Taió



Embora a bandeira e o brasão do município de Taió contenham a data de 1917 como sendo a de início da colonização, a maioria dos historiadores e pesquisadores não aceitam como sendo esta a data que deu início as atividades do elemento europeu no município. Em 1906, por exemplo, Ramirio Goetten veio ainda pequeno com sua família, descendo pela serra geral de Curitibanos e instalou-se em Pinhalzinho, (atualmente, pertencendo a Mirim Doce) onde residem seus filhos atualmente. Também desceram a serra, e se instalaram em Rio Azul (hoje pertencendo à Rio do Campo), vários outros fugitivos da guerra do contestado. Mas pelos registros o alemão Eugenio Grusmuller teria feito a primeira plantação durante o final do inverno de 1917. Os primeiros moradores que se têm registro escrito, vieram subindo pelo Rio Itajaí e no ano de 1918 surgiu o primeiro acampamento onde seria depois a futura cidade de Taió, que também deu origem as cidades de Rio do Campo, Salete e Mirim Doce. O município se destaca como polo regional econômico, tendo 3 emissoras de rádio - Educadora AM, Verde Vale FM e Comunitária FM, além de 3 jornais: Observatório, Vale Oeste e Jornal Barriga Verde.

Em 7 de setembro de 1929, Taió passou a Distrito de São Francisco do Sul, pertencendo mais tarde a Itajaí, Blumenau e Rio do Sul. Com terras desmembradas de Rio do Sul, foi elevado a categoria de Município em 30 de dezembro de 1948, através da Lei Estadual nº 204, sancionada pelo governador José Boabaid. A partir de 12 de fevereiro de 1949, o município começa a caminhar com as próprias forças, cuja data, por sua importância histórica, passou a ser denominada de “Dia do Município“. Em 27 de dezembro de 1959, passou a ser comarca, abrangendo hoje os municípios de Salete e Mirim Doce.

A agricultura de Taió gira em torno do fumo, milho, arroz, suínos, aves, gado de corte e de leite, mel, queijos, cebola, batata-salsa, flores, hortaliças. Atualmente a indústria é a principal fonte de arrecadação de recursos. Taió produz e vende para o Brasil e o mundo papelões, madeira, móveis convencionais e de aço e produtos têxteis. Destacam-se ainda o design e comunicação, a indústria gráfica, nutrição animal, comércio de insumos agrícolas, e metal-mecânica, esta última em desenvolvimento.

As belas paisagens naturais, aliadas à hospitalidade, amabilidade e força de trabalho do povo, constituem-se na possibilidade de progresso e forte apelo turístico do município, que apresenta arquitetura característica da colonização italiana e alemã. Entre os atrativos, está a Barragem Oeste localizada a 4 km do centro da cidade e a ponte Roberto Machado, única construída em treliça e madeiras nobres. As manifestações folclóricas através do Circollo Trentino, Família Belunese, Grupo Folclórico Alemão, festas típicas, os produtos da Associação de Artesões, o Carnaval de Rua e a Jeep Festa da Fazenda são atrativos aos seus visitantes. Os aspectos geológicos também são destaque no município, onde fósseis encontrados são similares aos descobertos na Austrália. Estudos vêm sendo realizados por diversas instituições e entidades, visando em breve a criação do Museu Paleo Arqueológico e Histórico de Taió, sendo que vários sítios estão sendo catalogados para possibilitar a visitação pública.

Regiões Turísticas

Localização

Taió está localizada a 271km da capital do estado.

Hotéis e Pousadas em Taió








Agências de viagens e turismo em Taió

Deeke Tur

Rua Barão do Rio Branco 57
Vila Mariana - (47) 3562-1261

Montesi Tur

Rua Cecílio Scheffer, 79
Padre Eduardo - (47) 3862-0114

Wk Tur

Avenida Victor Konder, 48
Victor Konder - (47) 3562-0934

Wk Tur

Avenida Victor Konder, 48
Victor Konder - (47) 3562-0934