Viaje quase de graça com Milhas Aéreas

Parques Nacionais > 

Lagoa do Peixe - RS

Santuário das aves migratórias



A Grande Restinga do Rio Grande do Sul revela belezas e surpresas. As marés e os ventos mudam sem aviso, podendo pegar o homem de súbito. Mas onde a natureza domina, ela também se mostra mais esplendorosa. Lagoas salobras, dunas floridas e praias desertas recebem a visita de centenas de aves migratórias, que encontram ali um lugar de descanso e fartura para enfrentar suas longas viagens.

Criado em 1986 para proteger um dos mais importantes santuários de aves migratórias, o Parque Nacional da Lagoa do Peixe, com 34.357 hectares, preserva um importante ecossistema costeiro. Na região vivem algumas comunidades de pescadores, descendentes dos lusitanos, sobrevivendo da pesca artesanal do camarão no verão e da tainha no inverno.

Aspectos culturais e históricos

As tribos de índios Tupi-Guarani habitavam a região do Parque há mais de 400 anos atrás. A região foi colonizada por açorianos. O nome da unidade se deve à importância da Lagoa dos Peixes, na verdade uma laguna, dentro do ecossistema, a maior e mais procurada pelas aves para a alimentação.

Aspectos naturais

O Parque Nacional da Lagoa do Peixe está sobre uma extensa planície costeira arenosa, formada pelo vaivém das marés. Situado entre a grande Lagoa dos Patos e o Oceano Atlântico, sua paisagem é composta por restinga, banhados, matas nativas, campos de dunas, lagunas e praias, criando uma grande biodiversidade.

A vegetação está representada por espécies características de solos arenosos e com alto teor de salinidade, como a macela graúda, o brejo-da-praia e a espartina. Na restinga encontram-se algumas espécies de Mata Atlântica adaptadas, como figueiras rodeadas por orquídeas. Juncos e gramas-brancas crescem nos banhados.

A Lagoa do Peixe, paralela à praia e com 40 km de extensão, é bastante rasa, atingindo, no máximo, 60 cm de profundidade. Somente na barra de comunicação com o mar, a profundidade chega a 2m. Suas águas salobras, repletas de plânctons, crustáceos e peixes atraem centenas de aves.

São 182 espécies de aves, sendo 26 delas migratórias do hemisfério norte e 5 do sul. Do Chile e da Argentina, chegam os flamingos. Do norte vem o maçarico-de-peito-vermelho. O parque ainda possui mamíferos como a capivara e o tamanduá e um réptil ameaçado de extinção, o jacaré-de-papo-amarelo.

Clima

O clima da região é subtropical úmido, sem estação seca e com temperatura média anual de 16,5°C. O período de menos frio vai de setembro a março. O problema é que nessa época há muitos mosquitos na região.

AtraçõesO parque é ótimo lugar para a observação de aves, ideal para ser fotografado. Centenas delas se amontoam nas águas rasas da Lagoa do Peixe, que é um verdadeiro restaurante a céu aberto. Pode-se observar também a baleia franca, entre os meses de julho e outubro, que migram para Santa Catarina. As praias desertas escondem preciosidades, como o Farol da Solidão e o Farol de Mostardas, construído em 1858.

Para quem gosta de se aventurar por cenários incríveis, a região é imperdível. Com um veículo 4x4, pode-se ir pela BR-101 até São José do Norte. A chamada "Estrada do Inferno" é completamente deserta, por isso vá bem equipado. Em setembro, centenas de margaridas cobrem as dunas deixando a paisagem ainda mais bela.

Infra-estrutura

Para visitação é necessário se informar, com antecedência, sobre as regras na sede do Parque.

Em Mostardas e Tavares é possível encontrar guias do Ibama para visitas monitoradas. Essas duas cidades, que ficam a 25 km e 5 km do parque, respectivamente, oferecem hotéis, pousadas e restaurantes.

Objetivos específicos da unidade

Proteger ecossistemas litorâneos e espécies de aves migratórias que dependem da unidade para seu ciclo vital, como também para fins científicos, culturais e recreativos.

Decreto e data de criação

Foi criado pelo Decreto n.º 93.546 de 06.11.1986

Endereço para correspondência

Praça Prefeito Luiz Martins, 30.

96270-000 - Mostardas - RS

Fone/fax: (51) 673 -1464

E-mail: lagoadopeixe@terra.com.br

Estados

Cidades

Localização

O Parque Nacional da Lagoa do Peixe localiza-se no litoral do Rio Grande do Sul, entre o oceano e a Lagoa dos Patos, pertencendo aos municípios de Tavares, Mostardas e São José do Norte.

Acesso

O acesso é feito, partindo-se de Porto Alegre, através da RS-040, até Capivari (90 km - estrada asfaltada); de Capivari, pela RS-101 até Mostardas (120 km - estrada asfaltada), onde se localiza a sede administrativa do Parque. Da sede aos limites da unidade são mais 25 km. As cidades mais próximas da unidade são Mostardas e Tavares que ficam a uma distância de 200 km e 230 km, respectivamente, da capital.

Notícias, Reportagens e Artigos sobre Lagoa do Peixe - RS

Notícias > Turismo > Ecoturismo

Surpreenda-se ao visitar os Parques Nacionais

Se a ideia é, de vez em quando, fugir da selva de pedras, a solução pode ser simples e surpreendente. Vamos juntos conhecer mais e proteger os Parques Nacionais do nosso país

Blogs > Expedição Águas do Brasil > Boletins

Patagônia Brasileira -  beleza natural da Lagoa do Peixe (RS)

Patagônia Brasileira - beleza natural da Lagoa do Peixe (RS)

A expedição Águas do Brasil fotografa o santuário natural de aves migratórias e muitas outras espécies. Um cenário espetacular!

Atrativos turísticos - Lagoa do Peixe - RS