Passeando por Cuenca

Preparamos nosso café da manhã e fomos caminhar pelas belas ruas de Cuenca, a cidade possui uma magia...

  
  
Cuenca

Acordamos muito bem, gostamos muito do lugar onde nos instalamos, "Amoblados Torongo", tem uma cozinha, banheiro, sala, quarto, um mini e aconchegante, porém simples, apartamento. Preparamos nosso café da manhã e fomos caminhar pelas belas ruas de Cuenca, a cidade possui uma magia... sua gente é muito especial, são muito educados, não têm vergonha de nos abordar...

Tiramos muitas fotos, das pessoas, casarios, museus, igrejas, tudo o que víamos de belo "sacávamos fotos"... Fomos numa livraria maravilhosa, ficamos horas escolhendo um guia do Equador e, para variar, o Cláudio se encantou por um livro de fotografias de Galápagos, eu também... depois tomamos um belo chocolate quente em sua cafeteria... Voltamos à cidade para fotografar e logo começou um mal estar... comecei a passar mal, umas pontadas na barriga, muita dor... penso que foi o almoço vegetariano do dia anterior... passei muito mal... Voltamos para o hotel, fiz nosso almoço e continuei naquele estado, a preocupação, como dizer isto ao casal que nos convidou para jantar, não podia comer nada que logo me dava dor na barriga...

E fomos nós, na casa de nossos novos amigos equatorianos... eles sabem receber muito bem... Após o jantar, nos levaram a um mirante onde se podia ver toda cidade, muito bonito...

Nossos amigos equatorianos

Combinamos que no dia seguinte iríamos nos ver para nos despedir...

Hoje, começamos a combinar o nosso transporte para o Panamá, com a Senhora Rosa de Guayaquil...

Arrumamos todas as nossas coisas, nos despedimos de nossos amigos e seguimos viagem... Adivinhem? Quando havíamos andado uns 7 km, os carros estavam parados e muitos outros voltando... "O que será que está acontecendo?"

A estrada estava bloqueada com pedras que os indígenas colocaram, não havia como seguir adiante, ou seja, mais um "paro" (manifestação) em nossa viagem... Os índios locais querem impedir a instalação de mineradores nesta região, alegam que vão destruir tudo e contaminar suas águas... com certeza, eles têm razão... mas tinha que sobrar para nós?

Acreditamos ter sido maravilhoso, pois voltamos para o hotel, o Cláudio colocou o carro para lavar, fiz nosso almoço e ligamos para os nossos amigos Janeth e Roberto, não deu cinco minutos, já estavam eles na porta do hotel nos esperando para nos levar para passear. Então, passamos um dia maravilhoso, nós, eles e seus filhos... Nos levaram para conhecer muitos lugares, em seu carro, tomamos um sorvete artesanal de paila maravilhoso e terminamos o dia em sua casa tomando um divino chocolate quente com um pãozinho, hummm... foi um dia muito especial... além disto, nos presentearam com chocolates, café local, adesivo do clube 4x4 e com a maravilhosa companhia, realmente são pessoas muito especiais, cheguei a ficar sem graça, com tantos mimos, pois tão acostumada a mimar e a não ser mimada, o inverso foi constrangedor... mas, maravilhoso....

No dia seguinte...

Ruínas do Império Inca em Ingapirca

Hoje, de qualquer maneira, vamos embora... Nos ensinaram um caminho alternativo. Fui dirigindo e o Cláudio de navegador, deu tudo certo, saímos mais a frente na Panamericana, onde não havia mais pedras no caminho... Foi um dia bastante cansativo, pegamos uma estrada terrível, curvas e muitos buracos. No caminho, paramos em Ingapirca, onde há ruínas do Império Inca. Continuamos a viagem até Riobamba, paramos simplesmente para dormir, enquanto procurávamos um lugar para comer, mais um equatoriano nos abordou para perguntar o de sempre: "de onde são, para onde estão indo, estão sozinhos, cuidado com a Colômbia..." e sempre dizem: "Chevere", o que quer dizer: bonito, muito legal, demais... e, este em especial, ficou inspirado para fazer uma viagem pela América do Sul.

Encontramos um bom lugar para comer, ainda bem, pois estávamos famintos... depois fomos dormir no Hotel Rioroma, 4 estrelas, não encontramos sequer alguma estrela... era muito simples e não muito limpo, mas não era um dos piores...

Eu estava muito cansada, pois bati meu recorde de direção, foram 7 horas dirigindo... estava tudo dormente, perna, coluna, pescoço e tudo mais...

  
  

Publicado por em