De Boa Vista a Roraima

Resolvemos conhecer um pouco da cidade de Boa Vista, calma, limpa e bonita

  
  
Boa Vista

...Logo cedo, fomos ao Consulado da Guiana para solicitar a tal da autorização, chegando lá, uma grande decepção, o agente consular nos disse que a lei foi alterada e só teríamos a autorização em 15 dias, ou seja, nos jogou um balde de água fria!!!! Mas, ainda nos deu uma esperança, disse que iria tentar agilizar de alguma forma e que às 15h era para voltarmos lá e ver o que conseguiu. Voltamos no horário combinado e nada feito, resolvemos então conhecer um pouco da cidade de Boa Vista, calma, limpa e bonita caminhamos sem problemas, tomamos um gostoso café e voltamos ao hotel para, amanhã, seguirmos para Manaus, ao mesmo tempo que ficamos tristes por não ir a estes três países, ficamos alegres de podermos conhecer Manaus e descer o Rio Amazonas.

Neste hotel em que ficamos estava a venda um livro bastante interessante, "Conversando com Guilhermo" de Bruno Garmatz, começamos a lê-lo e a história é fantástica, coincidência ou não, Guilhermo é um aventureiro que rodou o mundo a pé, passando por muitas alegrias e dificuldades, sempre sozinho, nunca quis casar, pois achava que uma mulher o deixaria preso e não poderia continuar suas aventuras, conheceu pessoas ilustres e possui uma memória invejável, homem decidido, nasceu na Costa Rica, e veio terminar sua trajetória em Roraima(vive aqui há,mais ou menos, 30 anos).

  
  

Publicado por em