Passando pelo Canal do Panamá

No canal, foi assombroso o que vimos... principalmente para mim, é um canal estreitíssimo, por onde passam embarcações de todo o mundo, de um oceano a outro.

  
  
Eclusa de Miraflores

Para deixar o Panamá, é necessária uma autorização de saída do país, que se obtém na PTJ (Polícia Técnica Judiciária), para isso, o carro precisava estar limpo. Paramos num posto de gasolina e perguntamos se havia lavação, resposta positiva, não acreditamos no que vimos... veio um cara com um baldinho de água e um pano encardido para lavar o nosso Thor, sujava mais do que limpava... rsrsrsrsrs. Aguardando a esforçada lavação, um rapaz nos abordou, para variar, engrandecendo o Thor e falando que teria sido o único carro que conseguiu atravessar o Darien, (não até a Colômbia, pois não há estrada até lá), além disso, nos deu o cartão de sua esposa, jornalista, para fazermos uma matéria nossa no Panamá, mas infelizmente não tivemos este tempo, quem sabe na volta. Logo após a lavação, fomos à PTJ, inclusive os panamenhos também precisam desta autorização de saída do país. Perdemos toda manhã!

Ao sair dali, buscamos um lugar para almoçar, paramos num restaurante da rede de fast food "Tamburelli". Ficamos mais de uma hora para recebermos o nosso pedido, havia reclamação de toda parte, não recomendamos... o atendimento é péssimo e, ainda, as funcionárias eram debochadas!

Seguimos para as Eclusas de Miraflores, Canal do Panamá, ao estacionarmos, logo fomos abordados por dois colombianos viajantes, comentamos o que todos nos dizem quando se trata da Colômbia, "muito cuidado, é perigoso, etc." Eles nos disseram que geralmente quem fala isto é quem não conhece... pois há violência em todo o mundo...

No canal, foi assombroso o que vimos... principalmente para mim, é um canal estreitíssimo, por onde passam embarcações de todo o mundo, de um oceano a outro. Na parte da manhã, as embarcações seguem no sentido Atlântico-Pacífico e, após o meio dia, o fluxo se inverte, se formam filas de espera, no caso das grandes embarcações, só passam uma por vez, o nosso Thor também passou por ali, cruzando todo o canal, já que o Porto de Colón fica no Oceano Atlântico. Uma curiosidade, todas as embarcações do mundo são projetadas de acordo com a largura do canal. Ficamos algumas horas observando todo o processo, que é bastante lento e minucioso, no momento, estava passando um grande navio de carga, as pessoas que estavam nele, ficavam acenando para todos nós, parecia cena de filme.

Navio cruzando o Canal

Saindo dali, fomos conhecer o Panamá Viejo, ruínas do que foi a antiga cidade do Panamá. Depois fomos ao Shopping comer e, logo em seguida, descansar no hotel.

Saímos de manhã para resolver problemas do cartão de crédito, o Cláudio digitou a senha errada e, automaticamente, foi bloqueado, passamos toda manhã tentando ligar, a cobrar, para o Brasil, e que dificuldade! Nenhum dos telefones que havia no cartão conseguíamos falar diretamente com o Brasil, tivemos que ligar para a telefonista do Panamá (106) e a mesma ligou para o número dos EUA e de lá a operadora transferiu para o Brasil, ou seja, o Cláudio falou espanhol, inglês e português ao telefone para, simplesmente, pedir o desbloqueio de nossos cartões. Ufa, foi uma sauna, calorão, buzinas, não se ouvia nada direito e, ainda, tendo que falar 3 idiomas, ninguém merece!!!

Museu do Canal do Panamá

Comemos, infelizmente, no fast food - nossa alimentação está terrível, não estamos conseguindo nos alimentar decentemente, não encontramos uma comida que nos agrade... está bem complicado....

"Como é bom estar na estrada de novo... me sinto livre! Agora, já estou me recuperando!" O Cláudio disse todo faceiro a caminho da Costa Rica, ele não via a hora de sair da cidade do Panamá e, ainda, estava se livrando da infecção intestinal. Realmente era maravilhoso estarmos com o nosso Thor, poder escutar a nossa música, música brasileira... e curtir a nossa liberdade...

Chegamos a David, cidade que fica a uns 45 km da fronteira, fomos ao mercado da bonita cidadezinha, Supermercado REY, uma rede que tem em todo Panamá, fomos a caça de um bom guia do País... encontramos! Aproveitamos e fizemos um lanchinho, pois a padaria do mercado nos atraía e muito...

Depois de procurar por um lugar para dormir, estávamos cansados, pois os hotéis estavam lotados, acabamos ficando no Hotel Fiesta, na estrada, próximo ao mercado, num quarto simples com duas camas, e, ainda, era mais caro que o quarto de casal, é mole?
Curioso era ver as placas dos carros no Panamá, obrigatório só na parte traseira, na dianteira poderia colocar o que quisesse, inclusive no carro da Linda (a nossa despachante nos trâmites para liberação do carro, no porto) estava escrito LINDA.

  
  

Publicado por em

Lola

Lola

08/11/2012 15:23:46
Muito legal o post, se possível poderia me informar questoes de valores da travessia?
Obrigada!

Joyce e Cláudio Guimarães

Joyce e Cláudio Guimarães

Olá Lola, depende de onde quer partir, se Colômbia ou Equador. Se Equador, por volta de 3 mil dólares. E se Colômbia por volta de mil e quinhentos dólares. Abraços.