O acidente na estrada mexicana

Foi um grande susto, as coisas que estavam dentro do carro voaram ao painel, mas graças a Deus não nos feriu... conosco não aconteceu absolutamente nada... quem olha o carro não diz... estamos bem!

  
  

Organizamos todas as nossas coisas para seguirmos viagem... O Cláudio estava ansioso para chegar à Baja Califórnia... No caminho, mais uma parada por militares... tudo igual...

Mais uma barreira

O percurso era muito bonito, com praias selvagens, parávamos algumas vezes para fotografar... Nos disseram que havia uma cidadezinha que poderíamos dormir, Zihuatanejo, mas já estávamos chegando e poderíamos seguir adiante, pois ainda era cedo... chegamos a comentar a possível parada, mas decidimos seguir....

Surpresa!!! Aliás, uma terrível surpresa...

Belas Paisagens

Esta parte é difícil escrever, mas vamos lá...

Quando já estávamos saindo desta cidadezinha... eu estava escrevendo o diário de bordo, trocando algumas idéias com o Cláudio, quando só o escuto dizendo "ai meu Deus..." estávamos numa subida... o Cláudio foi dar passagem para um carro que estava muito rápido, mudando para a pista da direita, quando vimos um caminhão praticamente parado na mesma pista... o Cláudio freou e tentou mudar de pista, mas o carro ficou desgovernado, e assim, chocou-se com a lateral direita do caminhão... Fechei meus olhos e só senti o tranco...

Jesus, dono do caminhão

Foi um grande susto, as coisas que estavam dentro do carro voaram ao painel, mas graças a Deus não nos feriu... conosco não aconteceu absolutamente nada... quem olha o carro não diz... estamos bem!

Neste momento, muitos pensamentos passaram em nossas mentes... voltar para casa, onde estamos, o que fazer com o carro, como fazer, não há seguro, o dinheiro vai dar, e o tempo, o que é o tempo?...

Num país estranho, e como do nada vivendo aquela situação..., estávamos tão alegres, cantando "nasce um dia lindo para viajar...", falando coisas da viagem e, de repente, BOOMMM... Mais uma experiência... e que experiência!

A polícia chegou rapidamente, o trânsito todo parou, conversamos com algumas pessoas que apareceram no local, nos dando informações sobre como funcionava quando havia acidente de trânsito... conversamos com o simples motorista do caminhão, o Jesus, este não teve culpa de nada, pois era um caminhão velho, lento e carregado de areia, foi realmente falta de atenção nossa... Ficamos por ali umas 3 horas debaixo de um sol terrível, até vir um guincho para ambos... neste meio tempo, a polícia pegou os documentos do Cláudio e do carro... Muito depois do acidente, veio uma ambulância, nos perguntou se estávamos bem, sem sequer nos examinar e, logo, foi embora... que atendimento! Na verdade se tivesse acontecido algo mais grave teríamos piorado pela demora do socorro... que país é este?

O estrago

E, mesmo naquela situação terrível, que mundo materialista vivemos? As pessoas, a cada dia, nos surpreendem... de um lado gente corrupta, querendo extorquir dinheiro e do outro um homem simples, afetado pelo acidente oferecendo sua casa para ficarmos... é realmente, um mundo de contrastes, e que contrastes!

Saímos dali e o motorista do guincho, um jovem que trabalha pela prefeitura, nos levou a um lanterneiro de sua confiança... questionamos bastante quanto a isto... chegando ao local, não nos agradou muito, principalmente ao Cláudio, pois era um local grande e praticamente não havia serviço... não sabemos de onde, mas no portão deste lugar havia um senhor de cabelos brancos fazendo sinal para irmos até ele, o vi abanando três vezes, na terceira falei para o Cláudio ir disfarçadamente, já que o homem se escondia... este senhor disse ao Cláudio que ali não era um bom lugar e que o lanterneiro era um pilantra... já que estávamos numa situação difícil e aquela pessoa apareceu do nada, sem explicação... resolvemos dar ouvidos a ela... o carro já estava praticamente fora da grua, o rapaz teve que colocá-lo de volta para seguirmos para outro lugar... o Cláudio pensou na Ford, já que é um lugar de confiança, mais caro, mas pelo menos, seguro...
Chegando à Ford, nos informaram um lanterneiro que fazem o serviço para eles... finalmente, deixamos o nosso pobre Thor, ali, naquele lugar feio e sujo, mas foi a única solução... nos pareceram de confiança...

O Jesus, motorista do caminhão foi ao nosso encontro, insistiu para ficarmos em sua casa... mas achamos melhor não, pois tiraríamos a privacidade de sua família e a nossa também... um amigo dele nos ofereceu carona até o hotel que quiséssemos ir...
O policial já estava nos esperando na saída da oficina, pois disse que teríamos que pagar uma multa pelo acidente e que teríamos que seguir agora para a Delegacia... o Cláudio já estava ficando brabo... finalmente, bem firme, passando por autoridade, disse que agora iria para o hotel deixar as coisas e só depois iria à delegacia e que queria ver a lei que diz que deve pagar a multa. O policial não disse nada e o rapaz do guincho sumiiiiiuuuuu... Conversando com o rapaz que nos deu carona, descobrimos que o motorista do guincho foi totalmente desonesto conosco (o valor do guincho deveria ser pago na prefeitura e não diretamente a ele como o fizemos), daí a explicação para o seu sumiço...

Nosso Thor acidentado

Deixando as coisas no hotel, o Cláudio seguiu para o Corpo de Bombeiros... chegando lá, chamaram o tal policial, e o mesmo disse que iria levá-lo ao Juiz para mostrar a lei, tratando-o de uma outra forma... no fórum, foram conversar com o Juiz, que mais parecia um juiz arbitral, o mesmo perguntou para uma outra pessoa onde estava o regulamento de trânsito do município, em uma gaveta o encontrou caindo aos pedaços... realmente havia um artigo, cuja multa era vinte por cento do valor que o policial nos queria cobrar... ali pagou a multa com o devido recibo e retirou os documentos, tanto os dele como os do Jesus, que deste também tentaram extorquir dinheiro...

Saindo dali, o Jesus acompanhou o Cláudio até o hotel, já que não sabia andar na cidade e não tinha mapa... e mais uma vez insistiu para ficarmos em sua casa...

Finalmente, depois deste dia exaustivo conseguimos tomar um belo banho e sair para jantar... fomos a um bom restaurante, aqui servem tudo com pimenta... o garçom colocou dois molhos de pimenta diferentes e disse que um deles era mais fraco... fui experimentar, uauuuuu... cuspi fogo... o Cláudio nem quer saber de pimenta.... rsrsrsrs

Paramos um pouco para refletirmos sobre tudo o que aconteceu...

  
  

Publicado por em