Seguindo para Honduras!

Achamos que tivemos muita sorte, pois foi uma das fronteiras mais tranqüilas que passamos, muito diferente dos relatos de outros viajantes.

  
  

Achamos que tivemos muita sorte, pois foi uma das fronteiras mais tranqüilas que passamos, muito diferente dos relatos de outros viajantes. Com certeza, o fato de ser domingo nos ajudou...
Fomos para a Capital Tegucigalpa, como é bom chegar no domingo a uma cidade grande... A cidade não é bonita e as informações que pedíamos a respeito de hotel eram sempre mal dadas... mas, o lema é perguntar sempre! E, foi perguntando que conseguimos chegar ao centro da cidade, agora era encontrar um hotel, depois de algumas informações desencontradas, conseguimos achar um oásis naquela cidade feinha, o hotel Mac Arthur...

Quarto do Hotel Mac Arthur

Depois de instalados fomos caminhar para comer algo, encontramos um Pizza Hut, foi ali mesmo... a rua sempre cheia de policiais e seguranças... nos assustamos um pouco, os policiais e seguranças exibiam suas armas a vontade, achamos que a coisa por ali não deve ser muito segura...voltando ao hotel, ruas escuras e desertas, levamos um susto... um vento forte bateu em um cartaz que estava na parede, meio solto, demos um pulo e começamos a rir, mas também um monte de soldado armado... nos deixou preocupados...

Acordamos e fomos tomar o café que não estava incluso na diária... resolvemos caminhar um pouco pela cidade atrás de um guia de Honduras... mais ou menos 1 hora dando voltas, fomos achar bem próximo ao hotel... isto quando já estávamos desistindo...

Seguimos viagem por uma boa estrada sentido a fronteira com a Guatemala (Água Caliente), passamos do local onde deveríamos ter entrado, subimos uma serrinha terrível, vários sustos, carros, caminhões ultrapassando em locais não permitidos e nada seguros, nenhuma noção do perigo... quando olho o mapa, vejo que me equivoquei.. teríamos que voltar... o Cláudio deu uma bufada... voltamos, então, por esta mesma serra... na descida paramos no posto e perguntamos... nos informou que a melhor opção é aquela mesma estrada na qual voltamos.... As estradas em Honduras, devido a sua topografia, são cheias de curvas, subidas e descidas, raramente aparece uma reta...

E, lá fomos nós de novo, agora fomos parados por um policial bem grosseiro, disse que tínhamos que parar no local onde ele mandou... perguntou se eu estava com o cinto de segurança, mostrei que sim, se levávamos triângulos... os documentos... o Cláudio rapidamente disse: boa tarde senhor, o "animal" ficou desconcertado e nos mandou seguir...

O que é o poder! Há um ditado que diz, dê o poder ao homem e saberás da sua honestidade...

Como chovia muito e a noite já se aproximava, decidimos dormir na cidade de Copán Ruínas e aproveitar para fazer um pouco de turismo..., porém isto nos desviava da fronteira que teríamos que sair, Água Caliente, que constava no documento de importação temporária, mas íamos tentar sair pela fronteira de El Florido, que está há apenas 12 km desta cidade.

Arquitetura de Tegucigalpa

Chegamos à cidade, belíssima, e fomos diretamente a informações turísticas... pedimos por um camping, para nossa felicidade, havia um hotel, Casa Marías, que aceitava trailers. Ao voltarmos para o carro, fomos questionados por um americano que estava com sua família sobre a nossa viagem, mais uma vez, alegremente respondemos às suas perguntas... Quando entramos e ligamos o carro, o danado do Thor não queria pegar... a ignição não dava sinal... recebemos ajuda para empurrar o pesado Thor e ele pegou no tranco. Seguimos para o camping na incerteza do problema...
Notamos algo interessante, as pessoas sempre nos perguntam a respeito do perigo, inclusive este americano, que adora viajar de carro com sua família, esposa e mais três filhos, escutou que é muito perigoso viajar pela América do Sul, já as pessoas da América do Sul acham ser perigoso viajar de carro na América Central... precisamos desmistificar!

Fomos jantar num restaurante de comida típica, questionei a garçonete como era feito os "frijoles"; um feijão pastoso temperado que se come como uma massa feita de milho... ela me trouxe um pouco para experimentar... não gostei muito porque era servido frio... talvez quente seja bom...

Desde a Costa Rica aparecia no cardápio do café da manhã o tal de Gallo y Pinto con huevos revueltos, na verdade, é um feijão com arroz com ovos mexidos... que almoço no café da manhã!

De volta ao camping, armamos nossa barraca sob chuva e fomos dormir... Durante a madrugada, fomos acordados com um foguetório e uma música altíssima, como no caminho, já havíamos lido que isto é muito comum por aqui, resolvemos não nos incomodar... apesar de ser impossível... pois o barulho era ensurdecedor... no dia seguinte, quando fomos pagar o camping, a recepcionista pediu desculpas e nos informou que era aniversário da proprietária do hotel e os funcionários resolveram fazer uma serenata para ela, eles não sabiam que havia hóspedes no hotel. Que sorte a nossa!

  
  

Publicado por em