Chegamos nos EUA!

Achávamos que iríamos, de cara, treinar o nosso inglês, doce ilusão, ficamos espantados, todos falam em espanhol... a influência do México é fortíssima por aqui... parecia que não havíamos saído daquele país.

  
  
Fonteira México x EUA

...Decidimos trocar os pneus por aqui mesmo, pois não tínhamos mais estepe e seria muito arriscado viajar com aquele pneu pequeno, deixando o carro totalmente instável, com era domingo, só havia o Wall Mart para isto. Infelizmente, não havia o pneu que queríamos, mas era impossível seguir, então compramos um único que servia para o nosso Thor... Enquanto trabalhavam no nosso carro, fomos comer e dar uma volta no supermercado... aproveitamos para ligar para Simone, uma amiga de Jaraguá do Sul que irá nos receber em San Diego, para avisar que não conseguiremos chegar hoje e que, amanhã, estaremos por lá.

Achávamos que iríamos, de cara, treinar o nosso inglês, doce ilusão, ficamos espantados, todos falam em espanhol... a influência do México é fortíssima por aqui... parecia que não havíamos saído daquele país. Após trocarmos os pneus, o Thor era outro, completamente diferente!!!

Rainbow, Arizona

Ao pegarmos a estrada, tivemos que utilizar muito a matemática... aqui as unidades de medida são todas diferentes... nas placas a velocidade e quilometragem estão em milhas, a altura das pontes e viadutos estão em pés, a temperatura em Fahrenheit e a balança onde me pesei estava em libras, é... o americano gosta mesmo de ser diferente...

Através das nossas pesquisas, já sabíamos que nos EUA é bastante forte a indústria de RV (residential vehicle), são grandes traillers ou motor homes, e que camping não seria problema... realmente, pela estrada já havia indicações de vários, resolvemos dormir em Marana, próximo de Tucson, ficamos espantados com o conforto que o RV oferecia, um belo espaço para acampar, cozinha equipada com fogão, microondas, forno, tudo automático, lavanderia com máquinas de lavar e secar, piscina, belo banheiro, nossa estava melhor que a nossa casa... chegamos e não havia ninguém para nos receber, fomos até o "office", a recepção, e lá havia um envelope e uma explicação para colocarmos o valor referente ao camping e depositar numa caixinha... isso tudo era muito novo para nós, ficamos meio sem saber o que fazer ao certo... país de primeiro mundo... Resolvemos pagar no dia seguinte quando aparecesse alguém, senão colocaríamos na caixinha mesmo... imaginem se fosse assim no nosso país? Será que colocariam o dinheiro na caixinha, será que o dinheiro estaria ali para o responsável pegar? Será?

Dormimos muito bem, estava um forte calor de deserto, mas uma agradável e linda noite. Pela manhã, já havia um funcionário no camping, ainda bem, pois o valor que havia, achamos alto para uma simples barraca, 25 dólares... O rapaz foi bastante justo e nos cobrou 15 dólares...

Estamos na California

Dia belíssimo de sol, paisagem de cinema em pleno deserto do Arizona! Pé na estrada perfeita, rumo a Califórnia. Estávamos muito felizes, principalmente porque iríamos visitar amigos do Brasil. No caminho, a primeira abastecida... os postos por aqui são "self service", você chega ao posto, vai direto à loja de conveniência, diz o quanto quer abastecer, já paga o valor ou deixa o cartão se não sabe quanto vai colocar, feito isto, vai até a bomba e abastece... Assim o Cláudio o fez... para variar o Thor continua sendo o centro das atenções, um senhor de Luxemburgo estava fotografando-o, então o Cláudio e ele começaram a conversar... voltamos para estrada novamente, quando, de repente, o Cláudio me pergunta: "Mô, a chave do combustível está aí? Eu respondi que não... resultado, tivemos que voltar ao posto, ainda bem que foram apenas 2 km percorridos, para ver se havia esquecido na bomba, surpresa!!! Estava lá a chave e a tampa do combustível em cima de um latão de lixo, onde ele havia colocado... essas coisas de primeiro mundo... demos muitas risadas...

Após uma bela viagem, chegamos a San Diego por volta das 16h, aliás a diferença de horário aqui é de 4 horas em relação a Brasília. Assim que estávamos nos aproximando da cidade, abriam-se enormes pistas e um fluxo intenso de carros a uma velocidade assustadora, estávamos tontinhos, tínhamos que prestar bastante atenção para não errarmos a saída para Carlsbad, mas a sinalização é excepcional... não erramos um passo se quer...

Comendo sushi com nosssos amigos

Fomos direto para a casa da Simone e o Rob, seu marido, fomos excelentemente bem recebidos, como é bom se sentir em casa, pois foi assim que nos sentimos... Ficamos junto com os pais da Simone, Maria Fanes e Rubens M. da Silva, que também estão visitando-os, são pessoas amadíssimas, encantadores, o carinho e o aconchego de um lar é sempre maravilhoso...

A Simone e o Rob nos levaram para comer Sushi, quem diria... a primeira vez que comemos Sushi, de palitinho e, ainda, nos States, foi maravilhoso, estávamos mesmo esperando alguém que conhecesse um bom lugar para nos indicar, que bom que foi aqui e com pessoas maravilhosas... Não foi muito fácil manusear aqueles palitinhos mas, entre uma queda e outra, deu para saborear a belíssima comida. Adoramos!!!!! Depois deste saboroso jantar, voltamos ao apartamento deles e ainda fomos relaxar numa banheira de hidromassagem que fica no meio do condomínio, uma temperatura de uns 37ºC mais ou menos, o Cláudio também entrou, que água fervente!!! Depois tomamos uma bela ducha fria e fomos descansar...

  
  

Publicado por em