Maranhão um Estado Lindo e Esquecido

Ciloviagem pelo Piauí e Maranhão a Caminho dos lençois Maranhenses. Momento de muita reflexão sobre o país.

  
  

No dia 31 de Abril eu preparei minha saída de Teresina, tive que pegar um ônibus para voltar pra Parnaíba, e deixar o plano de seguir por Esperantina, conhecer a cachoeira do urubu e outras cidades do interior do Piauí, por conta de que tive conhecimento que Argus, do projeto pedalando e educando estava pelo nordeste, eu entrei em contato e combinamos de viajar um trecho juntos, então tinha que estar lá no dia 01 de abril.

Me despeço de Teresina, onde fiquei quase um mês, a cidade mais quente do Brasil até agora, se acostumar com o calor é muito difícil, inclusive para os Teresinenses, e olhe que eu não estava no tal período denominado de “BR ó BRO”, que são os meses que possuem a tal terminação, setembro, outubro e novembro, é o período de clima quente e seco, as temperaturas se elevam bastante e piorando com a baixa umidade, confesso que tenho até medo dessa época, mas agora sigo adiante e volto para o litoral, onde a brisa marítima chega e refresca o ambiente.

Nessa viagem tenho vivido diversas situações e a que senti mais claramente são as climáticas, por enquanto são situações de extremo calor devido ao verão e a região nordeste e aos poucos vou me afastando.

Lembranças

Deixo abraços e agradecimentos para Diego Pearce, Ricardo, Nayane Franquilin, Caliane Nery e família pelo apoio, Paula Fortes, Justine e Juscelino, Aracele Torres, Philipe, Marina, Francisco, o pessoal do Pedal Noturno, a Raquel Carvalho por todas as informações sobre a infraestrutura cicloviária da cidade, ao pessoal do Nós Podemos Piauí, e a Disraeli Rocha.

Nova Etapa

Preparação
Hospitalidade

Agora começa mais uma nova etapa, saio de Parnaíba em direção ao Maranhão, dessa vez acompanhado por Leandro, que fará sua primeira cicloviagem e Argus Caruso, do Pedalando e Educando. Pegamos um trecho alternativo com estrada de terra, bem agradável e divertido pelas poças de lama formada pelas chuvas, são obstáculos imprevisíveis por não sabermos sua profundidade então as vezes atolávamos as bicicletas atolando os pés na lama.

Paisagens
Maranhão

Assim chegamos a fronteira do Piauí e do Maranhão, de imadiato já notamos a precariedade do estado, a cidade da fronteira não possui água encanada, tão pouco apoio para nós compramos comida, só encontramos uma vendinha bem simples, compramos um bolo para prorrogarmos a fome do almoço. Nesse meio tempo uma senhora, de seus aparente 70 anos, apareceu e reforçou a falta de infraestrutura do lugar, Argus replicou que todos tem culpa por esta situação, por suas decisões nas eleições. O estado do Maranhão foi governado por José Sarney por 4 anos que pouco contribuiu para o desenvolvimento do estado, principalmente Educação, foi onde percebemos a maior deficiência. Sarney iniciou a carreira como suplente de deputado federal em 1950 sendo convocado posteriormente, após isso, foi senador, presidente, e voltou ao senado, onde possui cargo até o final de 2010.

Isso me faz refletir bastante sobre nossa política, que parece mais uma profissão no país, e pior, todos vêem como uma oportunidade para fazer seu “pé de meia”. José Sarney está completando 50 anos em cargo público, sendo o mais antigo parlamentar no congresso, vivendo do nosso dinheiro, contribuindo pouquíssimo na qualidade social e ainda pior, mostrando que a justiça eleitoral não tem a moral de punir suas ações escandalizadas no ano passado, a utilização da mídia em favor próprio, que veio eleger sua filha, Roseana Sarney, a governadora do estado do Maranhão.

Segundo a Veja, "o resultado desse domínio é visível a olho nu: a família Sarney está milionária, mas o Maranhão lidera o ranking brasileiro de subdesenvolvimento." E eu pude conviver com isso. Nós precisamos encarar as eleições com muita seriedade, deixar de vê-la como uma competição, onde temos que votar no que vai ganhar ou o mais popular, cansei de ouvir isso das pessoas, “mas ele(a) não vai ganhar mesmo”, se continuarmos pensando dessa forma quem perderá seremos nós. As eleições vem ai, a decisão está em nossas mãos.

Rio Magu

Após o almoço seguimos pela estrada, e como era de se esperar, em péssimo estado de conservação até a cidade de Cana brava, lá ficaremos com a família de Leandro, na casa de sua tia Gorete. Conhecemos o Rio Magu, muito belo e ainda não foi contaminado pela poluição. O saudo do dia, 80 quilometros de muito aprendizado e reflexão.

  
  

Publicado por em

Viajante

Viajante

16/06/2010 15:04:39
Bem interessante essa viagem do Piauí ao Maranhão. Gostei muito também das suas observações sobre a situação social dessa região tão fascinante, mas tão castigada pelas velhas e novas oligarquias que exploram e oprimem o povo até a última gota de sangue. Estive por lá diversas vezes e constatei o mesmo: de um lado, paisagem e povo maravilhosos, de outro lado, classes dominantes cruéis e sempre associadas ao grande capital estrangeiro. Denúncias como essa são essenciais para as esperadas mudanças.
Quaisquer dúvidas, sugestões ou comentários estou no blog: http://www.viajantesustentavel.blogspot.com/. Abraços!

Felippe César Santana

Felippe César Santana

Obrigado pelo comentário Viajante! bom e triste ver que tivemos a mesma impressão do estado.