O Salão do Turismo 2005 - Roteiros do Brasil: A maior vitrine do Turismo brasileiro

O Salão do Turismo-Roteiros do Brasil é a maior mostra nacional de turismo já feito pelo governo federal para divulgar a atividade no Brasil e no mundo. A simpatia da Bahia Foto: Nathalia Zandavalli Lopes É uma estratégia de mobilização, promoção

  
  

O Salão do Turismo-Roteiros do Brasil é a maior mostra nacional de turismo já feito pelo governo federal para divulgar a atividade no Brasil e no mundo.

A simpatia da Bahia

A simpatia da Bahia
Foto: Nathalia Zandavalli Lopes

É uma estratégia de mobilização, promoção e comercialização de novos produtos e roteiros turísticos elaborados de acordo com o Programa de Regionalização do Turismo. Trata-se de uma ação de âmbito nacional que pretende reforçar a importância desse novo modelo de gestão da atividade turística como base na competitividade e na inclusão social. (Ministério do Turismo, 2005).

Bonecos gigantes de Olinda-PE

Bonecos gigantes de Olinda-PE
Foto: Nathalia Zandavalli Lopes

A primeira edição aconteceu entre 1º e 5 de Junho de 2005, no pavilhão de exposição Expo Center Norte, na cidade de São Paulo, recebeu um público diversificado como gestores públicos, pequenos e microempreendedores, profissionais do setor, operadores e agentes de viagem, profissionais da imprensa, pesquisadores, professores, estudantes e, o público em geral.

Apresentação de grupo folclórico de Mato Grosso

Apresentação de grupo folclórico de Mato Grosso
Foto: Nathalia Zandavalli Lopes

O Salão teve como principais objetivos apresentar, promover e incentivar a organização e comercialização dos destinos brasileiros, onde foram apresentados 451 produtos turísticos, abrangendo 959 municípios e o que há de melhor em 134 regiões do País. E ainda:

Jongo-afro-bantu (remanescentes de Quilombolas)-Fazenda São José-Valença-RJ

Jongo-afro-bantu (remanescentes de Quilombolas)-Fazenda São José-Valença-RJ
Foto: Nathalia Zandavalli Lopes

-ampliar o entendimento do turismo como gerador de trabalho e renda;
-fortalecer e impulsionar o processo de regionalização do turismo;
-integrar e promover acooperação entre estados e regiões turísticas;
-realizar parcerias entre setor público e privado;
-disseminar e compartilhar experiências, informações e tecnologias;
-debater a regionalização do turismo;
-demonstrar a relevância dos produtos associados para o mercado turístico;
-gerar novas demandas para a ampliação da oferta turística;
-renovar, fortalecer e ampliar os canais de distribuição dos produtos turísticos;
-aumentar as oportunidades para os receptivos locais;
-inserir novos produtos turísticos nos mercados nacional e internacional;
-concretizar negócios.

Representação dos cangaceiros do Nordeste

Representação dos cangaceiros do Nordeste
Foto: Nathalia Zandavalli Lopes

A organização do Salão do Turismo foi realizada nos seguintes módulos:

FEIRA DE PRODUTOS TURÍSTICOS:

Exposição das cinco macrorregiões (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste) com novos roteiros turísticos, distribuídos em 451 produtos, 959 municípios e 134 regiões.

VITRINE BRASIL:

Mostra de artesanato: Loja com produtos típicos dos 27 Estados da Federação, com cerca de 700 peças de cada um, que foram vendidas durnate o evento.

Mercado: Produtos da agricultura familiar, como doces, bebidas, frutas, entre outros, que foram comercializados.

Livraria/Café: Espaço para comercialização e leitura de livros.

Sala de vídeo: Apresentação dos novos Roteiros do Brasil.

Mostra gastronômica: Representação por cada estado brasileiro de pratos típicos regionais que foram comercializados, e que podem ser encontrados nos novos roteiros.

Mostra cultural: Palco para manifestações culturais dos estados.

Oficina de jóias: Artesãos que mostraram e fizeram seu trabalho no local, onde as peças puderam ser compradas.

Cafés de qualidade: Stand da Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), com os melhores cafés do Brasil.

BALCÕES DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS:

Atendimento e informações sobre a cidade de São Paulo e sobre o Salão.

RODADA DE NEGÓCIOS:

Oportunidade de encontro e comercialização. Estiveram presentes 63 operadoras nacionais em contato com 237 receptivos de todo o país. E 40 operadoras internacionais que receberam curso de como vender o Brasil no exterior. Cerca de 400 operadores do interior do estado de São Paulo foram convidados e puderam fazer contatos com os demais representantes. Foi a primeira vez em nível Nacional para o Turismo que o Sebrae Nacional e o Ministério do Turismo trabalharam juntos. A expectativa da Rodada de negócios para o próximo Salão em 2006 é gerar mais oportunidades, mais dias de negociação e novas ferramentas de comercialização dos produtos turísticos nacionais.

NÚCLEO DE CONHECIMENTO:

Ambiente para debates, reflexões, intercâmbios, troca de experiências e integração sobre diversos temas que compõem a regionalização do turismo. Ocorreram palestras nacionais e internacionais, oficinas, apresentação de trabalhos, projetos e experiências que contribuíram para compor e divulgar o conhecimento em turismo.

CENTRAL DE ATENDIMENTO AOS ESTUDANTES E CENTRAL DE ATENDIMENTO A PREFEITOS E MUNICÍPIOS:

Atendimento especializado, sob a coordenação da ABBTur (Associação Brasileira de Bacharéis em Turismo).

STAND DO GOVERNO FEDERAL:

Espaço para ministérios e estatais apresentarem suas propostas e programas que tenham interface com o turismo.

OUTROS SERVIÇOS:

Casa dos profissionais do Turismo; Casa dos Operadores e Agentes de Viagem; Casa dos Meios de Hospedagem; Casa dos Transportes Aéreos e Terrestres; Casa dos Eventos; ambulatório; exposição do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Casa da Comunicação e Mídia; stand dos Ministérios; loja dos Correios; Caixa Econômica Federal; balcão do Sebrae; balcão das companhias aéreas; estande do Sesc; cachaçaria; centro de imprensa e auditório de palestras.

O Presidente da República, Luíz Inácio Lula da Silva, visitou o Salão do Turismo e pôde presenciar diversas manifestações culturais. Segundo o Presidente, a previsão para 2005 é que 45 milhões de turistas visitem o País, significando 20% a mais do que o ano passado. Para 2007, é meta é atrair 65 milhões de turistas. “Estamos empenhados em transformar o turismo numa grande fonte de riqueza do Brasil, porque nada gera mais emprego do que o turismo. Temos tudo para ser um dos países mais extraordinário do mundo. Temos mais diversidade cultural, mais sol, praias, rios e um povo gentil e admirado no mundo inteiro”, afirma Lula.

Já o Ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, revela que “Prova disto, é a entrada de divisas, que através do turismo, deve ultrapassar os 4 bilhões de dólares por ano”.

“Por mais que pensemos grande, o Brasil é ainda maior. Hoje podemos nos orgulhar de cumprir a primeira meta do Plano Nacional de Turismo do Governo Federal, que é criar condições para gerar 1,2 milhões de novos empregos. E isto é fruto da união entre Governo, Estados e Municípios”, destacou Marcelo Sáfadi, Presidente do Fórum Nacional das Secretarias de Turismo.

O Programa de Regionalização do Turismo-Roteiros do Brasil conseguiu identificar e organizar novos roteiros de viagem pelo país, com o objetivo de ter três produtos de qualidade em cada Estado. Portanto, o Salão do Turismo, serviu como a maior vitrine do turismo brasileiro, mostrando todo o potencial que o País possui, e posicionando-o como um dos grandes destinos mundiais de turismo.

Números do Salão
FONTE: EMBRATUR

- 108.000 pessoas estiveram no Salão, sendo 17.000 profissionais de turismo e 9.200 expositores.

- R$ 16.000.000 foram gastos com hospedagem em São Paulo por pessoas envolvidas no evento. Em média as pessoas ficaram 4,74 dias na cidade.

- O total de investimentos no Salão foi de R$ 24.800.000:
- o Ministério do Turismo e parceiros aplicaram R$ 15.000.000;
- os municípios R$ 6.000.000;
- os estados R$ 3.800.000.

- Todas as 24.000 peças da loja de artesanato foram vendidas. Aproximadamente 270 associações de artesãos foram mobilizadas.

- Mais de 60.000 pratos foram vendidos na Mostra Gastronômica. Por hora, pelo menos 1.500 pessoas comeram na Mostra apenas no dia 4 de junho.

- Pratos mais vendidos:
- 1.700 de carne de sol com farofa do Rio Grande do Norte;
- 900 de rubacão da Paraíba, apenas no dia 4 de junho.
- Dentre os pratos doces, o bolo de rolo de Pernambuco foi o mais procurado.

- A Mostra Cultural teve 78 apresentações, com todas as Unidades da Federação representadas - 20 minutos para cada apresentação.

- 5.200 profissionais trabalharam na montagem do Salão.

- Aproximadamente 5.000 pessoas participaram de debates e palestras no Núcleo do Conhecimento.

Estes são alguns dos resultados da pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) durante o Salão do Turismo. As perguntas estavam direcionadas a dois públicos distintos: os visitantes do evento; e os participantes da Rodada de Negócios, espaço para
encontro entre os agentes de comercialização dos produtos turísticos brasileiros:

Pesquisa

- O Salão do Turismo - Roteiros do Brasil atendeu totalmente as expectativas de 71% do público visitante. Para 25% dos entrevistados a satisfação foi parcial, outros 2,8% não ficaram satisfeitos e 0,7% estavam em dúvida.

- Pelo menos 82,6% do público conheceu novos roteiros no Salão do Turismo e apenas 16,7% disse que não viu novidades.

- A participação na próxima edição do Salão do Turismo está nos planos de 95,9% dos entrevistados. Apenas 1,5% disse que não voltará no próximo Salão e 2,2% não sabem se voltarão.

- A maior parte do público do Salão era formado por mulheres (61,1%). Os homens eram 38,2% dos visitantes.

- A faixa etária do público estava dividida em:
- 16 a 17 (5,8%);
- 18 a 24 (33,6%);
- 25 a 34 (21,1%);
- 35 a 44 (18,2%);
- 45 a 59 (15,8%);
- 60 anos ou mais (5,5%).

- O público que foi ao Salão do Turismo - Roteiros do Brasil tem outra característica muito importante. Pelo menos 79,5% dos entrevistados afirmaram que, nos últimos 12 meses, realizou viagens a lazer pelo Brasil. Apenas 20,5% não viajaram pelo país.

- Os visitantes estavam em busca de novidades para programar viagens. Isso porque 56,6% dos entrevistados afirmaram que foram ao evento por motivos de lazer/turismo - para conhecer os destinos.

- A preferência do público quanto à escolha de um roteiro turístico continua envolvendo o segmento Sol e Praia, 36,6%. Isso é natural num país com extensão litorânea tão ampla como o Brasil. Mas o que chama a atenção é que, em pesquisas anteriores, esse dado nunca foi
inferior a 50%. Em segundo lugar na preferência está o Ecoturismo, Aventura e Esporte, 25,5% e em terceiro o Turismo Cultural, 24,5%.

- A pesquisa revela ainda que a principal fonte de informação na hora de escolher um destino de viagem deixou de ser parentes e amigos (52,4%) e passou a ser a Internet (59,8%). Em terceiro lugar estão os artigos em jornais e revistas, com 35,8%; e em quarto as agências de viagem/turismo, com 30,8%.

Compradores e vendedores

Com relação à Rodada de Negócios, um dos módulos de atividades do Salão do Turismo - Roteiros do Brasil, 51,7% dos participantes afirmaram que a expectativa foi parcialmente atendida. Outros 33,9% se disseram totalmente satisfeitos. Apenas 13% declararam que a
expectativa não foi atendida e 0,8% não opinaram.

- Os participantes da Rodada de Negócios estavam divididos em:
- 53,4% de agências de receptivo (vendedores);
- 46,6% de operadores (compradores).

- A Rodada de Negócios foi considerada uma ótima oportunidade para se conhecer novos roteiros a serem comercializados, tanto que 75% dos participantes concordam muito com essa afirmativa, enquanto
21,4% concordam um pouco e 3,6% discordam um pouco.

- Todos os entrevistados (100%) afirmaram que tem interesse de participar de outras Rodadas de Negócios.

- Pelo menos 63,6% dos participantes afirmaram que concordaram muito com a afirmação de que a Rodada de Negócios foi uma chance de realização de contatos que poderão se transformar em negócios no futuro, enquanto 30,5% concordaram um pouco. Apenas 2,5% discordam
um pouco.

- A empresa atendida estava preparada quanto a capacidade de negociação: 32,7% concordaram muito com essa afirmação; 41,8% concordam um pouco e 5,5% discordam muito.

- Os compradores concordam um pouco (56,4%) que a qualidade do produto apresentado está de acordo com o mercado e 42,3% também concordam que o preço apresentado estava de acordo com o mercado.

- Rodada de Negócios: 348 agentes receptivos e 111 operadores estavam em São Paulo para comercialização dos 451 produtos turísticos. Foram realizados mais de 2.000 agendamentos entre compradores e vendedores.

- A Rodada trabalha com expectativa otimista/pessimista. O vendedor/agente receptivo apresenta expectativa otimista e o comprador/operador tem expectativa pessimista. Os resultados dos negócios foram: compradores, com investimento de R$ 124.100, tiveram
expectativa de negócios de R$ 22.500.000; os vendedores investiram R$ 484.100 e tiveram expectativa de negócios de R$ 52.200.000.

- O montante, em reais, estimado nas negociações para os próximos 2 anos é de:
- até R$ 50.000: 25,6%;
- de R$ 50.000 a R$ 200.000: 25,6%;
- de R$ 200.000 a R$ 500.000: 32,6%;
- de R$ 500.000 a R$ 1.000.000: 8,1%;
- acima de R$ 1.000.000: 8,1%.

Próximos Artigos:

-Programa de Regionalização do Turismo - Roteiros do Brasil: As Regiões Turísticas

-Política Nacional do Turismo e Programas de Desenvolvimento do Turismo

-O Turismo Brasileiro e seus resultados

  
  

Publicado por em