A Natureza exuberante de Urubici na Serra Catarinense

Cachoeiras, trilhas, mirantes, montanhas, cavernas e temperatuas abaixo de zero!

  
  

Não é a primeira vez que vamos para Urubici, já estivemos lá em outra ocasião. Mas nem por isso a viagem deixou de ter surpresas eu de revelar novas belezas.

Para chegar em Urubici, saímos de Florianópolis e pegamos a BR-282 até o Distrito de Santa Clara, em Bom Retiro e seguimos pela SC-430, também conhecida como Serra do Panelão. Depois de 24 km chegamos em Urubici.

Fomos para a Secretaria de Turismo* programar nossos próximos dias. Aliás, recomendamos a todos que façam isso; quando chegarem a qualquer cidade, procurem a Secretaria de Turismo ou posto de informações turísticas, pois sempre são o melhor lugar para receber dicas de passeios e indicações de serviços.

* A Secretaria de Turismo de Urubici fica na Av. Adolfo Konder, 2543 – a principal avenida da cidade; e o fone é (49) 3278 4245.

Lá, fomos super bem recebidos e planejamos a visitação aos principais atrativos de Urubici.

Morro do Campestre

Morro do Campestre

Distante uns 8 Km do centro, o morro fica em uma propriedade particular, por isso, quando você vier e der de cara com uma porteira fechada, não se assuste. Basta abrir, entrar e fechar a porteira quando passar. Lembre-se de que você está entrando na casa de alguém que provavelmente cria animais como vacas, cavalos e outros que podem fugir vendo uma porteira aberta.

Morro do Campestre

Suba com seu carro pela estradinha de terra (ou de chão - como eles falam por aqui), até encontrar uma área de acostamento gramada. A estrada ainda continua, mas lá pra cima só veículos 4×4, mas o trecho é curtinho, em 5 minutinhos de caminhada você já chega no fim da estrada.

Daí pra frente é trilha. Apesar de continuar em subida, a caminhada é leve. As pedras, por vezes, formam escadas para facilitar o trajeto.

No topo do morro há uma formação rochosa com um grande buraco no meio. A montanha é formada por arenito e o topo fica a 1.380 metros de altitude do nível do mar. Lá do alto a vista é linda! Podemos ver quase todo vale do Rio Canoas, importante rio aqui da região que pertence ao Aquífero Guarani e que é um dos principais afluentes do Rio Uruguay. Toda a produção de hortaliças da região é feita às margens do rio Canoas, e lá de cima do Morro do Campestre dá pra ver isso direitinho.

O que nos entristeceu muito, foi ver a quantidade de “inscrições urbanas” que os “povos da atualidade” deixaram registradas.

Ficamos um tempo lá em cima curtindo a paisagem e fotografando muito.

Morro do Campestre
Morro do Campestre
Morro do Campestre
Morro do Campestre
Morro do Campestre
Morro do Campestre
Morro do Campestre
Morro do Campestre

Na volta, no final da descida próximo a uma casa da propriedade, vimos dois enormes pés de caquis carregados de frutos e de pássaros, que faziam um banquete sem a menor cerimônia. Tivemos que descer do carro e registrar mais essa beleza da natureza.

Igreja Matriz Nossa Senhora Mãe dos Homens

Igreja Matriz Nossa Senhora Mãe dos Homens

Parece que cabe a cidade de Urubici inteira dentro da Igreja Matriz Nossa Senhora Mãe dos Homens, de tão grande que ela é, para uma cidade tão pequena como Urubici.

Interior da Igreja Matriz
Interior da Igreja Matriz
Interior da Igreja Matriz

Em seu estilo arquitetônico há influência gótica, percebida nos arcos. A igreja foi construída pelo Pe. José Alberto Gonçalves Espíndola que desenhou uma igreja em forma de cruz. Por dentro, o espaço também é amplo e ocupado por bancos em todas as naves. Trabalhos em vitral são responsáveis pela dança das cores dentro da igreja, já que há vitrais sobre as portas das 4 entradas.

Criação de Trutas

Truta

O trutário Truta Azul é o 2º maior produtor de trutas do Brasil. Tivemos sorte porque estava na época da desova e o Prof Hélio Antunes de Souza, biólogo e proprietário do trutário, fez uma demonstração de todo o processo de fecundação para nós e outros turistas que estavam por ali.

As trutas ficam separadas em tanques que as classificam pelo sexo e pelo peso. Então o primeiro passo é escolher alguns machos adultos e recolher seu esperma em uma bacia. Depois vamos para o tanque das fêmeas para extrair os óvulos em outro recipiente. Daí, num ato que parece mais a mistura de ingredientes culinários, os óvulos das fêmeas são despejados na bacia onde está o esperma dos machos e a tudo isso é acrescentado água do tanque, o suficiente para cobrir os “ingredientes”

Após o contato com a água, o espermatozóide do “Truto” tem apenas 60″ para fecundar o óvulo. Depois desse prazo, ele morre.

A fecundação natural também não é assim um primor de romantismo. A fêmea se encosta em alguma pedra e espreme seu abdômen para que os óvulos saiam num jato, então ela sai. Em seguida o macho vem e também espreme seu abdômen no mesmo lugar para que saia um jato de esperma que deverá atingir os óvulos.

A truta
Óvulos de Truta
O esperma da truta misturado aos ovos

Depois da fecundação, a truta demora 1ano até atingir o peso ideal para o consumo (300 gr).

Plantação orgânica de caquis

Heraldo e colheita dos caquis
Heraldo e colheita dos caquis

Seguimos por estradinhas que ligam os sítios dos produtores rurais e fomos conhecer o sítio do Heraldo Ribeiro Souza, que tem produção orgânica de caquis e que faz parte do programa Acolhida na Colônia.

ACOLHIDA NA COLÔNIA
- incentiva a produção de produtos orgânicos com simplicidade e pouco investimento
- promove a gastronomia rural
- em toda a produção não pode haver uso de produtos artificiais
- os colonos recebem treinamento para receber os visitantes
- o principal objetivo é não tirar o colono de sua função principal
Em Urubici tem 9 estabelecimentos cadastrados.

O objetivo do programa é compartilhar com o turista o saber do povo da roça, as suas histórias, culturas e paisagens. O turista se hospeda na casa do colono em quartos simples e aconchegantes, com direito a uma boa prosa na beira do fogão a lenha, a tradicional fartura das mesas e passeios pelo campo. Só produtores orgânicos podem fazer parte desse programa, e o Heraldo faz.

Infelizmente desta vez não ficamos hospedados com ele. Nossa visita foi rápida e ele nos explicou um pouco sobre o processo da produção orgânica e contou que sua esposa fez curso para aprender a beneficiar (selecionar e embalar) os produtos, assim eles conseguem um preço melhor na venda.

Da próxima vez que eu for a algum supermercado, vou olhar a prateleira de produtos orgânicos, ainda mais agora, sabendo que pessoas como o Heraldo serão beneficiadas com isso.

Mirante Belvedere

Urubici vista do Mirante

Belvedere... pensei que fosse uma expressão italiana para algo como “belo de se ver”, mas não encontrei essa confirmação nos dicionários. “Belo de se ver” é o que geralmente tem todos os mirantes com esse nome e em Urubici não poderia ser diferente.

Na estrada SC 430 indo em direção a São Joaquim, a apenas 5km do centro, temos o mirante que é parada obrigatória de quem passa pela estrada!

De lá de cima podemos avistar todo o centro urbano de Urubici. A Igreja Matriz Nossa Senhora Mãe dos Homens se destaca pelo tamanho da construção. De lá de cima é mais fácil de perceber seu formato em cruz.

Passamos pelo mirante em várias ocasiões e em vários horários. Em uma das ocasiões tivemos a oportunidade de ver um amanhecer com a cidade coberta de névoa.

Vista do Mirante
Vista do Mirante
Vista do Mirante
Vista do Mirante

Infelizmente, contrapondo o cenário lindo visto do mirante, temos “o mirante” que é de dar dó. Lixo espalhado, garrafas quebradas e o cheiro característico de urina dos beberrões que passam por lá. Por que será que as pessoas ainda agem assim, sem a menor educação?

Caverna Rio dos Bugres

Entrada da Caverna Rio dos Bugres

Seguindo pela estrada SC 439, a 11Km do centro, chegamos em uma propriedade particular onde se encontra a Caverna Rio dos Bugres.

É comum em Urubici alguns atrativos turísticos naturais estarem em propriedades particulares. Então, é sempre bom consultar a Secretaria de Turismo [(49) 3278-4245], para saber se é possível visitar esses atrativos.

Por vezes os proprietários barram a entrada dos turistas, mas não os condene. Eles fazem isso porque os próprios turistas não se comportam bem depredando, deixando lixo, largando porteiras abertas provocando a fuga dos animais da propriedade, fazendo algazarras… enfim… motivos mais que justos para o proprietário não desejar turistas em sua casa.

Consultamos a Secretaria de Turismo e tivemos a confirmação de entrada permitida.

Quando chegamos, o proprietário estava lá na porteira e ele mesmo abriu pra que pudéssemos passar, agradecemos e seguimos a estradinha que ele nos indicou. Depois de alguns metros logo vimos uma placa indicando o local.

Não espere encontrar “a caverna”. Longe de se parecer aquelas cavernas cheias de salões com estalactites e estalagmites, a caverna do Rio dos Bugres está mais para uma toca. É que antigamente essas cavernas eram a moradia dos Bugres (como eram chamados, de forma pejorativa, os índios e seus descendentes com brancos). Dizem até que eles mesmos cavaram as rochas.

Entrada da caverna
Entrada da caverna
Iluminando o caminho com o flash da câmera
Saída da caverna

É bom levar uma lanterninha, mas só para se sentir mais seguro, porque quando se entra por um dos túneis da caverna, logo que fica totalmene escuro e vc não enxerga mais a luz da entrada, alguns passos mais a frente damos de cara com uma bifurcação em T que tem entrada dos dois lados e a luz volta a iluminar o caminho. Como estávamos sem lanterna, usamos o flash da câmera fotográfica para iluminar nossos passos.

Depois da diversão nos pequenos túneis das cavernas, tomamos o rumo de volta para a estrada SC 439, rumo à Serra do Corvo Branco

No caminho, fomos seduzidos por uma plaquinha discreta que dizia Caminhos do Mel, e lá fomos nós.

Demos de cara com um chalézinho encantador onde eram vendidos potes de mel de bracatinga (árvore comum na região sul do país), mel silvestre, geléia de maçã, doce de abóbora e outras delícias coloniais. Esses produtos sempre são as melhores “lembrancinhas” para levarmos pra casa ou para presentear os amigos, além do que, comprando direto do colono, nós realmente contribuímos para a sustentabilidade da região.

Serra do Corvo Branco

Serra do Corvo Branco

Na SC 439, estrada que liga Urubici à Grão Pará pela Serra Geral, distante 30 km do centro, a estrada cruza um portal com paredões de 90m de altura! É o maior corte em rocha no Brasil. Mas apenas 600 metros da Serra é pavimentada. Estrada é bem sinuosa e tem curvas perigosas, muitas vezes beirando precipícios, portanto não recomendamos descer ou subir a serra com veículos de grande porte principalmente em épocas de chuvas.

No inicio da Serra, tem um mirante que rende algumas belas imagens.

Corte vertical
Trecho de estrada da Serra
Curva da Serra
Vista da Serra do Corvo Branco
Vista da Serra do Corvo Branco

A Serra tem esse nome porque na época havia naquela região, uma grande quantidade de Urubu-Rei, que tem uma plumagem branca com detalhes coloridos. Os colonos achavam que era um corvo, dai o nome Corvo Branco.

Morro da Igreja

Base aérea Cindacta II no Morro da Igreja

É o ponto mais alto habitado da Serra Geral com 1.822m de altitude. É comum nevar durante os meses de junho e julho e é justamente esse espetáculo, incomum aqui no Brasil, que faz turistas de todo o país procurar Urubici durante o inverno. Foi em 1996 que registraram a temperatura mínima recorde no Brasil, de 17,8ºC negativos no termômetro, e com os ventos, a sensação térmica foi a 40ºC negativos.

Estrada para o alto do Morro da Igreja
Cindacta II
Vista do alto do Morro da Igreja
Nascer do Sol na estrada do Morro da Igreja

É lá do Morro da Igreja que se tem a vista mais tradicional do principal cartão postal de Urubici: A Pedra Furada. Mais além dela vemos também uma infinidade de tons de verde e, em dias bem claros e limpos, é possível avistar até o litoral de Santa Catarina. Ah, se for visitar o Morro da Igreja no inverno, leve bons agasalhos!

Pedra Furada

Pedra Furada - O Cartão Postal de Urubici

A formação rochosa parece uma escultura natural em forma de janela, com uma abertura que mede aproximadamente 30 metros de circunferência. A pedra está localizada na divisa de três municípios, Orleans, Bom Jardim da Serra e Urubici.

Urubici tem muitas lendas sobre tesouros enterrados, e de tempos em tempos ainda hoje ouvimos histórias de alguém que encontra um cofre, caixa ou arca com ouro, pois na época das madeireiras era muito comum as pessoas enterrarem suas pequenas fortunas.

Mas, certamente a lenda mais antiga sobre tesouros é a dos Jesuítas que esconderam quarenta cargueiros de ouro e prata em frente à janela furada, antes de serem expulsos pelos índios.

A Pedra Furada
Pedra Furada
Pedra Furada e uma infinidade de tons de verde
Pedra Furada e uma infinidade de tons de verde
Em dias de céu claro é possível enxergar até o litoral no horizonte

É possível ir até a Pedra por trilha, mas apenas acompanhados por guias. Esse é um passeio que ainda não fizemos, mas está na nossa lista.

Cascata Véu de Noiva

Topo da Cachoeira Véu de Noiva
Cachoeira Véu de Noiva

No caminho de volta, do Morro da Igreja, sentido centro, tem a entrada para a Cascata Véu de Noiva. Ela está em propriedade particular, como o Morro do Campestre e a Caverna Rio dos Bugres, só que nesta é necessário pagar uma entrada de R$ 1,00.

A cascata é muito bonita com pedra de tonalidade escura e ondulações suaves, a água que escorre faz mesmo referência ao véu de noiva.

Na cachoeira é oferecida a atividade de tirolesa, mas nós não recomendamos porque constatamos que o operador não participa do Programa Aventura Segura do Ministério do Turismo e da ABETA, portanto não deve usar equipamentos adequados e certificados para a atividade.

Gruta Nossa Senhora de Lourdes

Gruta Nossa Senhora de Lourdes

Distante 10 Km do centro, a Gruta natural tem uma pequena queda d’água que desce por um paredão de pedras e desde 1994 abriga uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes e outras tantas imagens sacras que foram depositadas por fiéis ao longo dos anos.

É um lugar um pouco escuro por causa da vegetação, então a dica é que a visitação seja por volta do meio dia, quando o sol é bem alto e a luz entra em maior quantidade para iluminar melhor a área da gruta.

Inscrições Rupestres

Na rodovia SC 430, a 5 km do centro, estão as Inscrições Rupestres. O lugar era considerado sagrado e os sinais tem aproximadamente 4 mil anos. A melhor hora para visitar é no período da tarde, quando o sol ilumina a parede das inscrições.

Inscrições Rupestres
Inscrições Rupestres
Inscrições Rupestres
Inscrições Rupestres

Cachoeira do Avencal

Cachoeira do Avencal

Apenas 3 Km mais a frente das inscrições rupestres, pela mesma estrada, chegamos na propriedade particular que abriga a Cachoeira do Avencal. O acesso é fácil e o veículo pode chegar bem perto da queda d’água (topo da cachoeira).

Com 100 metros de queda livre, o nome avencal vem de avenca, vegetação comum na região.

Paga-se R$ 3,00 de ingresso para entrar e na propriedade é oferecida a atividade de Tiroleza, que nós também não recomendamos a prática pelo mesmo motivo da tiroleza do Véu da Noiva. Quem oferece a atividade também desconhece o Programa Aventura Segura do Ministério do Turismo e não é associado ABETA, portanto não devem ter equipamentos, profissionais capacitados ou certificados para a atividade que é de risco.

Muros baixos próximos ao precipício sugerem que não se deve chegar perto da borda. Há dois mirantes estrategicamente colocados que rendem boas fotos. O Melhor ângulo é o do segundo mirante, mais escondido. Cuidado em não jogar pedras ou objetos para baixo. Isso garante a segurança de visitantes que estejam fazendo trekking na base da cachoeira.

Zoom do topo da cachoeira
Zoom do meio da cachoeira
Zoom da base da cachoeira
A cachoeira vista do segundo mirante

Depois de algumas fotos, fomos conhecer a vinícola da cidade.

Vinícola Celestin

Vinhos Celestin - Produção local e artesanal

Muitos vem à Urubici e recebem como indicação de passeio, uma visita à Vinícola Francioni, que não é de Urubici. Ela está em São Joaquim e tem uma mega estrutura pra receber visitantes, tem objetos de arte e de decoração trazidos de todas as partes do mundo e tem um vinho padrão internacional produzido de forma industrial.

Mas nós não queríamos nada disso. Queríamos conhecer coisas que fossem realmente de Urubici. Foi então que nos indicaram a Vinícola Celestin

A produção é assinada pelo casal Norberto e Viviane Ghizoni.

Na contra-mão do tradicional êxodo rural, Norberto que é Oceanógrafo - formado em Florianópolis, voltou para as terras do Avô - Celeste Francesco Ghizoni, que veio da Itália junto com outros tantos imigrantes em 1890. Em 1927 já com a sua própria terra, o Avô começou a produzir vinhos, mas seus filhos não continuaram seu legado e foram embora para as grandes cidades em busca de melhores oportunidades de trabalho.

Sete décadas mais tarde, Norberto - o neto - retornou às terras do avô e decidiu reiniciar a produção artesanal. A produção era pequena e funcionava mais como um hobby. Foi presenteando os amigos e com a repercussão e os pedidos de mais “presentes” que Norberto foi atrás de mais conhecimento e técnica para aumentar a sua produção.

Hoje, tem uma produção de 6 a 7 mil quilos de uvas e além do vinho tipo bordeaux, tem também a cabernet sauvignon, mas estas uvas vem de fora.

A produção do Norberto é toda orgânica, o que o permite participar do projeto Acolhida na Colônia, que promove a visitação e hospedagem de turistas para conhecer de perto a vida rural, com simplicidade … e além dos vinhos, comercializa o suco das uvas.

Como a produção é orgânica e feita de forma artesanal,não há uma produção igual a outra, e isso acaba inibindo os pedidos para restaurantes e outros revendedores da região que buscam uma “qualidade” industrial. (as aspas são para questionar se qualidade é ter um produto natural ou industrial? Nós preferimos os naturais…e vc?)

Uma garrafa de vinho Bordeaux custa R$ 6,00, a de Cabernet Sauvignon custa R$ 10,00 e uma garrafa de suco custa R$ 3,00

A vinícola fica na Rua Celeste Francisco Ghizoni, S/N e está aberta à visitação a qualquer dia ou hora. E é o próprio Norberto quem recebe, quando não está voando de Para-Pente.

Temperaturas abaixo de zero

Em urubici o inverno é tão frio que em algumas manhãs, as temperaturas chegam a ser abaixo de zero graus.

O sol nasce e os campos ainda estão cobertos de gelo
Onde o sol ainda não chegou a neve permanesce
Paisagens rurais cobertas de gelo. Isso também é Brasil!
Paisagens rurais cobertas de gelo. Isso também é Brasil!
Paisagens rurais cobertas de gelo. Isso também é Brasil!
Paisagens rurais cobertas de gelo. Isso também é Brasil!

Quando estivemos por lá tivemos a sorte de pegar algumas geadas dessas que deixam os campos branquinhos branquinhos de gelo. A temperatura mais baixa que pegamos foi de -4ºC (!!!), baita frio!

A música regional

Assista ao slide show com algumas imagens de Urubici ao som da música de Cristaldo Souza, músico de Urubici.

Dica dos autores

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

- Leve agasalhos bem quentes, gorro, cachecol e luvas porque o inverno é bem frio mesmo.
- Compre produtos coloniais como mel e geléias para presentear os amigos.
- Se estiver sol, use filtro solar (mesmo no inverno)
- Contrate um guia local para fazer as lindas trilhas de Urubici.


Agradecimentos

HOSPEDAGENS

Estalagem Villa da Montanha
Estrada do Rio do Engano s/n - cep:88650-000
(49) 9926-9679
estalagemvilladamontanha@gmail.com
www.estalagemvilladamontanha.com.br

Pousada Invernada
Rodovia SC 439 - Rio Rufino – Bairro Fetti
(49) 3278 4131- fazinvernada@hotmail.com

Pousada Kiriri-Etê
Rodovia sc-430 - km 15 - Serra do Panelão
(49) 3278 5481 - verazilli@terra.com.br
www.kirirete.com

Pousada Fazenda Pedra Preta
Rod. SC-430, km 43 (Rod. Urubici-São Joaquim, a 15km do centro)
(49) 9128 7778 e (49) 9133 6311 - fazendapedrapreta@yahoo.com.br
www.pousadapedrapreta.com.br

Fazenda Fogo Eterno
Rod SC 430 km 42, (estrada que liga Urubici a São Joaquim)
(49) 32784351 - (49) 3279 4242 ramal 39 ou (49) 91169094
contato@fazendafogoeterno.com.br
www.fazendafogoeterno.com.br

Pousada Serra Bela
Rodovia SC-439, KM 4 N. 44 - Bairro Sto. Antônio
(49) 3278 5113 - (49) 3278 4666
contato@serrabela.com.br
www.serrabela.com.br

Urubici Park Hotel
Rua Adolfo Konder, 2278
(49) 32785300 ou (49) 32785300
www.urubici.com.br

RESTAURANTES

Restaurante Tradição
Av. Adolfo Konder, 2310 (principal avenida da cidade)
(49) 3278 5179

Restaurante Truta Azul
(49) 9918 9880
www.trutazul.com.br

Restaurante e Pizzaria Sabor da Carne
Av. Adolfo Konder, 2073
(49) 3278 5284 e (49) 8806 6085

Restaurante Vale da Neblina
Rod. SC 430 - KM 35
(49) 9923 1064

A Taberna
Av. Pref. Natal Zilli, 3330 (principal avenida da cidade)
(49) 3278 5121
urubici@urubici.net

Restaurante Coelho’s
Av. Pref. Natal Zilli,

Pizzaria Cor da Fruta
Av. Adolfo Konder, 601

  
  

Publicado por em

Fábio Leonel Branco

Fábio Leonel Branco

04/12/2008 23:40:14
Sou de Urubici,hj moro em Porto Seguro-BA,fui de ferias para Urubici em 2007,só vou agora em 2010,e,é com matérias e fotos nota 10 como esta que mato um pouco a saudade da minha terrinha.

Abraços

Fábio

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Oi Fábio!!! Desculpe a demora na resposta. É que estávamos empenhados em conseguir uma KombiHome (www.kombihome.com.br) para continuar a fazer matérias como esta que vc gostou ;) Ah, obrigada pelo elogio e tomara que vc volte para visitar Urubici antes do que imagina :) abs
Marcelo

Marcelo

12/11/2008 12:33:39
Parabéns pela matéria.

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Obrigada, Marcelo!
DARCI GARCIA

DARCI GARCIA

12/10/2008 10:43:15
OLA,VCS ESTAO DE PARABENS QUE IMAGENS LINDAS,MORO EM ITAJAI SC APRENDI QUE DEVO CONHECER MELHOR MEU ESTADO-POIS AMO A NATUREZA OBRIGADO PELAS INFORMAÇOES.

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Oi Darci, Obrigada pela participação. Fica fácil ter fotos bonitas em lugares lindos ;) Tem mais no nosso Blog www.vidadeviajante.com.br Ah, e damos o maior apoio para vc viajar mais pra conhecer lugares bonitos assim. abs
Jorge

Jorge

10/10/2008 10:06:10
Fotos Lindas!

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Oi Jorge, Obrigada!
Lucia

Lucia

10/10/2008 10:03:59
Moro em Urubici e amo minha cidade! Fico feliz em ver uma matéria tão legal falando daqui. Parabéns.

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Oi Lucia, Que bom que gostou! Nós também adoramos Urubici, tanto que é a segunda vez que fazemos matéria ai. Veja as outras matérias e os vídeos que fizemos no nosso Blog www.vidadeviajante.com.br. Pesquise na categoria [SC] Urubici Abs
José Vieira

José Vieira

08/10/2008 23:17:31
Demaaaaais! Lindas fotos hein!

Marcelo

Marcelo

08/10/2008 17:21:27
Já fui 4 vezes a Urubici e não sabia que lá tem tudo isso pra fazer! Excelente matéria! Obrigado pela dica.

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Oi Marcelo, Obrigada pela participação. Não deixe de fazer essas novas atividades que vc descobriu na sua próxima visita à Urubici! :)
Eliane Ferreira

Eliane Ferreira

25/09/2008 09:26:48
Dei uma olhada superficial, prometendo reservar um tempo para apreciar melhor a maravilha que vcs nos presentearam à todos. Parabens pelo belo trabalho.
Eliane

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Oi Eliane, Que bom que vc ficou com gostinho de "quero mais". Assim vc tem mais uma opção pra sua próxima viagem :) Veja também as dicas que damos em nosso Blog www.vidadeviajante.com.br abs
Gilvete Maria Dal Vesco

Gilvete Maria Dal Vesco

24/09/2008 00:36:37
Santa e Bela Catarina. Quem saiu daí acaba voltando prá matar as saudades. Tu és linda e sempre serás. Espero que te cuidem bem para que sempre possamos vê-la assim.

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Lyanne Rehder e Marcelo Maestrelli

Gilvete, obrigada pelo seu lindo comentário!
Adilson Moralez

Adilson Moralez

12/09/2008 12:28:52
Marcelo e Lyanne, parabéns pela matéria - concordo 100% Urubici é um dos muitos lugares do Brasil que vale a pena voltar várias vezes.