Floresta Nacional de Ipanema

Mais que um passeio, uma viagem pela história do Brasil

  
  
Floresta Nacional de Ipanema

Floresta Nacional de Ipanema

Como chegar: Através da SP 280, km 99-B e SP 097 sentido Sorocaba. Na rotatória da Cruz de Ferro,pegar sentido Iperó até acesso à esquerda, para estrada de terra (5 km). Fones: (15) 3266-9099. De terça à domingo, 8:00 – 17:00 hs. Entrada R$ 5,00 por pessoa (crianças até 12 anos e acima de 65 anos estão isentos da taxa de entrada). As trilhas são feitas somente através de agendamento prévio e a taxa do monitor na trilha varia conforme a trilha escolhida.

A FLONA de Ipanema http://www.cidadedeipero.com.br/ipanema.html é uma reserva de cinco mil hectares de mata atlântica, administrada pelo Instituto Chico Mendes de conservação da biodiversidade.
É um Parque diferente. Em 5.000 hectares abriga reserva ecológica, fazenda e prédios históricos.

Casa da Guarda

Existem três trilhas:
A Trilha de Affonso Sardinha : tem 5.779 m de extensão, 1 hora de duração aproximadamente e considerada de nível média. Nesta trilha estão situadas as ruínas de fornos tipo “catalães”, construídos pelo bandeirante Afonso Sardinha, em 1597. Estes fornos foram utilizados para a fabricação de ferro, pois ao invés de achar ouro e pedras preciosas como imaginava inicialmente, Sardinha acabou encontrando magnetita, diorito e outros minerais próprios para fundição. Essas ruínas marcam o início da siderurgia no Brasil.

Interior da Casa da Guarda

A Trilha das Ruínas históricas : tem 1.200 m, duração de aproximadamente 45 minutos e considerada de dificuldade baixa.Abriga ainda um sítio arqueológico com cerca de 20% das instalações preservadas da Real Fábrica de Ferro de Ipanema, que funcionou de 1811 à 1895. Na parte histórica do passeio, fornos, locomotivas, tornos e rodas d'agua mostram como os primeiros artefatos de ferro fundido do Brasil foram feitos. As instalações contam com um forte, uma represa, a casa colonial onde funcionava o escritório da fábrica, e que inclusive hospedou D. Pedro II , os fornos e a fábrica de armas brancas.

Gruta do Monge

A Trilha da Pedra Santa: tem 5.753 m de extensão, duração de aproximadamente 3 horas, considerada média e o nome desta trilha tem origem na figura lendária do monge Giovanni di Augustini, que viveu no Morro Araçoiaba entre 1844 e 1852, numa fenda na rocha de arenito, que passou a ser denominada Pedra Santa, pois lá ele fazia pregações e profecias. Francisco Adolfo de Varnhagen, primeiramente Barão e posteriormente denominado Visconde de Porto Seguro também é lembrado, pois a trilha leva até o monumento. Do monumento de Varnhagen é possível observar Iperó, Boituva, Votorantim e Sorocaba.

A primeira represa do Brasil

Reservamos o passeio na sexta-feira à tarde com o Rafael, para o sábado de manhã e combinamos fazer a trilha da Pedra Santa. Ele nos recomendou levar água, um lanche e a trilha ficaria R$ 60,00 para um grupo de até 6 pessoas. Acima de 7 pessoas, cada integrante do grupo pagaria R$ 10,00.
Chegamos à Flona por volta de 9:30 hs, e encontramos um grupo de estudantes da Universidade de Sorocaba, de arquitetura e sua professora visitando o local junto com o nosso mais recente amigo, Rafael.

Ponte sobre o Rio Ipanema

O que poderia ser um transtorno, acabou se mostrando no final, uma grande oportunidade, pois acabamos visitando o roteiro histórico antes da nossa trilha marcada, tivemos informações sobre detalhes das construções que não prestaríamos atenção se estivéssemos sós, além de ter acesso a locais que só foram abertos por estarmos com o grupo de estudantes de arquitetura.
A visita começou por volta de 10:30 praticamente, e visitamos a Casa das Armas Brancas, o Casarão, a primeira represa do Brasil, o portão homenageando a maioridade de D. Pedro II, os Altos Fornos, a ponte sobre o rio Ipanema,a Casa da Guarda e a Serraria,entre outros. As construções são impressionantes,algumas delas em processo de restauro. Como sempre, as fotos não dão a dimensão real do que vimos lá. É uma verdadeira viagem no tempo e um mergulho na história do Brasil. Se o passeio terminasse aqui, nossa visita já teria valido a pena!

Altos Fornos

O Rafael correu com a monitoria ao pessoal da Universidade por nossa causa, e ao meio dia a visita às ruínas históricas já terminava.

Descansamos por uma hora, aproveitando para um pic-nic sob as árvores frondosas e esperar nosso monitor também para a segunda parte da visita.
Iniciamos a segunda parte do passeio, a trilha da Pedra Santa, às 13:00 hs, acompanhados pelo Carlos, que visitava o local e se juntou ao nosso grupo para a trilha, e por conta do horário, o Rafael aconselhou que fizéssemos somente metade da trilha, até a Gruta do Monge e retornássemos de lá.
Estava um calor muito grande, muito abafado, encontramos na subida uma turma de estudantes entre 8 e 10 anos, que visitavam o Parque numa excursão e as palavras de incentivo: ...”-Nossa! Ainda bem que estamos no final da trilha!!!..., “-Olha!, Vocês que estão subindo agora, se preparem, é muuuuita subida!!!!”....”-É melhor vocês levarem muuuita água, viu. Logo no começo da trilha vocês já vão ter acabado com a água!...” e por aí vai, e o cansaço estampado no rosto da criançada realmente foi encorajador....rsrsrs
O calor foi amenizado quando pegamos a trilha por dento da mata, e aí, fizemos algumas paradas estratégicas, com direito a orientações sobre a fauna, a flora e até da geologia local, impressionantes, pelo Rafael, com direito até a “prova oral” da criançada, como disse a Júlia.

Gruta do Monge

Chegamos à Gruta do Monge, o Rafael nos contou sobre a história do monge, da procissão que os moradores locais fazem até a gruta, paramos mais um pouquinho, e descemos a trilha, de volta, desta vez, fora da mata, por um caminho mais aberto, (e bem mais rápido).
No caminho, o Rafael nos contou que existe a possibilidade de pernoite lá em cima, na Pedra Santa, ou que daria para fazer uma trilha noturna também, levando barraca e pernoitando na área na frente do centro de visitantes. Imagina se já não nos animamos, com a idéia!!!
Nos despedimos, do Carlos e depois do Rafael, certos de que iremos voltar para uma das possibilidades que ele nos contou.

Nossas impressões: O passeio vale muito a pena, é pertinho de São Paulo, vale como passeio de um dia, uma alternativa ótima a programações “shoppings” óbvias, é muito acessível, para as crianças (e adultos) um passeio na história do Brasil de forma lúdica e agradável,além do contato com a natureza. Foi um passeio que nos surpreendeu e recomendamos!

  
  

Publicado por em

Jakson

Jakson

20/10/2013 13:09:26
É verdade que essa floresta nacional não possui tratamento de esgoto e os detritos dos moradores e dos funcionários são jogados diretamente no rio Ipanema?

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá Jackson, Onde você obteve esta informação? Infelizmente não sei responder a você, aconselharia você a contactar o pessoal do ICMBio para questionar sobre isto: [[http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/visitacao/visite-as-unidades/2680-floresta-nacional-de-ipanema.html |]] Marcia
Luca

Luca

14/01/2013 12:00:46
Olá!
Estou me programando para fazer um passeio com minha familia para conhecer a fazendo. Gostaria de saber se precisamos agendar o passeio antes de chegarmos ou temos a opção de conseguir um guia na hora da chegada? E existe algun restaurante na fazenda?

Obrigada
Abraços!

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá Luciana! Obrigada pela leitura! Como demorei para conseguir responder, não sei se você já foi visitar a Flona, mas na época que fomos, você precisava agendar sim, o passeio, no telefone que indiquei no texto. Não havia outra forma de contato. Se você for somente para conhecer o Roteiro histórico, pode ser que consiga acompanhar algum grupo, porém se for para uma das trilhas, não irá conseguir fazer. Não existia na época, restaurante no local. Levamos um lanche e fizemos um pic-nic aos pés das frondosas árvores de lá. Um abraço, Marcia
Yolanda Bezerra de Andrade

Yolanda Bezerra de Andrade

15/07/2011 09:36:50
A TURISMO.edu - Educação, Cidadania e Turismo - também organiza o passeio para grupos e custa R$30,00 com transporte, lanche, entrada e trilhas (Pedra Santa + Afonso Sardinha + Sítio Histórico)
(Visite o site: www.turismoedu.eev.com.br).

Abraços

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá Yolanda! Obrigada pela leitura e pelo comentário! Fica aqui a dica para os interessados também! Um grande abraço! Marcia,João e Júlia Os caminhantes
JONES P DA SILVA

JONES P DA SILVA

26/04/2011 13:11:21
Olá pessoal que viagem?!
tenho trabalhado muito como nossos irmãos brasileiros
e quando encontramos uma historia como esta viajamos no tempo ,obrigado por nos proporcionar momentos como este,um dia terei o praser de conhece-los pessoalmente p uma aventura como esta.

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá Jones! Muito obrigada pelo seu comentário! Nós é que agradecemos o incentivo e esta realmente é nossa intenção, compartilhar momentos, relatos e locais que passamos com mais pessoas que quiserem se juntar à nós! Um grande abraço! Marcia, João e Júlia Os caminhantes
Maria foureaux

Maria foureaux

25/04/2011 21:31:15
moro em minas,bh,como seria pra chegar,onde ficar,
custos,reservas,duracao da caminhada,muito obrigada
maria foureaux

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá Maria, Obrigada pelo comentário e desculpe pelo grande atraso na resposta, mas estava meio atrapalhada... O melhor acesso realmente acredito que seria pela Rodovia Castelo Branco, depois da chegada à São Paulo, como descrevemos na postagem. Os custos: seriam R$ 5,00 a entrada, mais o custo da monitoria, dependendo da trilha que vc escolher, que podem ser: Trilha do Affonso Sardinha, de 1 h de duração, Ruínas Histórica, de 45' e da Pedra Santa, de 3 horas, aproximadamente. Não sabemos indicar onde ficar, pois como moramos em SP, fomos e voltamos no mesmo dia, mas ligue para o pessoal da Flona (15)3266-9099, que certamente indicarão os melhores lugares para ficar e para efetuar a reserva. Não temos o endereço eletrônico, também efetuamos a reserva por telefone, e fomos muito bem atendidos. Um grande abraço! Marcia, João e Júlia Os caminhantes
Jair Rosas da Silva

Jair Rosas da Silva

25/04/2011 16:31:46
Ja que se trata de um site para estudantes, precisamos esclarecer alguma coisa:
O barão e, posteriormente Visconde de Porto Seguro, chamava-se Francisco Adolfo de Varnhagen e não como esta escrito no site.
Os seus restos mortais encontram-se em Sorocaba, mas não no local do monumento informado no site.

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá Jair, Obrigada pelo seu comentário e sua informação já foi acatada e corrigida na nossa postagem. Sinta-se à vontade se houverem outras correções, por favor. Marcia, João e Júlia Os caminhantes
Telma Javoski

Telma Javoski

23/04/2011 13:08:37
Gostei de conhecer vocês e suas aventuras, pelo Blog, através da Econ News.
Quem sabe, um dia, terei a oportunidade de conhecê-los pessoalmente e fazermos alguma coisa juntos???...
Parabéns pelo espírito de grupo que desenvolvem.
Telma

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá Telma! Muito obrigada pelo comentário! Seria um imenso prazer nos conhecermos pessoalmente sim, e marcarmos para um passeio juntos! Estarei encaminhando nossos contatos no seu e-mail particular. Nossa intenção é essa mesmo, compartilhar um pouquinho das nossas andanças por aí com quem já anda com a gente e também com quem tenha interesse como você! Um grande abraço! Marcia, João e Júlia Os caminhantes
Carmen ferreira

Carmen ferreira

21/04/2011 20:27:03
Olá,

Gostaria de entrar em contato com o guia Rafael. Como faço?

Desde já agradeço a informação.

Carmen Aguileira

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá, Carmem A maneira mais fácil é ligar para o Parque mesmo. O telefone é: (15) 3266-9099. Mesmo que ele esteja guiando ou fora do Parque, o pessoal da administração costuma pegar o recado e passá-lo. Um abraço! Marcia, João e Júlia Os caminhantes
Abdon monte

Abdon monte

20/04/2011 21:34:37
local interessante.Os primeiros fornos do Brasil, nunca tinha ouvido nada parecido.

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá, Abdon! Muito obrigada pelo comentário! Pois é, um local bastante interessante e que nunca ouvimos falar também, por isso é que nos surpreendeu tanto! Um abraço! Marcia, João e Júlia Os caminhantes
CARLOS

CARLOS

20/04/2011 10:50:35
MUITO INTERESSANTE VCS PODIAM MANDAR VALORES
DE PACOTES.
CARLOS CORREIA

Os Caminhantes

Os Caminhantes

Olá Carlos! Obrigada pelo comentário! Na verdade, o "pacote" é definido pelo próprio visitante com o monitor. A entrada, custa R$5,00, para crianças até 12 anos e adultos acima de 65 anos, a entrada é gratuita.Nós pagaríamos R$60,00 pelo percurso até a Pedra Santa, mas como acabamos indo só até metade do percurso, este valor acabou caindo para R$ 30,00. Verifiquei que a Pisa Trekking organiza o passeio também,e custa R$ 198,00 por pessoa com o transporte e o lanche de trilha (segundo o site da empresa). Abraços! Marcia, João e Júlia Os caminhantes