Miracatu



O antigo povoado de Prainha, localizado na margem esquerda do Rio São Lourenço, deve seu nome a uma pequena praia onde paravam os canoeiros para descansar e fazer suas refeições durante a viagem. Sua origem estaria ligada ao núcleo surgido nas terras do francês Pierre Laragnoit. Em julho de 1847, por um milhão de réis, Laragnoit comprou uma sesmaria de Domingos Pereira de Oliveira e sua esposa.

Em 14 de junho de 1871, Laragnoit doou terras para a construção de uma igreja e a abertura de um cemitério. O povoado que ali se formou foi elevado à categoria de Distrito de Paz no dia 06 de abril de 1872, com o nome de Prainha. Pelo Decreto Lei nº. 9.775 de 30 de novembro de 1938, o Distrito de Prainha foi elevado à categoria de município.

Em 1944, o nome da cidade teve que ser mudado porque existia uma cidade com nome idêntico no estado do Pará. Prainha passou a ser então Miracatu.

O transporte na região era basicamente fluvial, e os dois principais rios navegáveis eram o São Lourenço e o Ribeira de Iguape. A navegação fluvial perdeu sua importância a partir de 1914, quando foi inaugurado o ramal Santos-Juquiá da estrada de ferro Sorocabana e o porto de Iguape, aos poucos, foi substituído pelo Porto de Santos. A partir do início do século XX, a região recebeu grande número de imigrantes japoneses que desenvolveram a cultura do arroz e da banana.

Hoje, Miracatu é um município do Vale do Ribeira na região sul do Estado de São Paulo, com uma extensão de 1.001 km² e com 22.383 habitantes. Com clima quente e úmido, chuvas anuais concentradas entre janeiro e março, sua economia é baseada principalmente na bananicultura. O município tem 5.240.615 pés de banana em 4.701 ha. de área cultivada e produz anualmente 98.700 toneladas, sendo o segundo maior produtor de banana do Vale do Ribeira.

Já existe a diversificação da cultura: palmito pupunha, açaí, café, pecuária e plantas ornamentais.

Por outro lado, o município está localizado dentro de três APA’s (Área de Proteção Ambiental), uma vez que 70% de seu território são cobertos pela vegetação original da Mata Atlântica:

Área de Proteção Ambiental da Serra do Mar

Área de Proteção Ambiental Cananéia – Iguape – Peruíbe

Estação Ecológica Juréia – Itatins

Isto submete Miracatu aos mecanismos de proteção legal da fauna e flora nativas, os quais, num primeiro momento, representam obstáculos ao crescimento social e econômico da região.

Entretanto, sabe-se que é na beleza de seus recursos naturais que o município poderá buscar a consolidação de sua vocação turística. Mesmo após 506 anos de destruição contínua, Miracatu oferece a exuberância da Mata Atlântica, sua diversidade de fauna e flora, áreas de mananciais com rios encachoeirados, que somados a cultura local e sua história, apontam para uma alternativa de desenvolvimento sustentável: o turismo (ecoturismo e turismo de aventura).

Um outro fator de destaque é sua posição geográfica: situa-se próxima (140 km) à maior cidade da América Latina e maior centro emissivo de turistas do País: São Paulo e a 250 km de Curitiba (PR); está também a 140 km do porto de Santos. Além disso, está na rota do Mercosul, representada pela Rodovia Regis Bittencourt (BR 116), que corta o município numa extensão de 70 km. É vizinha também de outros municípios turísticos como Juquitiba, Iguape, Ilha Comprida, Cananéia, Eldorado, Pedro de Toledo, Itariri e Iporanga, que podem dar origem, no futuro, a um verdadeiro corredor de ecoturismo.

Alguns dos atrativos naturais locais:

Cachoeira da Mutuca - Uma das maiores cachoeiras subverticalizadas do Vale do Ribeira, tem 273 metros e se situa a 8 km do centro, na rodovia Casimiro Teixeira SP 222 sentido Biguá - Iguape.

Atividades: Trekking, escalada molhada, watertrekking, cascading, passeio ecológico com observação de fauna e flora, banho e educação ambiental.

Cachoeira da Pedra Grande - Com seus 68 metros de altura, está localizada a aproximadamente 14 km da cidade, no centro da Mata Atlântica, na maior Unidade de Conservação do Estado de São Paulo, a APA da Serra do Mar no entorno da Serra do Paranapiacaba.

Atividades: Trekking, cascading, rapel, observação de fauna e flora e banho.

Cachoeira do Engano - Mais uma das várias cachoeiras do Vale do Ribeira, com 40 metros, possui inúmeras atividades: Cascading, escalada molhada, watertrekking, observação de fauna e flora, banho e educação ambiental.

Cachoeira do Fau - Com apenas seis metros de queda, mas com uma característica única, para prática do cascading e com um volume considerável de água, exibe uma plataforma oculta para duas pessoas em seu interior, que permite de dentro para fora, mergulhar num refluxo totalmente seguro. Situa-se a 16 km do centro da cidade.

Atividades: cascading, toboágua, canyoning, banho e mergulho, tirolesa (200 m), arvorismo.

Cachoeira do Manecão - Uma das cachoeiras subverticalizadas do Vale do Ribeira, com 73 metros, é de fácil acesso, com nível I de dificuldade, para os que gostam de muita aventura, emoção e lazer junto à natureza.

Atividades: Trekking, escalada molhada, cascading, observação de fauna e flora e educação ambiental.

Rio São Lourenço

O rio São Lourenço abrange uma extensão de 59 km e é imprescindível para a região, pois se tornou uma fonte permanente de recursos hídricos mantendo os sistemas de abastecimento de água.

E ainda temos:

Ø Corredeiras de Biguá;

Ø Cachoeira do Sobe e Desce com 30 m;

Ø Cachoeira da Cachumba com 25 m;

Ø Cachoeira da Vista Grande com 15 m;

Ø Cachoeira do Quiri;

Ø Represa da Fumaça.

Regiões Turísticas

Localização

Miracatu está localizada a 137km da capital do estado.

Acesso

Por terra: o acesso pode ser feito através da rodovia BR-116

Hotéis e Pousadas em Miracatu