Um paraíso da natureza

Localizada no litoral paulista e separada do continente pelo Canal de São Sebastião, Ilhabela tem acesso apenas por balsa (15 min. de travessia), ou outras vias marítimas.

  
  

Ilhabela

INICIO DO TESTE DE LINHA HORIZONTAL


FIM DO TESTE DE LINHA HORIZONTAL.

Localizada no litoral paulista e separada do continente pelo Canal de São Sebastião, Ilhabela tem acesso apenas por balsa (15 min. de travessia), ou outras vias marítimas. Declarada Reserva da Biosfera pela Unesco, foi transformada quase na sua totalidade (85% da área) em Parque Estadual.

Pico do Baepi

Ciribaí (lugar tranqüilo), como foi chamada pelos índios Tupinambás, primeiro povo a habitá-la, é a maior ilha oceânica brasileira. Contando com 39 praias com tamanhos e características distintas, encontradas em seus 128 km de costa. Ilhabela, conta ainda com mais de trezentas cachoeiras e uma fauna e flora de inesgotável variedade, fazendo da ilha um paraíso ecológico.

Descrição
Descrição
Descrição
Descrição
Descrição

A região urbana destaca-se por sua arquitetura que mescla o charme do passado com o moderno.


Convidados pelo Galeno, dono do Sítio Santa Seiva, além de desfrutarmos os passeios que a ilha oferece, fomos eu, o Ronny e o Matheus, nosso filho de 9 anos, conhecer uma opção diferente de hospedagem.

Conhecendo o Sítio Santa Seiva

Logo na chegada, fomos recebidos pelo Galeno (dono do Sítio), que nos fez sentir em casa. O lugar é de uma impressionante beleza natural. A construção segue os preceitos da bioarquitetura, onde percebe-se que cada detalhe foi criado com carinho.

Depois de conhecer as instalações, fomos atravessar a ponte Tibetiana para apreciar de cima a paisagem que o cerca.

Além do contraste do verde das árvores com o azul do céu e o esverdeado do mar, avistamos alguns tucanos e outras aves emoldurados pela flora colorida.

Ao fim da ponte, chega-se a uma tirolesa de mais ou menos uns 20 m. e a descida se dá de rapel pelo tronco de uma árvore.

Descrição

À tarde, guiados pelo Marcelo (um dos instrutores do Sítio), fomos conhecer a trilha que leva da sede à Costeira.

A proposta era vivenciarmos todo o caminho através dos cinco sentidos. A trilha é bem limpa e demarcada, sempre com o cuidado de não agredir a natureza. Começamos por identificar uma grande variedade de cheiros e sabores, sentimos a aspereza de algumas plantas, assim como a leveza das pétalas das flores, além de poder ouvir claramente o barulho da natureza.

Tivemos a oportunidade de usar o “caldo” do colágeno para refrescar nossa pele e servir de repelente. A trilha acaba na Costeira que nos presenteia com um visual inesquecível ao pôr do sol.

Descrição

Orientados, deitamos numa das rochas e fechamos os olhos. Neste momento, nos sentimos totalmente entregues ao barulho do mar, das aves, a luz do por do sol e ao movimento da “pedra do tambor”, que conforme o instrutor pulava, as batidas secas e ritmadas ecoavam nos nossos corpos e pensamentos.

Este momento foi único.Um dos mais profundos de integração, contato e respeito pela natureza. Jamais vou esquecer o comentário que fez o Matheus (nosso filho de 9 anos): “ Agora sim eu sei que faço parte da natureza!”, ou seja, ele absorveu a proposta da vivência.

Dormir no Sítio, é uma experiência a parte. Da cabana que ficamos hospedados (a da Goiabeira) podíamos ouvir o som do mar mesclado ao barulho da mata e dos sinos que ficam nas árvores, o que proporciona uma imensa sensação de calma e bem estar.

Só acordamos no dia seguinte com as badaladas do sino a avisar que o café estava na mesa (e que mesa caprichada. O dia estava lindo, nos sugerindo um cascading na cachoeira dos Três Tombos...

Cascading e cavalgada

Visual do topo da Cachoeira dos Três Tombos

A CIAVENTURA espaço ecológico, agência receptiva local, sugeriu-nos um cascading na Cachoeira dos Três Tombos. Localizada na praia da Feiticeira, seguindo uma trilha leve e agradável por mais ou menos 40 min., chega-se ao topo da primeira queda. Lá em cima, o visual surpreende com uma enorme beleza. Ficamos os três ali apreciando enquanto o equipamento foi montado e ancorado em duas grossas árvores, descendo a corda principal e uma “backup”.

Equipando pra o Cascading

Realizados os testes de segurança e dadas as instruções, iniciamos o cascading. Pela primeira vez, fomos instruídos a descer de meias. A princípio, achamos “esquisito”, mas logo no começo da descida, notamos que a meia “prende” bem o pé na rocha. O cascading é bem tranqüilo e todo positivo, ideal para famílias e iniciantes. No meio da cachoeira é possível dar uma “parada” para banho,além de poder curtir o visual. Já lá em baixo era mesmo necessário usar nossas papetes que já “estavam a nossa espera”.

Matheus no Cascading

Também por sugestão da CIAVENTURA Espaço Ecológico, à tarde, fomos cavalgar pelo Parque Estadual. O programa incluía uma parada para fazer a trilha da Água Branca, que sai logo da entrada do parque. Deixamos os cavalos na portaria e fomos até o primeiro poço, o Poço da Pedra. Como ainda estava claro, resolvemos andar mais um pouco até o Poço da Escada mas, por orientação do guia não chegamos até a Cachoeira da Água Branca, pois no inverno a noite cai rápido e como nos demoramos, tivemos que voltar. Cavalgamos lentamente até a Vila apreciando o final da tarde e passamos por um mirante para ver o por do sol.

Banho no cascading

Já a noite no sítio tem um toque especial, acendemos uma fogueira e ficamos ali, observando o fogo, o céu e “jogando conversa fora”. Para o Matheus (nosso filho de 9 anos), mais uma novidade!

Entrada do parque

Na manhã seguinte, visitando as praias do sul da ilha, paramos na praia das Pedras Miúdas, que fica em frente à Ilha das Cabras...

Mergulho na Ilha das Cabras

Preparando para o mergulho com Ilha das Cabras ao fundo

Como estávamos a fim de mergulhar, a Colonial Diver que fica bem em frente à praia das Pedras Miúdas, que também fica em frente à Ilha das Cabras, ofereceu-nos um mergulho apropriado para iniciantes e famílias: uma trilha subaquática.De bote fomos levados até a ilha.

No meio do mergulho

O objetivo da trilha é passar por alguns pontos de observação descendo no máximo 7 m.. Para o Matheus (nosso filho de 9 anos), a recomendação era descer apenas 3 m.. Assim, em alguns momentos nos distanciamos mas, com a certeza de que estava seguro com um instrutor experiente.

A “viagem submarina” foi emocionante, apesar da água não estar completamente clara, vimos muita vida (fauna e flora) e cumprimos todos os trechos propostos.

O Matheus ficou super satisfeito, contando sobre as estrelas marinhas vermelhas, os peixes listrados, pretos, grandes, pequenos, ouriços, enfim, para ele foi “tudo de bom”!

A parada para o almoço foi memorável. O Restaurante “Nova Iorqu`i” que fica ao sul da Ilha, apesar da distância, vale a pena! A comida é bem servida e muito gostosa, o visual do lugar é incrível, um dos mais belos por do sol da ilha, além dos donos serem uma simpatia!

Faltava então, conhecer a Vila...

A Vila

Igreja de Nossa Senhora D´Ajuda e Bom Sucesso

De quem vem da balsa rumo ao norte seguindo a orla marítima, à 6 km. fica a vila, centro histórico de Ilhabela.

Caminhar pelas suas ruas é um prazer a parte. Se você está acostumado com os famosos “centrinhos” das cidades de praia, vai surpreender-se.

Câmara Municipal de Vereadores

Algumas construções preservadas como a Igreja de Nossa Senhora D´Ajuda e Bom Sucesso, o prédio da Câmara Municipal de Vereadores, o Píer da Vila e os velhos canhões trazidos pelos Portugueses combinados com a modernidade modesta do comércio e dos restaurantes, dão à Vila um charme especial agradavelmente diferenciado.

Píer da Vila

È aqui que os turistas se encontram após o dia agitado para relaxar tomando um café ou um sorvete, enquanto apreciam as opções gastronômicas para o jantar.

Canhões

Em frente à Igreja de Nossa Senhora da Ajuda e Bom Sucesso, de modo artístico, está Jesus crucificado esculpido em metal, obra do artista Gilmar Pinna, que também expõe outras esculturas de sua autoria na praça do Saco da Capela.

Depois do passeio “urbano”, voltamos para água...

Algumas Cachoeiras

Cascading na 1ª queda da Cachoeira dos três Tombos

Nada melhor do que em plena ilha, no meio do mar, poder curtir a água doce de uma cachoeira! Tivemos a oportunidade de conhecer as principais da Ilha:

Cachoeira dos Três Tombos – Esta foi a Cachoeira que escolhemos para fazer um Cascading. Localizada próxima à praia da Feiticeira, como o próprio nome diz, ela possui três quedas. A trilha que leva ao topo da primeira é de fácil acesso, e baixa dificuldade.

Não é possível ter a visão dos três tombos da cachoeira de um só ponto mas, a trilha leva a visitar as três quedas.

No topo descortina-se um lindo cenário. As quedas formam duchas naturais e terminam em piscinas de águas cristalinas.

Tobogã da Cachoeira da Toca

Cachoeira da Toca – Fica localizada a 5 km da balsa, no sentido da baía dos Castelhanos. A maior atração desta cachoeira são os tobogãs formados pelo curso das águas, que levam a um mergulho numa piscina natural, garantindo muita adrenalina.

Cachoeira do Gato

Cachoeira do gato – O acesso a esta cachoeira se dá partindo de uma trilha que sai do lado esquerdo da praia de Castelhanos. Para chegar até lá, é aconselhável contratar o passeio de dia inteiro à praia de Castelhanos, e acompanhar o guia que leva até a queda de 70 m. que surge em meio à mata atlântica. É´ sem dúvida, um passeio imperdível.

Em Ilhabela, o que não faltam são praias, partimos então para água salgada...

Algumas praias

Praia do Sino

Em apenas uma visita é impossível conhecer todas as praias de Ilhabela, como nosso tempo estava restrito optamos por conhecer algumas delas:

Praia do Sino – fica ao norte da ilha a 4 km da Vila. É assim chamada porque algumas de suas pedras, quando batidas, soam como sinos de igreja. Conta-se que certa vez, o barulho dos sinos salvou a população da ilha que estava por ser atacada de madrugada por um navio pirata. Acordados com o barulho do sino das pedras, o povo pôde defender-se do ataque expulsando o navio.

Passarelas que levam às pedras

Com esta história (a qual impressionou o Matheus, nosso filho de 9 anos), ficamos sabendo que Ilhabela teve um grande movimento de piratas que, armavam tocaias esperando as frotas de D. João VI e outros navios mercantes que transportavam riquezas do Brasil para Portugal. Após os saques, costumavam abrigar-se nas enseadas da Ilha. Acredita-se que muitos tesouros foram escondidos por ali e que o pirata Thomas Cavendish teria sido enforcado durante um montim.

Uma passarela leva às pedras principais de onde podem ser “tocadas”.

Praia do Viana

Praia do Viana – Uma praia legal para mergulho livre. Apenas com uma máscara é possível observar muita vida marinha entre as pedras.

Praia do Perequê

Perequê – é uma das maiores praias da Ilha com um lindo mar azul, areia clara e muitos coqueiros que completam a paisagem encantadora do local. Tem uma grande infra-estrutura com quiosques, bares, hotéis e restaurantes. A maior parte das agências receptivas também se encontram lá.

Palmeiras na praia do Perequê

Praia das Pedras Miúdas – Foi a praia que escolhemos para mergulhar, pois fica em frente a Ilha das Cabras, no lado sul da Ilha. Nesta praia fica localizado o Santuário Ecológico Submarino protegido por lei da caça e pesca submarina. Num simples mergulho livre, é possível encontrar as mais variadas espécies de peixes ornamentais e outros habitantes marinhos, como a estrela do mar vermelha. Com sorte, é possível até ver cavalos marinhos. A Colonial Diver, a mesma que nos ofereceu a trilha subaquática, fica do outro lado da estrada e aluga equipamentos para mergulho livre. A praia também oferece boa infra-estrutura com bares e restaurantes.

Estrela do mar

Feiticeira – É uma das praias mais famosas ao sul da da Ilha, o acesso é feito por uma pequena (5 min.) trilha á pé. Não possui infra-estrutura, mas é uma praia linda que contrasta as cores das velas do kitesurf com a fachada do antigo engenho de cana-de-açúcar.

Praia do Curral – è a praia mais freqüentada do lado sul da Ilha, tem uma ótima infra-estrutura, mas normalmente está bem cheia, é uma boa opção para quem gosta de badalar.

Praia das Pedras Miúdas

Praia de Castelhanos – O acesso a esta praia é feito por veículos com tração 4 X 4 numa estrada bem acidentada. Fizemos o passeio de dia inteiro em Castelhanos, com visita à Cachoeira do Gato com a CIAVENTURA Espaço Ecológico. A praia tem águas agitadas e é muito comum surfistas estarem por lá, mas quando não há ondulação, é ótima para mergulho livre perto das rochas da ilhota, que fica bem no meio da praia. Existem restaurantes de caiçaras que servem peixes e o famoso prato “azul-marinho”, que é muito saboroso.

Ilhabela possui 39 praias e, o mais gostoso é poder voltar várias vezes para conhecê-las aos poucos, e ainda desfrutar de tudo mais que esta “Ilha da Fantasia” tem a oferecer.

Dicas dos autores

Autores

Este roteiro é indicado para crianças acima de 6 anos, inclusive para a hospedagem no Sítio Santa Seiva.

Pode ser feito o ano inteiro mas, entre abril e junho, e agosto e a primeira semana de dezembro é baixa temporada, os preços ficam mais acessíveis e a ilha com menos movimento.

Se tiver tempo, faça um passeio de escuna que leva à Praia da Fome e à Praia do Poço, vale a pena, as praias são pequenas e lindas.

Para quem curte mergulho (e está viajando sem crianças), Ilhabela tem a sua volta vários naufrágios e lugares belíssimos para esta prática.

Onde quer que vá na Ilha leve sempre um repelente, pois apesar de controlados, ainda existem muitos borrachudos por lá. Alguns lugares (como a cachoeira da Toca) possuem um óleo grosso de citronela oferecido gratuitamente no local. Apesar da “meleca” os borrachudos realmente nem chegam perto.

Não deixe de apreciar um por do sol na Ilha, é realmente um espetáculo. Existem vários pontos de onde se pode apreciá-lo. Se ficar hospedado no Sítio Santa Seiva, vá até a Costeira, se quiser algo mais badalado, vá até o Restaurante Nova Iorqu´i , se não der tempo de chegar a algum lugar, tente vê-lo de onde estiver mesmo!

Tenha sempre na mochila: Kit de primeiros socorros, repelente, protetor solar, água, algo para comer como bolachas etc, uma toalha e agasalho. Principalmente para os passeios de dia inteiro como para praia de Castelhanos.

Ilhabela possui muitas praias com acesso apenas pelo mar ou trilhas longas. Com crianças, fique atento, ao aventurar-se, só “bem acompanhado”, não arrisque, contrate sempre uma agência local de confiança.

·Consulte um site de previsão do tempo antes de programar sua aventura.

Serviços

Cia Aventura Espaço Ecológico
Av. Princesa Isabel, 605
www.espacoecologico.com.br
12 3896 3557

Colonial Diver
Av. Brasil, 1.751, em frente a Ilha das Cabras
www.colonialdiver.com.br
12 3894 9459

Sítio Santa Seiva
Av. Perimetral Sul, 14.446 – Ponta de Itapecirica
www.santaseiva.com.br
12 3894 9374

Porto dso Frades Nova Iorqui Bar e Restaurante
Av. Mario Covas Jr. 18322 – Frades
12 3894 1833

  
  

Publicado por em

Teresa lorenzo

Teresa lorenzo

12/04/2009 19:17:09
verdaderamente deus existe ele fez iso para nos cuidarparabens pelas fotos

Família Muller Aventura

Família Muller Aventura

Olá Tereza, Obrigado pelo comentário e elogio à nossa reportagem! Realmente Ilhabela é um local de natureza abençoada! Visite nosso site, faça seu cadastro e conheça outros destinos de ecoturismo e aventura: www.familiamulleraventura.com.br Grande abraço, Família Muller