Eco Casa

Um breve momento de reflexão sobre o consumismo excessivo dos seres humanos é possível revelar conclusões desastrosas ao meio ambiente e ao próprio homem, principalmente no que diz respeito ao volume de lixo e esgoto produzido diariamente em locais urbani

  
  

Um breve momento de reflexão sobre o consumismo excessivo dos seres humanos é possível revelar conclusões desastrosas ao meio ambiente e ao próprio homem, principalmente no que diz respeito ao volume de lixo e esgoto produzido diariamente em locais urbanizados ou de grande concentração humana. Basta fazer uma análise das notícias diárias dos jornais brasileiros, principalmente nos últimos dias, para se chegar à concordância de que as chuvas provocam catástrofes nas cidades. A população, em sua maioria de baixa renda, e alojada em encostas próximo a rios e córregos é a que mais sofre com as enchentes, provocadas, muitas vezes, pelo acúmulo de lixo lançado nesses locais.

Bill Mollison o pai da permacultura

Bill Mollison o pai da permacultura
Foto: Divulgação

As grandes quantidades de lixo, normalmente gerada pelos grandes centros urbanos, é um fenômeno explicado pela busca dos fornecedores de produtos de necessidade básica em facilitar a vida do consumidor. Desta forma acontece um tipo de centralização em que poucas empresas fornecedoras, por sua vez, acabam retirando matéria prima de um mesmo lugar para atender milhões de consumidores, o que acarreta em uso não sustentável dos recursos naturais oferecidos pelo planeta. Daí parte o ideal da Eco Casa, que visa utilizar e reutilizar os recursos que o próprio local de instalação oferecer aos seus habitantes.

Sistema de reuso de água.

Sistema de reuso de água.
Foto: Divulgação

Desenvolvida entre os anos 50 e 60, e finalmente idealizada na década de 70 pelo australiano Bill Mollison, a Permacultura é o resultado do uso e conhecimento de métodos para a produção de alimentos utilizando o solo disponível em um terreno. Aliado a isso, a Eco Casa vem para somar com o ideal de sustentabilidade usando meios ecológicos e economicamente viáveis, ou seja, objetiva atender às necessidades básicas sem poluir ou causar impacto ao meio ambiente. Ela é construída com materiais alternativos, como sobras de construções e também matéria prima encontrada no espaço do terreno, como barro, areia, pedra, galhos de árvores, madeira, sapê, etc.

O conceito da Eco Casa quanto a atender às necessidades básicas, se refere às formas tradicionais de vivência civilizada das pessoas. Busca-se soluções sustentáveis para instalar na casa um tipo de infra-estrutura que ofereça energia elétrica, água potável, alimentos (vegetal e animal), reciclagem de lixo e dejetos, além de captação de água de chuva e sistemas de reaproveitamento da mesma. Os princípios se baseiam em minimizar o impacto ambiental no local e fora dele, utilizar o mínimo possível de materiais industrializados dando preferência aos reciclados e maximizar o uso de matéria prima oferecida pelo local.

A construção é avaliada de acordo com os benefícios que o terreno pode oferecer, como seu posicionamento, em declive ou plano; a direção das correntes de ventos e chuvas; a posição do nascer do sol, para planejar a insolação da casa; E ainda procurar conhecer os materiais naturais de maior abundância na região, como também analisar a uso da casa, moradia ou temporada; quantas pessoas irão fazer uso e quanto se tem disponível para gastar, entre outros fatores.

Da fundação à cobertura os materiais podem ser usados de acordo com a criatividade e disponibilidade. Pedras, cimento reciclado ou sacos de areia servem para estruturar a fundação da casa. As paredes podem ser feitas de madeira, bambu, pau-a-pique (muito utilizado no nordeste brasileiro), madeira de reflorestamento ou certificada. Para dar acabamento o reboco pode ser feito com solo cimento, um tipo de mistura que usa terra com cimento. O telhado ganha as tradicionais telhas de barro, mas pode levar materiais alternativos como folhas de palmeira e material reciclado com base em embalagens longa vida ou pets de refrigerante.

O sistema de captação de energia da Eco Casa pode ser eólico, aproveitando o vento por meio de uma hélice conectada a uma turbina; solar, através de painéis captadores de energia solar; ou hidráulico, caso haja um rio ou córrego nas proximidades. Biodigestores ficam com a responsabilidade de aproveitar os dejetos humanos os transformando em gás e fertilizante para a terra. O fogão de lenha além de preparar saborosas refeição pode aquecer a água do banho, uma serpentina de cobre desempenha a função.

A água da chuva deve ser captada e armazenada. Para se ter uma idéia do que isso representa, em um local onde a incidência de chuva é de 1000 milímetros por ano e, hipoteticamente é utilizado um telhado de 100 metros quadrados para captar a água, o resultado será 100 mil litros de água anuais armazenados. Não só a chuva pode trazer bons frutos quanto à água, o reuso é também uma forma eficiente de obter o líquido para fins que não sejam potáveis. Métodos de filtragem podem garantir o reuso da água até quatro vezes após a primeira utilização.

Desta forma a Eco Casa é uma busca intensiva de métodos ecológicos sustentáveis evitando ao máximo a dependência de produtos industrializados. Viver obtendo o conforto da energia elétrica e da água fresca na torneira são preocupações constantes só que de forma responsável e criativa, sem contar com a busca incessante de fazer parte do meio ambiente não como um intruso e sim como um ser que compreende e procura viver ao seu lado.

  
  

Publicado por em