Campanha



A cidade é sede da Academia Sul-Mineira de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico Alfredo Valadão, da Cruzada Nacional de Alfabetização, precursora do MOBRAL, da Fundação Cultural, entre outras entidades sócio-culturais.

É porta de entrada para o Circuito da Águas e recebe turistas também por causa de suas igrejas e casarões coloniais.

As principais atividades econômicas de Campanha são: a agropecuária, dando um maior destaque às culturas de café, milho, feijão, cítricos, batata e gado leiteiro; laticínios e metalúrgica, além da fabricação de gaiolas e acessórios para pássaros.

Matriz de Santo Antônio

A primeira e antiga Matriz de Santo Antônio, a primeira igreja construída na Campanha, então Freguesia de Santo Antônio do Vale da Piedade da Campanha do Rio Verde, pela vontade e pela fé dos pioneiros e bandeirantes que habitaram estas ricas e aprazíveis terras, no limiar do século XVIII.

Entre 1737 a 1742, a igreja foi construída, nela se despendendo nove mil oitavas de ouro, pela Irmandade do Santíssimo Sacramento. Não era esse templo de pequenas dimensões, pois havia no seu interior 93 sepulturas e estava situado pouco abaixo da atual Catedral, na parte em que a Praça Dom Ferrão se larga, nas imediações dos jardins e das estátuas do Mininistro Alfredo Valladão e do cientista e sábio Vital Brazil Mineiro da Campanha. Durou relativamente pouco a primeira Igreja Matriz, pois em 1800, já tinha aspecto de ruínas. Em seu adro existia uma cruz, ao pé da qual foi enterrado, sem nenhuma pompa e no hábito do seu Padre São Francisco, de que era terceiro, por sua última vontade manifestada em testamento que fez antes de falecer em 20 de dezembro de 1748, o grande bandeirante Capitão-mor João de Toledo Piza e Castelhanos.

Nossa Senhora do Rosário

A segunda igreja construída, por Provisão Régia de 1759. Segundo descrição de Francisco de Paula Ferreira de Rezende, em sua obra “Minhas Recordações”, a Igreja do Rosário esta colocada acima da Matriz, no ponto mais alto da colina em que a povoação se assenta, justamente no lugar em que, naquele tempo, acabavam as casas e começava o campo.

Sem nenhuma arquitetura e sem torres, o seu sino ficava do lado de fora. A mais alegre de todas as festas da Campanha era a festa dos negros, isto é, a de Nossa Senhora do Rosário e como vulgarmente se dizia a “subida do Rosário”. Essas festas, as congadas, com os seus vistosos “ternos” e animadas “embaixadas”, há anos passados, tivemos oportunidade de assistir e admirar. Houve tempo que a Igreja do Rosário foi a única e a mais importante da Campanha, sendo aí celebrados os ofícios religiosos.

Assim foi por ocasião da morte de D. Maria I, a 20 de março de 1816, em que as suas exéquias solenes, com Missa e sermão, foram realizadas nesse templo. Essa igreja foi inexplicável e simplesmente demolida, edificando-se, muito mais tarde, outra, por grande capricho e esmero da saudosa D. Matilde Dallapé, no fim da Chapada.

Nossa Senhora das Dores

É a terceira em antiguidade e foi concluída em 1799 pelo rico minerador, José de Jesus Teixeira. Felizmente ainda existe, na plenitude de sua beleza e de seu estilo colonial de linhas puras.

Capela da Santa Cruz

A primitiva Capela Santa Cruz, construída por volta do ano de 1848, fora do perímetro urbano, na localidade denominada de Árvores Bonitas, foi consumida por um incêndio tido como criminoso. Substituiu-a a Segunda Capela, em 1895, em uma elevação no fim do Bairro das Almas e, mais tarde, por se achar em ruínas, foi demolida, até que, em seu lugar, foi edificada a terceira e atual Capela de Santa Cruz, em 1938, no mesmo belo e aprazível local.

Catedral de Santo Antônio

Sua pedra fundamental foi lançada no dia 21 de janeiro de 1787, em solenidade presidida pelo pároco local Pe. Bernardo da Silva Lobo, com assistência de grande número de fiéis e membros das irmandades. Foi construída pelos escravos e levou 35 anos para ser concluída. Foi feita em taipa, de terra da melhor qualidade, conduzida de grande distância, por toda gente sem distinção de sexo, idade, fortuna e posição social, sendo notável a solidez da obra, cuja espessura de 1,80m a todos causa admiração. Em 1925, foi modificada a sua fachada, descaracterizando-a completamente e dando assim novo aspecto à fachada e torres. Em 1937 e 1938, D. Inocêncio Engelke, 2º bispo diocesano, às suas expensas, manda cercar a Catedral com uma grade de ferro. Várias reformas foram feitas ao decorrer dos anos. Em taipa, é o maior templo católico de Minas e um dos três maiores do Brasil.

Regiões Turísticas

Localização

Campanha está localizada a 316km da capital do estado.

Hotéis e Pousadas em Campanha








Notícias, Reportagens e Artigos sobre Campanha

Notícias > Turismo > Turismo cultural

Museu das Reduções comemora 25 anos de fundação

Tudo começou em 1978, quando os irmãos Ênio, Décio, Sylvia e Evangelina Vilhena, todos aposentados, começaram a construir miniaturas de importantes edifícios brasileiros. A primeira réplica confeccionada pela família foi a Igreja de N. S. das Dores

Notícias > Turismo > Turismo nacional

12 de outubro: Minas Gerais para a família

12 de outubro: Minas Gerais para a família

Destinos turísticos mineiros agradam pais e filhos no feriadão

Agências de viagens e turismo em Campanha

Turismo Javenida Ltda

Rua Ventura Villamarim, 64
Centro - (35) 3261-2120

Turismo Javenida Ltda

Rua Ventura Villamarim, 64
Centro - (35) 3261-2120