Belmonte



No início do século XVIII, colonos portugueses começaram o povoamento de São Pedro do Rio Grande nas proximidades do rio Grande, atual rio Jequitinhonha.
Inicialmente habitada por índios botocudos catequizados pelos jesuítas que aí fundaram a capela de Nossa Senhora de Madre de Deus. Durante muito tempo a cidade foi importante porta de entrada para Minas Gerais, através do rio Jequitinhonha, única via navegável até Salto da Divisa.

Situado numa planície entre o rio Jequitinhonha e o oceano Atlântico, esse município floresceu nos bons tempos do cultivo do cacau, no final do século XIX. Em 1891, a vila, batizada com o nome de São Pedro do Rio Grande, passou à categoria de cidade, inicialmente com o nome Belmonte do Jequitinhonha. Historiadores supõem que o nome Belmonte foi sugerido pelo ouvidor de Porto Seguro, em homenagem à cidade homônima portuguesa, onde nasceu Pedro Álvares Cabral.

Na foz do rio Jequitinhonha existem manguezais com a vegetação típica que inclui caules retorcidos, com o emaranhado de seus galhos rugosos, e raízes entrelaçadas à mostra, além de uma fauna riquíssima. A suposição histórica leva a crer que os primeiros “sinais de terra” (ervas flutuantes, troncos de árvores e raízes) avistados pela esquadra de Cabral, tenham partido do rio Jequitinhonha, que há 500 anos atrás deveria ser mais caudaloso, arrastando espécies da Mata Atlântica que ficavam boiando ao sabor das correntes marinhas.
Dotada de infra-estrutura de apoio ao turista, Belmonte é conhecida como a “capital do guaiamum”, porque as cheias do Jequitinhonha carregam argila para os solos avermelhados das margens do rio, que adquirem a umidade propícia à abundância desses crustáceos de coloração azul.

Centro Histórico

O patrimônio arquitetônico é preservado e curioso, com traços mouros evidenciados e estilos que se misturam, desde o colonial até o neogótico. O centro de Belmonte abriga diversas edificações coloniais, como a do Sindicato Rural de Belmonte, do final do século XIX, a Prefeitura Municipal, do início do século XX e o Sobrado com mirante - de três andares construído em 1897 com o brasão da Coroa Portuguesa - que oferece uma visão parcial da cidade, do rio Jequitinhonha e de fazendas de cacau.
Vale a pena conhecer outros atrativos como o chafariz na praça da Bandeira, do século XVIII, em ferro fundido, vindo de Glasgow, Escócia, o Coreto da Praça 13 de Maio, e o Farol Belmonte, marco histórico da sinalização náutica brasileira. Este farol teve a torre em três lugares diferentes, todas na margem direita do Jequitinhonha mas, devido ao intenso assoreamento do rio e à expansão urbana, ele fica hoje dentro da cidade. A torre atual, do sistema Mitchel, com alcance de 18 milhas náuticas, inaugurada em 1901, foi encomendada na França, em 1892, à mesma metalúrgica que construiu a torre Eiffel. Entre os monumentos da arquitetura religiosa destacam-se as igrejas Matriz de Nossa Senhora do Carmo, de 1765, e a de São Sebastião, de 1925.

Duração do Passeio
1 hora.

Dicas
Os apreciadores da poesia brasileira não podem deixar de visitar a Biblioteca Municipal Sosígenes Costa. Poeta dos mais importantes do modernismo brasileiro, cuja obra só veio a ser conhecida depois de sua morte, Sosígenes Costa nasceu em Belmonte e dedicou vários poemas a sua cidade.

Como Chegar
Todos os atrativos estão situados nas proximidades da praça da Bandeira.

Praias Urbanas

Praia da Barra
Na foz do Jequitinhonha, tem barracas de praia e vegetação densa, além de coqueiral. Permite banho de mar e de rio, pesca de molinete e prática de surf.

Praia do Mar
Moren o Com coqueiral e barracas de praia, é adequada para banho, pesca de molinete ou de rede, prática de surf, bodyboard e windsurf. Tem extensão de 7 km.

Como Chegar
Essas praias estão situadas a partir da foz do rio Jequitinhonha até 9 km ao sul, pela BA-001.

Praias do Norte

Praia do Meio
Ilhota situada na foz do rio Jequitinhonha,ótima para pescar. Com difícil acesso, a não ser de barco.

Praia do Norte
Reta, com 7 km de extensão, ondas fortes, coqueiros, areia fina e batida. Boa para banho. Pouco freqüentada.

Praia de Barra Nova
Apresenta um belo manguezal e é quase deserta. A freqüência, porém, aumenta muito nas noites de lua cheia. Boa para banho durante a maré baixa e adequada para a prática do surf, na maré alta. O melhor período para o banho de rio vai de abril a setembro, quando o nível das águas está mais baixo. Ideal para caminhadas, o acesso é a pé ou de bicicleta, através da praia de Belmonte. Ali se pratica a pesca de rede e de molinete, para captura do robalo e do camurim açu.

Praia do Peso
Ideal para banho. Pouco freqüentada. Dali saem também os barcos para o passeio no rio Passuí.

Como Chegar
De barco, atravessando o rio Jequitinhonha, a partir do cais de Belmonte, 9 km até a divisa municipal com Canavieiras, na Barra do Peso.

Praias do Sul

Praia do Mangue Alto
Não existe acesso rodoviário. Propícia para banho, pesca de molinete (cação, robalo, carapeba e cavala), caminhadas e surf. Os freqüentadores têm oportunidade de observar a diversidade natural: brejo, restinga, manguezais e coqueiral.

Praia de Mogiquiçaba
Para chegar à praia, é preciso atravessar o rio Preto ou Sucuruiuba (em tupi “serpente amarela”) em pequenos barcos, que fazem o percurso a cada três minutos. Na região, existem várias espécies de aves. A flora também merece destaque, devido à presença de Mata Atlântica às margens da BA-001. A praia é boa para caminhadas e para banho em todas as marés. É favorável para a pesca
de molinete e rede (pescada, cação e arraia são os peixes mais capturados), a prática do windsurf e surf, e passeios a cavalo. Tem infra-estrutura turística em meio ao coqueiral e espaço para camping. É área de desova de tartaruga marinha.

Praia do Rio Preto
Deserta e sombreada por coqueiral, em frente a sítios particulares. Oferece boas condições para banho e caminhadas nas areias compactas. Fica a 18 km ao sul da
cidade de Belmonte, com acesso por estrada de terra.

Como Chegar
Sair de Belmonte, na direção sul, por
27 km pela BA-001.

Rio Jequitinhonha

O rio é navegável e os passeios de barco permitem ao visitante conhecer a pesca de robalo e carapeba, observar os remanescentes de Mata Atlântica, fazendas de cacau com seus viveiros de mudas e jardins de clone de cacau, fazendas de criação de gado, plantações de coco e banana. A cidade de Belmonte fica na margem direita próxima da foz; ao longo do leito existem ilhas fluviais: Inguaíra, França e Coroa Grande, além da ilha do Meio, na foz.

Duração do Passeio
3 horas.

Dicas
Na cidade, existe uma empresa que providencia barcos e guias para os passeios fluviais.

Como Chegar
Do cais de Belmonte, subir o rio Jequitinhonha de barco ou de lancha. O percurso de lancha dura aproximadamente 1 hora.

Vila de Mogiquiçaba

Na linguagem indígena, Mogiquiçaba significa “pouso do rio das cobras”. Essa antiga vila de pescadores fica às margens da BA-001, no limite dos municípios de Belmonte e Santa Cruz Cabrália. Possui um dos litorais mais piscosos da região, perfeito para a pesca de arremesso. Nessa região há duas nascentes naturais, manguezais ricos em mariscos, Mata Atlântica e um mirante. O artesanato local inclui a fabricação de coberturas e vassouras de piaçava. A pesca do robalo, piau e tainha é feita no trecho do rio Preto que atravessa a vila.

Duração do Passeio
Tempo livre.
Como Chegar
Sair de Belmonte, na direção sul pela
BA-001, percorrendo 27 km até a vila
de Mogiquiçaba.

Rio Preto

Também chamado de Sucuruiuba por ser sinuoso, em forma de cobra, e porque existe uma incidência de sucuris em suas baixadas. As águas desembocam em Mogiquiçaba e são ótimas para a pesca do robalo, piau e tainha, além de ostras. O banho é apropriado nas proximidades da vila de Mogiquiçaba.

Duração do Passeio
Tempo livre.
Como Chegar
Sair de Belmonte e percorrer 27 km na direção sul pela BA-001, até a vila de Mogiquiçaba, onde se pode contratar barcos de pescadores para o passeio no rio Preto.

Rio Passuí

O rio Passuí é o elo de ligação entre os rios Jequitinhonha, em Belmonte, e Pardo,
em Canavieiras, margeados por manguezal, coqueiral, fazendas de cacau e Mata Atlântica. Neste caminho está a barra do Peso, onde pescadores esportivos praticam a pesca do robalo e camping selvagem em meio a uma paisagem paradisíaca.
O passeio de barco ou lancha sai do cais de Belmonte, atravessa o rio Jequitinhonha e entra no Passuí, seguindo para o canal do Peso e as ilhas de Vera Cruz e das Garças, essas últimas já no município de Canavieiras. Além das belas paisagens, o passeio permite a observação de pássaros e crustáceos. O barco passa por entre canais estreitos e ladeados, alternadamente, por manguezais e coqueirais. Nesse passeio, existe a opção de ir até a praia da Barra Nova no canal do Peso, para visita a um apiário e a um criatório de jacarés no sítio de Barra Nova.

Duração do Passeio
Tempo livre.
Dicas
Na cidade, existe uma empresa que providencia barcos e guias para os passeios. Verificar o horário da maré.
Como Chegar
De barco ou de lancha, a partir do cais de Belmonte, na direção norte; até a barra do Peso são 9 km de extensão.

Banco Royal Charlote

Está entre os 20 melhores pesqueiros do mundo e é o paraíso do marlin azul, peixe eternizado no livro O Velho e O Mar de Ernest Hemingway. O pesqueiro é um banco subaquático, uma espécie de terraço submarino, distante cerca de 40 milhas da foz do rio Jequitinhonha.

Duração do Passeio
Tempo livre.
Como Chegar
Alugar barco de pesca.

Lagoa da Sorte ou das Cobras e Lagoa Comprida
Situadas a aproximadamente 30 km do povoado de Cepa, essas lagoas possuem uma fauna muito variada.

Duração do Passeio
2 horas.
Como Chegar
Sair de Belmonte, pela rodovia BA-001 e percorrer 19 km na direção sul, até o entroncamento com a BA-275; entrar à direita pela estrada de terra BA-275; percorrer mais 23 km, até o povoado de Cepa.

Folclore
Boi Duro, Bumba-meu-boi, Dromedário e Chegança.

Culinária típica
Escaldado de guaiamum, pastel de caranguejo catado, moqueca de robalo e outros frutos do mar.

Regiões Turísticas

Localização

Belmonte está localizado a 695 km da capital do estado.

Acesso

Por terra: Sair de Porto Seguro e percorrer 23 km na direção norte pela rodovia BR-367, até a cidade de Santa Cruz Cabrália. Em Cabrália, atravessar numa balsa o rio João de Tiba, até o atracadouro de Santo André. Seguir por mais 51 km pela rodovia BA-001 até Belmonte.







Hotéis e Pousadas em Belmonte








Notícias, Reportagens e Artigos sobre Belmonte

Notícias > Turismo > Ecoturismo

Aventura e Ecoturismo na Costa do Descobrimento, na Bahia

Aventura e Ecoturismo na Costa do Descobrimento, na Bahia

Imagine o que Cabral encontrou na Bahia em 1500. O litoral sul da Bahia é de uma beleza hipnotizante que os anos de colonização e desenvolvimento não diminuíram. Praias deliciosas, sol radiante o ano todo, cachoeiras e rios

Notícias > Turismo > Turismo de aventura

Aventura e Ecoturismo nos passos dos descobridores

Conheça os caminhos que seduziram os portugueses 500 anos atrás

Notícias > Turismo > Gastronomia

Festival Gastronômico da Costa do Descobrimento mistura temperos, turismo e cultura

Festival Gastronômico da Costa do Descobrimento mistura temperos, turismo e cultura

Sempre com temas relacionados ao Descobrimento do Brasil, os 30 restaurantes participantes dão uma pitada a mais no tempero de seus pratos, criados especialmente para o Festival

Notícias > Turismo > Turismo sol e praia

Ilhéus e Itabuna, na Bahia, vão ganhar sinalização turística

A medida completará a colocação de 2.400 placas padronizadas, que terá início em Bom Despacho, no Recôncavo baiano, seguindo até a cidade de Belmonte, no Extremo Sul

Notícias > Turismo > Turismo sol e praia

Estradas do Litoral Sul da Bahia terão sinalização turística

Além das placas rodoviárias, a sinalização traz mapas ilustrados, placas de roteiros náuticos, áreas urbanas e de interesse turístico, com informações sobre os pontos turísticos.

Notícias > Turismo > Gastronomia

Cultura é destaque de Festival Gastronômico na Bahia

Os turistas já começaram a apreciar os pratos que integram o festival, aberto no sábado (18), com grupo de samba e choro

Agências de viagens e turismo em Belmonte