Dia 1 | De Parnaíba para Teresina

Dia de sair de Parnaíba, coloquei o celular para despertar as 5:00AM, e como fui dormir tarde tratando as intermináveis fotos de Jericoacoara, deu preguiça para levantar

  
  

Dia de sair de Parnaíba, coloquei o celular para despertar as 5:00AM, e como fui dormir tarde tratando as intermináveis fotos de Jericoacoara, deu preguiça para levantar, enrolei na cama até as 5:30AM e então me levantei para ir tomar o café da manha, a Tia Conceição, a mãe de Leandro, fez uma tapioca deliciosa. Após o café, carreguei a bicicleta me despedi e pedal na estrada.

A estrada é bastante vazia, e os rios que possuem no caminho estão praticamente secos, porém, mesmo assim continuam belos e compõem uma paisagem muito gratificante. Sigo pedalando por uma hora e meia quando chego na cidade de Buriti dos Lopes, a 30km de Parnaíba, a partir dali eu sabia que a cidade mais próxima estaria muito longe e então eu não teria apoio para almoçar, tinha que comprar suprimentos para fazer meu almoço.

Até agora a estrada é muito boa, acostamento largo, de qualidade e com pouco movimento de carros só tem o problema humano de jogar lixo janela a fora, vi muitas latas, garrafinhas de água, embalagem de salgadinhos e sacolas plásticas, materiais que levam muito tempo para se decompor no meio ambiente, e poderiam ser reciclados. É interessante falar também que vários animais confundem, principalmente aves que se alimentam de peixes e algas, as sacolas plásticas com alimento e acabam morrendo sufocadas. Por isso, por favor não joguem lixo na rua ou em qualquer lugar, além de ser muito feio atinge seres vivos que não tem nada haver com nosso consumo desenfreado.

Chegando próximo das 11:00AM encontrei um rio na estrada e decidi fazer uma parada para tomar banho. Quando cheguei na margem tinham 3 rapazes e uma criança, acredito que era uma família que morava pelas redondezas, eles estavam pescando com tarrafa e estavam acendendo uma fogueira, não eram de conversar muito, então só tomei meu banho, descansei um pouquinho e voltei para o pedal. Até agora não tinha passado por nenhum povoado e cada vez mais ficava mais quente, por volta das 12:30PM passei por dois bares sem movimento algum, eles estavam fechados, e um deles tinha uma varanda, perfeito para eu fazer a parada, descansar para seguir viagem mais tarde.

As 14:20PM voltei ao pedal e o calor ainda estava daqueles, igual ao das 12:00PM, minhas águas estavam todas quentes, ao ponto ficar insuportável para consumo, bebia porque não tinha outro jeito. Felizmente pouco mais a frente tinha um povoado e eu parei para pedir uma água gelada, foi a salvação, deu para refrescar. Aos poucos começavam a aparecer sinais de civilização, em um posto de gasolina eu comprei uma garrafa de 1,5L de água, gelada, e tomei um banho com roupa e tudo para manter uma temperatura e seguir viagem, cada vez estava mais próximo de Piracuruca, foi a cidade que decidi parar.

Próximo das 5:00PM já estava no quilometro 100, faltando apenar 30km para chegar, mais a frente encontrei um motoqueiro com o pneu furado, parei para ajudá-lo mas não conseguimos remover o pneu, e ainda por cima ele foi muito mal agradecido, confesso que fiquei com raiva. Pouco mais de 40min cheguei em Piracuruca, já estava anoitecendo, com um por do sol muito bonito. Mais a frente, perguntei onde tinha um lugar para passar a noite que fosse bem baratinho, me indicaram a pensão de Cláudio, que custou R$ 10,00. Tomei um banho e fui comprar algumas coisas para fazer meu jantar, cair na cama e dormir.

  
  

Publicado por em