Salto Angel

Amanheceu um dia nublado, será que vamos conseguir ver o Salto Angel?

  
  
O dormitório do acampamento!

...Não dormi a noite toda, senti muito frio, muito mesmo, o que levei de roupa não foi suficiente, já o Cláudio dormiu feito anjo... faz parte da aventura!

Amanheceu um dia nublado, será que vamos conseguir ver o Salto Angel?

Fantástico!

Tomamos um belo café da manhã e seguimos com o nosso grupo, argentinos e suíços. Uma bela e razoável caminhada nos levou ao êxtase... primeiro chegamos ao mirante, que ESPETÁCULO!!!!! Indescritível..., depois fomos a sua base para um inesquecível banho em suas águas, que aliás estavam calmas e, pois estamos num período de seca por aqui, infinitamente bela. Pudemos vê-la por inteiro, havia algumas nuvens, mas o Sol deu o ar de sua graça e nos brindou com este fantástico presente, a natureza!!!!!! Imaginem o Cláudio, louco por cachoeiras, como ficou? A sua máquina não parava de clicar, estava estupefato!!!! Louco, bebeu daquela água, ainda está vivo!!!! Curtimos demais aquele momento, todos juntos, o nosso grupo, nos divertimos muito. Foi um dos momentos mais especiais da nossa viagem!!!!!

Prontos para voltar, chegamos ao acampamento, arrumamos nossas coisas e deixamos em ponto de bala para sairmos. Descansamos um pouco, estávamos mortos... e, logo após o almoço, voltamos ao barquinho, preparados psicologicamente para o retorno. Mais umas 4 horas de aventura, um verdadeiro rafting, as mesmas sensações da vinda, agora com a ajuda da correnteza, às vezes, parecia que o barco ia virar... mas com toda certeza, faríamos tudo de novo (com almofada e mais roupa de frio), sem sombra de dúvidas!!!!! O capitão, o ajudante e o nosso guia foram nota MIL!!!!! Apesar de toda aventura, nos sentimos muito seguros!!!

Quanta felicidade!

Fizemos o mesmo percurso de volta, as mesmas caminhadas, só na última etapa fomos levados por um caminhão, até que enfim, pois não sabemos se o cansaço era físico ou psicológico ou os dois... Nunca demos tanto valor há uma cama, há um banheiro privado, fantástico tínhamos tudo isto. Fomos tomar banho e nos preparar para o jantar, ainda tínhamos um tempinho para descansar, deitamos e pegamos no sono... acordamos com uma pessoa batendo a nossa porta... e descobrimos que a Dani já havia feito isto antes. Já estavam todos jantando, que vergonha... A comida estava maravilhosa, um peixinho de rio muito saboroso, comemos de lamber os beiços... ficamos esperando a sobremesa e nada... o José e o Rodi foram comprar e trouxeram para nós, amadíssimos!!!! Parecíamos um bando de bêbados conversando, estávamos todos muito cansados, não passou muito tempo, nos despedimos e fomos dormir...

Praia do Lago, Canaima

...Revigorados, tomamos o nosso café da manhã e fomos conhecer outras cachoeiras, próximas ao povoado. Com o nosso querido guia Hector atravessamos a Laguna de Canaima, admirandos os saltos Golondrina e Ucaima e seguimos para uma caminhada de uma hora entre os saltos El Sapo passando por dentro dele, lindíssimo e terminando no Hacha, um paredão de água, passamos por dentro dele, uma sensação maravilhosa. Foi um belo passeio, de volta atravessamos com o barquinho e ficamos na bela praia de areias branquinhas, águas limpas num tom rosado, curtindo aquele momento. Havia crianças tomando banho, mulheres lavando roupa, mulheres lavando a cabeça e nós usufruindo daquele momento mágico. Dali, caminhamos um pouco pelo povoado, crianças nos cumprimentavam o tempo todo, nos tocavam, um carinho encantador. Fomos a uma lojinha de artesanatos e de volta ao acampamento, tomamos um rápido banho, almoçamos e nos preparamos para irmos embora. Uma grande tristeza!!! Amamos este lugar e poderíamos ter ficado aqui por mais uma semana, lamentamos muito!!!! A energia do lugar é fantástica, com toda certeza voltaremos, pois é muito especial!!!!! Nos sentimos em outro país e não na Venezuela!

O nosso vôo saiu às 14h logo depois do almoço, o que não foi nada bom... agora, fomos juntos, nós e os argentinos. A Dani passou muito mal, cuidei dela! Voltamos a pousada "La Casita", agora só tínhamos nós. O nosso Thor estava intacto. Ali, jogamos um pouco de sinuca, Argentina x Brasil, o José e o Rodi contra o Cláudio e eu - o José jogava muito bem, tão bem que nos deu a vitória!!! Ele ficou furioso, demos muitas risadas!!!!! Falamos muitas bobagens, nos conhecemos melhor, vimos fotos da viagem a Canaima, viram nosso site, foi tudo maravilhoso!!!!! Jantamos maravilhosamente bem e nos despedimos, a despedida é sempre algo muito cruel, mas já estamos nos acostumando a ela!!!!! Trocamos endereços e combinamos de nos encontrar. Adoramos tudo por aqui, foi fantástico!!!!!

Belo visual!

...Os argentinos seguiram para Isla Margarita e nós para o Brasil!!!! Viajamos o dia todo e ainda, não chegamos ao Brasil, paramos para dormir no Km 88, numa pousada chamada "Rápidos de Kamoiran", quando paramos num posto de gasolina para a última abastecida, vimos muitos carros de Manaus, sinal de que já estávamos próximos. A cada posto policial tínhamos que parar para dar um carimbo no papel do carro, cada coisa!!!! Foram umas 5 paradas, numa destas algumas pessoas estavam indo para esta pousada também, começamos a ficar preocupados, pois se não houvesse vaga, não teríamos mais opção...

Chegamos lá e dito e feito, o rapaz nos disse que não havia vaga, ficamos apavorados, estava chovendo muito e até um certo frio. Voltamos e perguntamos: "tem certeza de que não há um quarto para nós?" O rapaz mudou o discurso; disse que havia 3, não entendemos nada. Aliviados, pagamos e corremos para o quarto, nem queria saber se era bom ou não, queríamos apenas um canto para dormir... Logo em seguida chegou um pessoal, também do Brasil, para se hospedar e o mesmo rapaz disse que não havia, que terrível, continuamos não entendendo nada, eles imploraram e não conseguiram - foram embora não sabemos para onde... O atendimento realmente era péssimo, fomos jantar no restaurante dali e fomos muito mal atendidos, pessoas muito estranhas... Mas, o importante é que tínhamos um lugar para dormir, se o atendimento era bom ou não pouco importava.

Quebrada de Jaspe

...Saímos cedo, sem café da manhã, pois estava tudo fechado, parece que o pessoal daqui não está muito preocupado em servir bem os hóspedes, estão nem aí!!!!

No caminho, não havia nada, um deserto, apenas alguns atrativos turísticos, como cachoeiras. Vimos algumas em pequenas paradas e, numa delas, um grupo indígena, os índios Kawi, nos ofereceram café, que amados! Aceitamos é claro e não nos cobraram nada por isto. Os índios estão dando um show de simpatia enquanto que o povo Venezuelano de antipatia, que coisa hein?!!!

Nossa última parada foi na Quebrada de Jaspe, uma região muito bonita, onde a rocha de cor vermelha dava um charme maior a cachoeira. Dali, seguimos para tão esperada fronteira. Demos a saída na Venezuela e entramos no Brasil, fiscalização cerrada na fronteira, pois a maioria dos brasileiros vão a Margarita fazer compras, já que é um paraíso fiscal. Quando a fiscal viu o nosso carro ficou apavorada, cansada nos mandou seguir...

Finalmente o Brasil!!!

A Venezuela foi um país que ficou muito a desejar, mas não podemos nos deixar influenciar pelas pessoas que ali vivem, são apenas pessoas, há lugares lindos para se conhecer e temos certeza que é uma forte razão para voltarmos. Em uma outra oportunidade queremos ir ao Arquipélago de "Los Roques", a Isla Margarita e Mérida.

  
  

Publicado por em