com este nome, chamava todos os japoneses de Kataka.

Era brincadeira, é lógico. Pois é, este sujeito morreu.
Segundo o Buriti me contou, ele estava andando de moto um domingo, quando foi “acertado” por um cara chapado dentro de um Palio.

Até agora não acharam o assassino. Muito triste né?

Conhecer um cara bacana, passar a tarde conversando e
depois de alguns dias saber que ele morreu de uma forma tão besta e violenta.

Logo ele, que amava a vida. Ele inclusive me disse que estava de viagem marcada para o fim do mês, ele ia de moto para o Perú, em uma viagem que ele planejava há muito tempo. Não deu tempo.

Isto faz a gente pensar, não é mesmo? O que realmente é importante na vida? O dinheiro? Nossas viagens? O que afinal?

Eu tenho minhas opiniões e vou pedir licença para expressá-las.

1- Primeiro, eu acho que o mais importante é estar de bem com Deus.

Não por segurança, mas como requisito fundamental para a felicidade.

Se você está de bem com o Criador, fazendo a sua vontade (e buscando pelo conhecimento através da Bíblia) você já deu um grande passo na sua vida.

Afinal, foi Ele quem nos criou, e Ele sabe melhor do que ninguém o que é melhor para nosso corpo e para nossa vida.

As leis não são para nos castigar, e sim para nos proteger de nós mesmos (egoísmo).

2- Como segundo passo, acho importante você estar bem com sua família.

Quando eu escrevo “estar bem” quero dizer, ter um bom relacionamento.

Não prestar atenção aos pequenos defeitos, às pequenas palavras erradas ditas no tempo errado, aos pequenos mal entendidos.

A vida é mais que isto. Temos que amar os nossos queridos enquanto eles estão conosco.

Curtir os momentos, os dias de folga, as noites em casa, os domingos na praia, enfim, cada minuto de convivência que podemos ter com nossos pais, cônjuges e filhos.

Se você está bem em casa, será mais fácil estar bem no trabalho e nos negócios.

3- Como terceiro passo, acho que temos que estar bem com nossos amigos.

De todas as minhas viagens pelo mundo, o bem que eu dou mais valor são os amigos.

Mesmo que não fale com eles com freqüência, é a lembrança deles que carrego comigo.

Outro dia encontrei uma velha amiga dos tempos da Inglaterra, a Suzana. Ela não sabe (vai saber agora) que durante 10 anos pensamos muito nela e onde poderia estar.

Outro dia ela mandou um e-mail e contou sobre sua vida em Brasília. Foi muito legal.

Queremos revê-la em breve. Isto é o que realmente vale numa viagem, fazer e ter amigos em todas as partes.

Para ajudar e sermos ajudados. Amigos têm defeitos...e daí? Nós também temos!

Enfim, para mim a vida é isto: Deus, família e amigos. O resto a gente perde e ganha.

Trabalha e recupera. Convivi com o Flávio somente por uma tarde de sábado, mas já foi o suficiente para considerá-lo amigo.

Que o Espírito de Deus console a nós e aos seus amigos e familiares.

  
  

Publicado por em