Conhecendo Quito

O equatoriano é realmente surpreendente...

  
  

Fomos tomar o nosso café da manhã e vimos o Thor rodeado de curiosos... demos muitas risadas... depois vieram nos dizer que o nosso carro é muito bonito, forte, um ótimo carro... O equatoriano é realmente surpreendente...

Feira de Otavalo

Não tínhamos muito tempo, só mais um dia para aquela região... Fomos a Otavalo, com 2.556 m de altitude, conhecida como o vale do amanhecer, visitar a mais famosa feira de artesanato indígena.
Muito grande, não demos conta de toda ela, havia muita gente, turistas de toda parte, principalmente americanos, os seus produtos artesanais eram realmente belos, para todo gosto... inclusive, com esta, havia uma feira de comida, víamos porcos gigantes assados em plena rua, carne sendo vendida a céu aberto, cachorros passando por cima das frutas, enfim, tudo o que se pode imaginar... difícil era encontrar um lugar para almoçar....
Encontramos um bom lugar, mas estava lotado, tivemos que esperar uma hora até que chegasse a nossa comida... enquanto isso o Cláudio tentava trocar uma nota de cem dólares, ninguém trocava, inclusive nos bancos não o faziam. Tivemos que sacar dinheiro...
Regressamos a Quito para seguirmos a "Mitad del Mundo". Depois de muito perguntar, encontramos a fictícia cidade e o famoso monumento, aí encontra-se marcada no chão a famosa linha do Equador, dividindo o planeta em duas parte iguais. Fizemos algumas fotos, tomamos um café e seguimos para o mirante do Pululahua.

'Mitad del Mundo'

Deste mirante se pode ver uma cratera de vulcão inativo da era quaternária, cuja última erupção se suspeita que tenha sido no ano de 500 A.C., a única cratera habitada em todo o planeta, onde os primeiros habitantes foram os Incas. Esta cratera rodeada de paredes vulcânicas é cenário de muitas pessoas que ali viveram durante muitos séculos. Agora, ela possui 160 habitantes, uma comunidade que tem escola e seu cultivo próprio, são 4 quilômetros de diâmetro cultivados. Quando estávamos no mirante, vimos algumas barracas e nos perguntamos como se chegava até lá, nos informamos e lá fomos nós, a nossa inédita aventura, dormir numa cratera de vulcão. Para chegarmos, tivemos que descer uma serrinha extremamente perigosa, 15 quilômetros, cruzamos com alguns carros, que aventura... sorte que era exatamente no lugar onde se podia passar dois carros, sempre um tendo que parar, a maioria do trajeto somente um carro por vez. Logo que chegamos na cratera, havia algumas pessoas, pedimos informações sobre um camping, nos informaram que era só seguir. Fomos... descobrimos que havia dois, ou melhor, que poderíamos acampar em qualquer lugar, mas não era seguro, com segurança só no Ministerio del Ambiente, Reserva Geobotánica Pululauhua ou aqui onde estamos... Hosteria La Rinconada.

Mirante de Pululahua

Ao chegarmos, fomos muito bem recebidos por um rapaz, que prontamente nos passou algumas informações do local e do camping, como já era noite, só vimos que era um lugar bastante agradável, e sua Hosteria de muito bom gosto, linda... entramos e pedimos um suco de "naranjilla", uma fruta local, que por sinal é maravilhoso.

Estávamos muito felizes, pois depois de 8 dias iríamos dormir em nossa barraca, nunca pensei que fosse gostar tanto, já estávamos com saudades... Começamos a conversar com o Rolando e sua esposa por vários minutos, inclusive, lhe pedi para telefonar para o meu pai, pois estava de aniversário, mas que idéia a nossa, "estamos numa cratera de vulcão", mas para nossa surpresa ele tem um celular e até TV a cabo, mas de celular não era possível...

Hosteria La Rinconada

Continuamos conversando, papo vai, papo vem, pedimos informação sobre esta área, nos trouxe uma revista, e quando começo a lê-la vejo escrito o nome Rolando Vera, e prontamente o Cláudio pergunta: "mas este não é o nome de um maratonista?", e o Rolando: "soy yo mismo". Ganhou por quatro vezes a famosa corrida de São Silvestre. O Rolando ficou muito feliz de ser lembrado, e aí descobrimos muito mais sobre esta pessoa maravilhosa, que falava de suas vitórias com muita alegria... Estamos tendo muita sorte, conhecendo pessoas "mui amables". Que lugar lindo, estamos debaixo de um céu estrelado, maravilhoso, vendo o nascer da lua, há 2.547 m de altitude, 0º 04' de latitude e dentro da cratera de um vulcão. Fugindo da cidade grande - Cuenca, Rolando vive ali há mais de 20 anos, era um grande corredor, vencendo maratonas no mundo todo.

  
  

Publicado por em