Caminhos que levam à Quito

Seguimos pela autopista, em nossa companhia o Vulcão Chimorazo, o ponto culminante do Equador,

  
  

Após uma noite razoável de sono, levantamos cedo, pois havia muita estrada pela frente, quando fomos pegar o carro, novamente, mais uma vez, o pneu estava vazio, o mesmo pneu, também depois daquela estrada esburacada, era de se esperar. Estamos deixando para trocar os pneus no Panamá, o ideal seria ter feito no Brasil, mas como, infelizmente, não conseguimos patrocínio, deixamos para fazê-lo num lugar mais barato...

Vulcão Chimorazo

Seguimos pela autopista, em nossa companhia o Vulcão Chimorazo, o ponto culminante do Equador, quase todo coberto de neve contrastava com o céu de brigadeiro, belas imagens...

Tentamos chegar à cidade de Baños, mas, devido às intensas chuvas que caíram no Equador, o acesso a este importante reduto turístico estava impedido. Já que não havia jeito, por nenhuma parte, seguimos viagem até a Laguna Quilotoa partindo da cidade de Latacunga, uma estrada sinuosa e estreita, levamos umas 3 horas de viagem, o visual era simplesmente maravilhoso, parecia que estávamos olhando uma imensa colcha de "patchwork", todas as montanhas são áreas de cultivo, como pode se plantar e colher numa área tão íngreme e, ainda, na altitude? Homens, mulheres, crianças e animais, todos trabalhando na agricultura. Ao mesmo tempo em que era bonito, também era triste, imaginar que ali poderia ser ou já foi algum dia uma grande floresta de árvores nativas...

'Patchwork' nas montanhas

Algo que nos chamou atenção foi ver o povo tipicamente trajado, as famosas cholas vaidosamente vestidas, colares e muito brilho. As crianças sempre curiosas nos davam tchau, ou se aproximavam querendo que tirássemos fotos suas, porém teríamos que pagar, o que foi bastante desagradável, mas, felizmente, não eram todas.

Quando chegamos à Laguna, que surpresa maravilhosa e encantadora, uma enorme cratera de um vulcão extinto, com águas verde esmeralda, variando para verde claro em suas extremidades, é realmente fantástica a visão. Fazia um frio terrível, com um vento cortante, fizemos muitas fotos.... e baixamos aquela serra colorida para dormir na cidade de Lasso, "Hosteria Posada del Rey", onde experimentamos um maravilhoso suco de tomate (um tipo de tomate doce que só serve para s

Laguna Quilotoa

uco ou sorvete e que só encontramos aqui no Equador).

Bem cedo, seguimos viagem rumo a Quito, porém, ao passarmos pela entrada do P.N. Cotopaxi, fizemos um desvio. É o parque mais antigo do país, com exceção de Galápagos. A sua grande atração é o vulcão Cotopaxi com 5.897 m, é um dos vulcões ativos mais alto do mundo. Seguimos por uma bela estrada, ora com neblina, ora sol, até chegarmos a margem da "Laguna de Limpiopungo", havia muitos turistas, inclusive, para variar, o Thor, centro das atenções, distribuiu alguns cartões do nosso site. Dentre eles, um canadense muito simpático, morador de Quebec, Georges Dussault, mais uma vez o meu marido colocou em prática o seu francês, nos deu o seu endereço para quando estivermos passando pelo Canadá, chamá-lo.

Em seguida, pegamos a estrada para subir o vulcão, que visão impressionante, que imagem imponente... Ao sairmos do carro, que susto... havia um vento cortante e amedrontador, mal conseguíamos caminhar... mesmo assim, resolvemos seguir adiante, começamos a subi-lo a pé, estávamos a 4700 m, rodeados por gelo, faltando ar e lutando contra o vento... subimos mais um pouco e logo vimos que não estávamos preparados para tanto, pois o frio era intenso devido ao vento... foi uma grande aventura, emocionante... A natureza não manda recado...

Já estávamos bem próximos a Quito, cidade histórica, uma das mais antigas capitais da América do Sul, situada a 2.850 m de altitude, na base do vulcão Pichincha. Apesar de ser a capital, não é a maior cidade do País, possui, aproximadamente, 1.400.000 habitantes. Ela está basicamente dividida em dois centros, centro novo e centro antigo, este é maravilhoso, tem um charme encantador, inclusive, em 1978, a cidade foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Depois de caminharmos pela cidade e curtir uma bela luz de final de dia, fomos a procura de um hotel, já com um mapa na mão, fomos ao Hotel Embassador, estava lotado, então ficamos num a frente deste, "Hotel 9 de Ouctubre", simples, porém limpo. Geralmente, o café da manhã (desayuno) não está incluso no valor da hospedagem, isto é bem comum no Equador. No hotel havia um segurança que nos deixou um pouco assustados, pois tinha 2 armas, então perguntamos, "aqui é perigoso?", ele: não, isto é o normal...

  
  

Publicado por em