Visita à Canaima

Parque Nacional Canaima, com 3 milhões de hectares, é um dos maiores parques do mundo e, talvez, a maior atração da Venezuela, junto a sua excepcional natureza.

  
  

...Voltamos à padaria bonitinha, tomamos o nosso café da manhã e um momento muito especial aconteceu por aqui; o Cláudio lendo o guia "Pé na Estrada" sobre a região e os lugares por onde iríamos passar até chegar ao Brasil - foi emocionante quando ele chegou no trecho que diz: "...e aí você está a 10 km da fronteira com o Brasil." - os olhos dele encheram de lágrimas - cena incrível - rimos muito até chorar!!!!! Estamos falando do chão da "nossa" casa...

Nosso vôo para Canaima

Saímos em direção à "Isla Margarita", possui as praias caribenhas mais conhecidas da Venezuela, As estradas melhoraram um pouco, mas o trânsito... louco como sempre! Chegamos a Cumaná, uma das cidades que faz o traslado para Margarita (de 2 a 3 horas de balsa). O trajeto entre Puerto La Cruz e Cumaná há uma serrinha terrivelmente perigosa, a pegamos à noite, mesmo mortos de cansados decidimos ir direto para onde sai a balsa e ver se conseguiríamos ir hoje, ainda, para a ilha, que triste surpresa! Para ir à ilha tem que dormir na fila, a menina responsável pela venda dos tickets, sem nenhuma ou qualquer vontade, disse ao Cláudio: "assim funciona, quer ir vá, não quer não vá..." E o pior ainda está por vir, além de ter que dormir na fila, não sabíamos em que balsa iríamos, segundo ela; "a de hoje que sai às 23h não há mais vaga, talvez possa ir na que sai às 7:00h da manhã ou ao meio dia de amanhã". Realmente a Venezuela estava nos cansando e, então decidimos não ir... procuramos um hotel no centro da cidade e, ali ficamos para, no dia seguinte, seguir viagem para "Ciudad Bolívar", onde saem vôos para Canaima (Salto Angel).

Hector, nosso guia

Hospedados no Savoi Hotel, segurança armado, portas trancadas, achamos tudo muito estranho, fomos jantar e mais uma surpresa, a energia da cidade já não era muito boa e foi aqui que vimos a nossa primeira cena de violência, foi quando um policial puxava pelos cabelos uma pessoa, arrastando-a e a mesma tentando fugir... em segundos uma multidão estava formada... ficamos bem assustados!!!! Depois ficamos sabendo que era um homem vestido de mulher vendendo drogas, ou seja, um traficante!!!!! Uma loucura!!!!!! Fomos dormir decididos a ir embora mesmo!!!! Conclusão, não fomos a "Isla Margarita", e achamos Cumaná, capital do estado e com, aproximadamente, 300 mil habitantes, terrível...

Primeira caminhada até o barco

...Entre mar e montanhas, atravessamos a serrinha novamente, sentido Puerto La Cruz, agora de dia, com um visual belíssimo! Em La Cruz nos abastecemos no mercado e seguimos para Ciudad Bolívar. Esperamos que aqui tenhamos mais sorte!!!!! Chegamos pela tarde e fomos direto ao aeroporto procurar uma agência de turismo para comprar o vôo até a Cidade de Canaima, de onde saem passeios para o Salto Angel, a maior cachoeira do mundo!!!!! Estava tudo fechado e havia poucas pessoas, uma recepcionista e um senhor que nos atendeu, para nossa sorte, fomos muito bem recebidos, podemos dizer que tratamento de reis comparado ao resto do país. Com o Sr. Jorge compramos o nosso tour de 3 dias para Canaima (Agência Geko Tour). Não esqueçam dos dólares, aqui principalmente... se você paga em dólar, o tour de 3 dias sai por U$ 300, dólares cada um, com toda alimentação, acomodação e transporte incluídos, já se você paga em bolívares sai quase o dobro. Isto resolvido, agora era ir atrás de hotel, mas o mesmo Sr. Jorge disse que iria nos levar a uma pousada muito boa e barata a 10 km dali... resolvemos arriscar..., o caminho até ela era muito feio, ficamos nos perguntando, ai, ai, ai onde estão nos levando? Mas quando chegamos, mais uma surpresa, só que agora positiva, o lugar é lindo, realmente muito bem cuidado, restaurante, piscina e quartos ótimos, fomos recebidos pelo proprietário que estava com um teor alcoólico um pouco alterado, e uma funcionário também da Alemanha da mesma forma... Preço excelente e o lugar de um bom gosto pra lá de bom gosto!!!!! Adoramos!!!! Nos instalamos, e arrumamos nossa bagagem para amanhã pegar o tão esperado vôo, talvez o mais esperado da viagem! Eles também oferecem toda a alimentação, cobrado a parte, mas compensa!!!!!

Segunda caminhada

Quando fomos jantar, a mesa estava cheia de turistas, havia argentinos, suíços, alemães, holandeses e nós brasileiros, sentamos ao lado dos argentinos e comemos uma massinha maravilhosa. A Daniela, o José e o Rodolfo são "mui amables", eles também farão o mesmo tour, conversamos bastante, noite a dentro..., até nos darmos conta de que teríamos que acordar bem cedo no dia seguinte...

...Às 7:30h saímos para pegar o vôo da 8:00h. Ciudad Bolívar com 400 mil habitantes é o ponto de partida para conhecer Canaima e dali o Salto Angel. Pode-se sair de Ciudad Guayana também, mas acreditamos que aqui seja mais barato, pois é relativamente mais perto.

Chegamos ao aeroporto e esperamos a nossa vez... são vários pequenos aviões de 5 lugares partindo para Canaima. Fomos com outras 3 pessoas desconhecidas, foi um bonito e tranqüilo vôo, com duração de 1 hora, mas o Cláudio ficou "mareado". Chegamos a Canaima e fomos recebidos pelo Hector, um índio extremamente querido e, num caminhão próprio para carregar pessoas, nos deixou no nosso "acampamento" no centrinho do pequeno povoado...

Canaima possui 2000 habitantes, é um povoado lindo, índios kamaracotos, onde não há delinqüência, os mesmos estão muito bem preparados para o turismo, oferecendo um lugar realmente fantástico para descansar e esquecer da agitação das cidades urbanas. É um contato intenso com a natureza; passeios pelos rios da região, visita a cachoeiras, incluindo a inigualável Salto Angel. Há desde acomodações rústicas até as mais confortáveis, mais o que impera por aqui é o excelente atendimento e o carinho com que as pessoas nos receberam. Ficamos encantados!!!!!!!

'El Pozo de La Felicidad'

Parque Nacional Canaima, com 3 milhões de hectares, é um dos maiores parques do mundo e, talvez, a maior atração da Venezuela, junto a sua excepcional natureza. Criado em 1962 e ampliado em 1975, o Parque está estabelecido em uma região com formações rochosas de mais de 1 bilhão e meio de anos, marcada por sucessivos processos erosivos que deram origem aos imensos tepuys, as montanhas achatadas no formato de mesas, algumas chegando a alcançar 2.400m de altura. E, é nele que está o ponto mais famoso desta região, o Salto Angel, com seus 979 metros de altura, há quem diga que possui 998 m de altura, mas o que importa é que é uma impressionante e majestosa cachoeira com quase 1 km de queda livre, a maior cachoeira do planeta!!!!!! O meio para conhecê-la é inesquecível, primeiro tem que voar até o povoado de Canaima, não há outra maneira de se chegar lá. Depois num barquinho de madeira, a motor, passar de 5 a 6 horas navegando ao longo dos rios Carrao e Churún, o que é uma verdadeira aventura, dormir uma noite numa rede e, por fim, no dia seguinte, caminhar uma hora dentro da mata para chegar e ficar boquiaberto com a imensidão do visual da queda mais impressionante que já vimos!

... Os planos foram mudados... o Hector explicou-nos que seria melhor subirmos o rio hoje para o Salto Angel (isto seria no 2º dia), devido ao tempo, os rios estão secos e está cada vez mais difícil a navegação. Então, rapidamente, colocamos roupas de banho e estávamos preparados para nos molhar, levamos nosso anorak, caso houvesse muita água... Isto já era 10:30h, dali, caminhamos 20 minutos pelo bonito e limpo povoado, onde todos nos cumprimentavam, até a beira do rio para pegar o barco (Puerto Ucaima)... um barquinho de madeira (curiara), sem conforto algum, aliás nossos bumbuns estavam doendo muito, aconselhamos a quem vá fazer este passeio, leve uma almofadinha impermeável. Navegamos por uns 40 minutos e fizemos uma parada na "Sabana de Mayupa", mais uma caminhada de meia hora, pois este trajeto do rio é considerado perigoso para irmos juntos. A paisagem sempre deslumbrante e a aventura emocionante. Bem, achávamos que seria um passeio tranqüilo, que nada... Embarcamos novamente, serpenteando todo o rio com mais uma parada, agora na cachoeira "El Pozo de la Felicidad", aqui fizemos o nosso lanche (estávamos famintos) e nadamos numa piscina natural, que delicioso!!!!! A partir daí, foram 4 horas rio acima, um verdadeiro rafting, nunca fizemos um, mas temos certeza de que este foi o primeiro, que aventura, ora dava um medo do barco virar, ora dava uma sensação de alegria, ora de desespero, ora de etapa vencida!!!!! Ufa, chegamos depois de algumas dificuldades, havia partes no Rio Churún que estavam muito rasas e em vários momentos tinha-se que se estudar o local para passar e nestas passagens dá-lhe banho!!!! O capitão tinha que tirar quase que todo motor da água e um rapaz na proa, com um remo, ajudava a guiar nas subidas terríveis. Num determinado momento estávamos em três barcos, um deles quebrou e, então os outros dois tiveram que ajudar, a sorte é que estávamos próximos ao acampamento, então um barco foi direto para o acampamento para voltar em seguida, as pessoas do nosso barco saíram e esperaram numa pedra (um frio e chovendo), enquanto que o nosso barco foi buscar os turistas do outro que quebrou (eu e o Cláudio fomos com o primeiro barco para o acampamento, pois havia dois lugares sobrando), eles chegaram todos bem, meia hora depois de nós. Que aventura! Não esqueçam nunca de levar um casaco impermeável (anorak) ou capa de chuva, pois a violência do rio te molha por completo, o frio se intensifica com o vento e a chuva e uma dica é sentar o mais atrás possível, onde molha menos...

A primeira visão, indescritível!

Uns 5 minutos antes de desembarcarmos avistamos a tão esperada e linda cachoeira, que visual, fica de frente para o nosso acampamento, mas para chegarmos até ela temos que caminhar mais uma hora, o que faremos amanhã de manhã. Chegamos à "Isla Ratón", onde uma mesa gigante, banheiros simples e um redário ocupam o lugar em meio a muitas e belas árvores. Tomamos um banho frio e rápido nos agasalhamos, estava frio e os "pemóns" (pessoas - na língua indígena) foram preparar o nosso jantar. Apesar das dificuldades foi um passeio e tanto, maravilhoso, inesquecível!!!!! A comida estava maravilhosa, nos divertimos bastante, conhecemos mais pessoas de diversas partes do mundo e, pela primeira vez, fomos dormir numa "hamaka" (rede). Combinamos o passeio de amanhã com o guia, onde às 8:00h tomaremos o nosso café da manhã e seguiremos para a caminhada, torcendo para que esteja um dia bonito, pois se houver nuvens, corremos o risco de não ver o Salto... Após o almoço voltaremos para Canaima e mais 5 horas, talvez 4, para chegarmos. Ai nossos bumbuns!!!!!

  
  

Publicado por em