O resgate do Thor em Cartagena continua!

Continuação da Novela...

  
  

17 - No Sábado foram todos cedo para a DIAN do bairro El Manga, onde informaram que não havia qualquer fiscal ali, mas que poderiam chegar a qualquer momento, até o meio dia;

A Muralha

18 - Tomaram um táxi até o Porto, já que aí deveria haver um fiscal, chegando lá, o mesmo não havia chegado ainda. Após uma hora chegou o dito cujo, mas, como não era o mesmo fiscal que estava marcado no documento, aquele que deveria estar no dia anterior, ele não poderia assinar. O fiscal tentou localizar o colega, mas foi em vão e os aconselhou a retornar à DIAN Cargas, onde o documento havia sido feito, porque o fiscal estaria lá com certeza;

19 - Tomaram outro táxi e lá chegaram, rapidamente perguntaram pelo fiscal e lhes informaram que o mesmo já havia saído, contaram o caso à funcionária e, a mesma, se limitou a passar o telefone celular do tal fiscal e que não poderia fazer nada. Neste meio tempo, a funcionária que lhes atendeu no dia anterior veio perguntar o que havia acontecido e tentou, ela mesma, contato com o fiscal, mas, por fim, pegou os documentos e trocou o nome do fiscal, colocando o nome do que estava no Porto naquela hora;

20 - Tomaram outro táxi até o Porto e foram correndo falar com o tal fiscal, mas o mesmo não se encontrava em sua sala, correram atrás dele pelo Porto, até que o avistaram, foram falar com ele e, logo, olhou o documento constando o seu nome, disse que agora sim, poderia assinar, mas estava ocupado naquele instante, tinha que fazer uma vistoria distante e tínhamos que esperar, o Cláudio argumentou sobre o horário, mas ele disse que dava tempo...;

21 - Voltaram até a porta da sala do fiscal e aguardaram uma meia hora até que retornasse, retornou e não os atendeu de imediato, resolvendo outros casos. O Cláudio contestou e o mesmo começou a olhar os documentos, assinou e disse que precisavam da última assinatura, a do chefe da Divisão de Comércio Exterior na DIAN de El Manga;

Luz Noturna

22 - Saíram dali perto do meio-dia, tomaram outro táxi e chegaram à DIAN antes das 12h, o chefe estava aí e após alguns minutos, saíram com os documentos assinados e, na doce ilusão de que iriam chegar e pegar o carro, ledo engano;

23 - Tomaram o último táxi, voltaram ao Porto "El Bosque" e foram à Central de Documentos, tiveram que enfrentar uma grande fila que não andava, já que todos que ali estavam eram despachantes, eles chegavam à fila e avisavam ao que estava na frente: "ó eu estou atrás de você, já volto logo", e saíam para resolver outra coisa, resultado, a cada minuto chegava um e entrava na frente, dizendo que já estava ali, uma piada. Quando, finalmente, chegou a nossa vez, a funcionária (a mesma do dia anterior) informou que deveriam ir até o Setor Operacional para pegar as chaves e liberar o veículo, O Cláudio argumentou que já possuía as chaves, mas a mesma disse que deveria ir ao dito Setor e que não deveria ter ficado com as chaves;

24 - Voltaram ao Setor pensando que seria apenas uma formalização da entrega das chaves, mas não era bem assim, o funcionário revisou todos os passos e disse que faltava um outro documento da DIAN, o Cláudio insistiu que era somente aquele documento, o funcionário retrucou que não, "todavia falta", ó frase terrível..., o Cláudio mostrou ao funcionário um papel da empresa "Seaboard" onde mostrava todos os passos para a liberação, mas o mesmo não se convenceu e chamou uma pessoa que acabara de entrar na sala, este disse que não faltava mais nada, era apenas este documento, ufa! O funcionário não falou nada, retornou a sua mesa, continuou revisando, e disse: "preciso vistoriar os carros."

Sem palavras...

25 - Voltaram aos carros, o funcionário checou novamente o numero de chassis e retornaram ao Setor;

26 - De volta ao Setor Operacional o funcionário começou a fazer um novo documento para que pudessem sair do Porto, carimbo aqui, outro ali, sai, retorna, parecia estar com medo de liberar e faltar alguma coisa, mas, finalmente, puderam sair, não acreditaram muito, já esperavam uma tremenda demora na portaria para conferir tudo de novo;

27 - Faltava a tal carretinha dos mineiros..., foram juntos buscar em outro setor do porto, demorou mais de uma hora para que se pudesse tirá-la do local, passando, enquanto aguardavam, vários "containers" carregados sobre suas cabeças e nem um capacete para proteger ....rsrsrs;

28 - Retornaram aos carros para saírem do porto, o Cláudio foi devagar já esperando alguém mandar que parassem, dito e feito, teve que mostrar os papéis, o funcionário conferiu mais uma vez o número do chassis e estava liberado por volta das 15h, não dava para acreditar, estava com o Thor nas ruas de Cartagena... Inacreditável!!!!!!!

Todo o tempo em que o Cláudio ficou resolvendo a liberação do carro, fiquei trabalhando no site. Chegaram ao meio dia, guardamos o carro no estacionamento e fomos almoçar juntos, foi maravilhoso! Os meninos foram descansar e nós fomos caminhar na cidade.

Os mineirinhos

Cartagena de Indias, em torno de 900 mil habitantes, famosa por suas muralhas que foram construídas na época colonial espanhola, é um dos destinos turísticos mais procurados da Colômbia, tanto por nacionais, quanto estrangeiros. Foi fundada em 1º junho de 1533 por Don Pedro de Heredia, a antiga população de Calamarí (nome adotado pelos primeiros nativos), sofreu fortes ataques espanhóis, razão pela qual em 1637 foram levantadas as muralhas que rodeiam a cidade. Tombado como patrimônio histórico da humanidade em 1984, o que justifica, pois seus casarios antigos estão preservados e belos. Se chama "Cartagena de Indias" porque se tornou um forte ponto comercial, assim sendo conhecida como "A Rainha das Índias". Revolucionários nacionalistas liderados por Símon Bolívar, chamado o Libertador, tomaram a cidade dos espanhóis em 1815, perderam neste mesmo ano e recuperaram-na em 1821.

Andar pelas ruas e ver toda aquela arquitetura é realmente encantador, mas não sabemos explicar ao certo, a energia da cidade não nos agradou, existe um forte modismo... Não gostamos de fazer comparações, pois cada lugar tem a sua beleza e particularidade, mas, infelizmente, esperávamos encontrar um povo amigo e acolhedor como em Bogotá, não foi o que encontramos, e nem tampouco, aquele café maravilhoso da Serra Colombiana.

  
  

Publicado por em

Toni Lee

Toni Lee

28/12/2009 18:34:53
Já passei por situações de "abusos burocráticos" aqui no Brasil mas, esta pela qual vocês passaram em Cartagena é de tirar monge tibetano do sério! Isto é um abuso, uma falta de respeito! Quem eles pensam que são?

Joyce e Cláudio Guimarães

Joyce e Cláudio Guimarães

É Toni não foi fácil, mas qdo se está viajando temos que estar preparado para essas eventualidades... Para saber mais visite o nosso site: www.terrasemfronteiras.com Abraços!