Russos não devem assinar o Protocolo de Kyoto na Rio+10

A Rússia está cada vez mais distante de ratificar o Protocolo de Kyoto durante a Cúpula Mundial para o Desenvolvimento Sustentável. Sem a assinatura russa, o protocolo não será posto em prática.

A informação sobre a posição russa é de um integrante da delegação brasileira que acompanha as negociações sobre clima e energia durante a Rio+10.

Se a Rússia não ratificar Kyoto durante a conferência - o que a Organização das Nações Unidas (ONU) ainda espera que aconteça -, os demais países signatários do acordo devem suspender as negociações sobre fontes de energia renováveis durante o encontro na África do Sul.

Se de fato se confirmar a resistência dos russos, isso irá frustrar os países que são a favor do protocolo e da adoção de fontes de energia menos poluentes, como o Brasil e as nações da União Européia.

Sem propostas

Os Estados Unidos ainda não apresentaram nenhuma proposta sobre energia renovável, o que reforça a afirmação dos ambientalistas de que a Rio+10 avançará pouco no setor de clima e energia.

As negociações sobre agricultura e comércio também estão lentas.

Integrantes da delegação americana, principalmente da oposição, criticaram nesta quinta-feira a ausência do presidente George W. Bush na conferência.

"Queremos que o mundo entenda que há integrantes do Congresso americano aqui que lutam contra a posição de Bush e estão tentando negociar com os países que querem promover melhorias no clima do planeta", disse um representante democrata do Congresso.

Desastres climáticos

Em entrevista à BBC Brasil, Helen Valdes, secretária das Nações Unidas para Estratégias de Prevenção a Desastres Climáticos disse que as recentes enchentes na Ásia e na Europa, por exemplo, podem não ser 100% provocadas pelos seres humanos, mas certamente têm as suas conseqüências aumentadas por conta da ação humana.

"Produzindo mais gases de efeito estufa, o homem aumenta o volume de água dos oceanos e compromete a saúde dos rios; isso faz com que a atmosfera fique mais ativa, acelerando a formação de preciptações e fenômenos como os ciclones tropicais", diz Valdes.

Outro problema, segundo ela, e provocado pelo desmatamento. Cada árvore absorve cerca de 200 litros de água de chuva.

"A área desmatada na Europa e na Ásia é gigantesca. Isso faz com que os países absorvam menos a água das chuvas, comprometendo o bem-estar da população", explica.

A situação é mais grave nos países em desenvolvimento, que têm menos capacidade de se recuperarem dos desastres climáticos.

Fonte: BBC