Hotel Sobre Rodas

A fachada do hotel

Cesar Greco

Um passeio de hotel pela natureza

Cesar Greco

Café da manhã ao ar livre

Cesar Greco

Banheiro com ducha quente

Cesar Greco

Movimentação nos quartos

Cesar Greco

O Hotel Sobre Rodas é uma combinação de caminhão, cama, restaurante, banho quente, sala de estar e muita natureza. Mas como assim? Não está entendendo?

É fácil, imagine um hotel que pode se deslocar a gosto do cliente por locais turísticos pouco explorados no Brasil. Para entender melhor pense em uma estrutura parecida com a de um ônibus montada sobre o chassi de um caminhão, pense ainda em uma carreta onde são distribuídas de alto a baixo 32 camas embutidas, inclusive de casal. Imaginou? Então conheça essa inusitada forma de viajar por roteiros ecoturísticos e de aventura a bordo deste curioso meio de hospedagem ambulante.

O empresário Flavio Melo, idealizador do hotel, foi buscar inspiração nos overlands africanos (caminhões que transportam turistas em safári). Ele conta que há cerca de dez anos leu uma reportagem sobre esses rústicos caminhões que levam turistas para expedições nas savanas africanas. A partir daí começou a desenvolver seu projeto pessoal. No início pensou montar um overland diferenciado, que oferecesse um pouco de mais conforto e serviços à sua concepção original, quando percebeu havia projetado um verdadeiro hotel.

A construção

Ao todo foram aproximadamente 12 meses entre pesquisas e execução, só para ser construído foi gasto cinqüenta dias úteis. Os fornecedores, construtores e profissionais que participaram do projeto se empolgaram com a novidade, o que acabou criando um clima familiar na montagem do hotel. “Encontrei mão-de-obra especializada em Itu. Foi bastante curioso, na cidade havia existido algumas fábricas de veículos especiais, então encontrei profissionais sem emprego que tinham experiência no ramo, e ainda entendiam o que eu queria”, diz Flavo Melo.

Para se ter idéia do clima de montagem do Exploranter, o chassi da carreta foi todo encomendado a um fornecedor do sul, que trabalha numa pequena oficina junto com os filhos. “Precisava de suspensão a ar para a carreta, encontrava somente chassis com suspensão de mola no mercado, então cheguei a um senhor que trabalhava com a família e aceitou fabricar exatamente o que eu necessitava”, conta Melo.

Como é

Os turistas que embarcam para uma viagem de Exploranter são acomodados em 32 poltronas revestidas de couro dispostas em sala de estar com ar condicionado e música ambiente. Durante a viagem, que possui intervalos de 200 quilômetros cada trecho, são servidos água, refrigerante, doces, balas, bombons e chocolate. O equipamento é composto por três banheiros com total infra-estrutura, inclusive banho quente com sistema pressurizado e 3600 litros de água bi filtrada para consumo.

Quando sentir fome não se preocupe, o estaff prepara refinadas refeições que são servidas ao ar livre com todos os utensílios necessários a um bom gourmet. Ainda na cozinha há um forno de altíssima tecnologia capaz de servir mais de duzentas pessoas em uma só refeição – o forno pode até ser operado à distância via internet. As camas despertam muita curiosidade, não só pela forma como estão dispostas, mas também por possuírem armários com chave e serem numeradas como num legítimo quarto de hotel. As toalhas e cobertores também recebem o número da cama para que o passageiro saiba qual lhe pertence durante a viagem.

Curiosidades

O mais curioso no Exploranter, sem dúvida, é o seu visual externo, as camas e os banheiros. Dispostos sobre a estrutura de uma carreta, os banheiros possuem pia, bacia com chuveirinho, ganchos de toalhas e porta trecos, além de uma gostosa ducha quente. As camas são o frison da viagem, sua disposição em quatro andares, como beliches, não agradam a todos. Há quem não se adapte bem à primeira noite de sono por causa do teto baixo das camas mas, passada a fase de adaptação, é possível ter boas noites de descanso e acordar com uma incrível paisagem da natureza local na janela.

Outro fato que desperta curiosidade são as pessoas que param para observar o hotel. Em cada posto de estrada que o Exploranter estaciona acontece uma reunião de frentistas para discutir do que se trata. Nas pequenas cidades é ainda mais interessante a reação dos habitantes locais - as ruas de comércio simplesmente param para ver o hotel passar. O público local vai à porta das lojas para observar o grande veículo laranja, azul e branco que passa desfilando interesse.

Dificuldades

Mas nem tudo ocorreu de forma descomplicada. Para aprovar seu projeto, o empresário precisou até conversar pessoalmente com o Ministro do Turismo Carlos Meles. Segundo ele, o Exploranter teria “morrido” nos balcões paulistas responsáveis pela regulamentação do veículo hoteleiro. “Conversamos com o ministro e ele nos disse assim: `Todo mundo vem aqui pedir dinheiro, o moço está pedido para trabalhar, vamos ajudar’, e logo se pôs ao nosso auxilio com o processo do caminhão”, lembra Flavio. Hoje o Exploranter possui documentação semelhante a qualquer outro meio de transporte com as considerações de veículo especial, e ainda é reconhecido pela Embratur como meio de hospedagem.

Ecoturismo

No princípio a idéia do empresário era voltar os passeios a estrangeiros, já que a alta estação de turismo no Brasil dura apenas 2 meses. Ele analisa que os brasileiros vêm descobrindo cada vez mais outras modalidades de turismo e, nos períodos de baixa estação, poderia utilizar o hotel com os estrangeiros. “A exportação mais linda e limpa que existe é o turismo, até o dinheiro da revelação das fotos que o estrangeiro tira daqui fica no Brasil”, afirma.

Para Flavio Melo o seu hotel sobre rodas veio para dar um “choque elétrico” no turismo brasileiro, uma vez que tem o poder de mudar o mapa turístico no país. Ele argumenta que, embora o país tenha imensas riquezas naturais em regiões ainda pouquíssimo exploradas, atualmente são oferecidos roteiros massificados, como viagens pela costa litorânea e cinco ou sete pontos turísticos mais ao interior do Brasil. A intenção é levar o turista a regiões mais desconhecidas do Brasil, aonde não são alvos de exploração turísticas e, nem sempre estão aptas a receber visitantes - é ai que seu hotel ambulante se encaixa.

O Exploranter é dotado de acomodação com baixo impacto à natureza e ainda utiliza a mão-de-obra de guias locais nos passeios de ecoturismo. Além disso, dependendo da região visitada, oferece ao turista a oportunidade de saborear comidas típicas. A idéia é promover parcerias e proporcionar ao visitante um modo diferenciado de se fazer turismo de forma curiosa e inusitada a locais tão atraentes e ricos de beleza quanto os mais badalados e mais conhecidos no Brasil. Para isso, o empresário não teme concorrência e espera que muitos outros empreendedores copiem seu projeto. “Quando a gente entende o tamanho do Brasil percebe que o país precisa disso, temo apenas que façam versões distorcidas do projeto ideológico original, que é promover igualdade entre os hospedes e ainda proporcionar sintonia de serviços dos locais visitados com os serviços do Exploranter”, diz Flavio Melo.

Oba, eu quero!

O projeto do Exploranter, da idéia à concepção, custou R$ 500 mil. Uma viagem de 10 dias com roteiros definidos custa R$ 1.875. O hotel também recebe conferências e cursos de gestão empresarial, principal motivo que levou o empresário a fabricar o hotel com itens de conforto. Para os próximos meses os roteiros disponíveis podem ser consultados no site do hotel www.hotelsobrerodas.com.br, mais informações e reservas no telefone (0xx11) 3085-4029.