Cajueiro



A história do município de Cajueiro teve início quando um povoado começou a se formar ao redor de uma grande cajueiro, no início do século XIX. Situado num local de paisagem, às margens do Rio Parnaíba, era o ponto de repouso das pessoas provenientes do agreste e do sertão, em direção ao litoral.

Em 1904, o então governador de Alagoas, Euclides Malta, criou o município de Cajueiro, ao abrigo da Lei n.° 427. Oito anos mais tarde, um decreto-lei anulou a criação do município e a cidade voltou a condição de distrito de Capela. Em 1957, Antônio Palmery Soriano Melo e alguns veriadores encabeçaram o movimento para devolver a autonomia administrativa ao local. O movimento terminou vitorioso com o desmembramento definitivo de Cajueiro em 1958.

A criatividade do povo cajueirense é ponto forte na cultura local. As festas municipais têm inicio no dia 2 de janeiro com a festa da padroeira Nossa Senhora do Livramento, que perdura até o dia 11. O município faz um dos carnavais mais animados da Zona da Mata. De 21 a 24 de maio é a vez da “Festa do Vaqueiro”, o São João “fora de época”, que atrai milhares de visitantes. Durante o evento. A Lengo Art reúne artesãos de todo o Estado e é uma amostra do que a comunidade está levando para mercados europeu e americano peças feitas de bambu pela Bambuzeira Capricho. O bordado produzido em Cajueiro é exportado para diversos países.

Em junho, o forró está de volta a Cajueiro com força total. Em novembro, a vaquejada toma conta do lugar preparando o espírito de solidariedade dos cajueirenses para o Natal e o Ano Novo. No atrativo turístico, destaca-se a fé, que leva centenas de fiéis ao Morro santo, onde está erguida uma estátua do Frei Damião.

Regiões Turísticas







Hotéis e Pousadas em Cajueiro








Agências de viagens e turismo em Cajueiro