Cruzília



Cruzília teve os nomes de Encruzilhada, Cruz da Estrada e Cruziléia (estes dois últimos de curta duração).Quando se tratou da revisão dos municípios brasileiros, verificou-se que a Encruzilhada do Sul (RS) era mais antiga que a Encruzilhada mineira, que teve que perder o nome para Cruz da Estrada. Tal, no entanto, não é verdade, pois o topônimo Encruzilhada na região de Baependi data da segunda metade do século XVIII, sendo, por isso mesmo, anterior à Encruzilhada gaúcha.O topônimo lembra duas estradas que ali se cruzavam, uma que ia ter Aiuruoca e Alagoa, outra a Carrancas e interior da Capitania. O nome Encruzilhada aparece desde os remotos anos de 1718/20, quando Francisco Martins, Diogo Pires, Tomé de Souza e Silva, Pedro da Silva Góis e Diogo Moreira, todos eles moradores em Encruzilhada, procuraram pagar os impostos devidos à Coroa, no antigo Distrito de Baependi. Em 1726, aos 20 de dezembro, D. Lourenço de Almeida, governador mineiro, concede uma sesmaria a Manoel de Sá “que há dois anos, sem contradição alguma, está cultivando umas terras que até esse tempo nunca tiveram dono nem cultura no sertão que vai da Encruzilhada para Jeruoca” (Revista do Arquivo Público Mineiro de 1899, pág. 180). Recebeu légua e meia de testada para a parte de Aiuruoca e duas léguas de sertão, obrigando-se a cultivá-las no prazo de dois anos. Esse Manoel de Sá foi o primeiro dono do sítio da Encruzilhada, em cujas terras foi fundado o lugar. Isso consta dos registros paroquiais de Baependi, na especificação “assistentes no sítio da Encruzilhada”, desde o ano de 1732. Outros registros, posteriores, são mais claros na designação do lugar, que então ia crescendo.Em 1800 já aparece o nome “bairro da Encruzilhada”, nos registros de Baependi. Seu antigo cemitério data do ano de 1758. Com a decadência do lugar, os falecidos passaram a ser sepultados em Baependi. Bem mais tarde é que foi restabelecido o cemitério, segundo termo de óbito do ano de 1822. O progresso do lugar data de 1838. Não havia capela alguma, a não ser em fazendas. As principais fazendas eram dos manos João e José de Souza Meireles, que possuíam em casa oratórios, devidamente providos pela autoridade diocesana. Esse oratório (o de José de Souza Meireles) era dedicado a São José e se achava construído na fazenda do Angaí.A capela da Encruzilhada é do ano de 1861. Foi benta pelo vigário de Baependi, cônego Joaquim Gomes do Carmo, a 11 de agosto daquele ano.Progredindo a localidade, foi criada a Paróquia pela Lei Mineira nº 1995, de 14 de novembro de 1873.

Cruzília pertence ao Caminho Velho da Estrada Real e integra o chamado Circuito Turístico das Montanhas Mágicas da Mantiqueira. É conhecido por suas fazendas centenárias e por ter dado origem aos cavalos da raça Mangalarga Marchador. Além disso, a qualidade dos móveis e dos queijos finos produzidos tornaram o município uma referência nacional.

Localização

Cruzília está a 384km da capital do estado.

Acesso

Por terra: São Paulo

* Via Dutra, Cachoeira Paulista, Passa Quatro, Pouso Alto, Caxambu, Cruzília

* Via Rod. Fernão Dias, Lambari, Caxambu, Cruzília

* Via Rod. Ayrton Senna, Rod. Carvalho Pinto, Aparecida do Norte, Cachoeira Paulista, Passa Quatro, Pouso Alto, Caxambu, Cruzília

Belo Horizonte

* Via São João Del Rey

* Via Rod. Fernão Dias

Rio de Janeiro

* Via BR-267 - Juiz de Fora

* Via Dutra:







Hotéis e Pousadas em Cruzília








Agências de viagens e turismo em Cruzília