Viaje quase de graça com Milhas Aéreas

Artigos > Turismo > 

Parques Estaduais , usufruir sem destruir !

O ecoturismo representa a viagem responsável, visa maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos sobre o meio ambiente.

18 de Abril de 2008.
Publicado por Vininha F. Carvalho  

Natureza Preservada

Natureza Preservada
Foto: Vininha Carvalho

Os Parques Estaduais são áreas geográficas delimitadas, com espécimes da fauna e flora,constituindo-se bens do Estado e destinados ao uso da população.

Torna-se possível nestes locais estabelecer um elo entre o Ecoturismo e a Educação Ambiental, pois estas palavras tem quase a mesma essência.

O ecoturismo representa a viagem responsável, visa maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos sobre o meio ambiente.Gera atrativos culturais aos visitantes, conservação dos ecossistemas locais, valorização das culturas tradicionais e novos empregos.

A educação ambiental é um conjunto de práticas e conceitos voltados para a busca da qualidade de vida, com o objetivo de criar diretrizes para auto-sustentabilidade da região.

A matéria prima do ecoturismo é o patrimônio natural, que deverá ser sempre protegido e conservado. Fundamental é saber usufruir, sem destruir.Este processo apresenta muitos desafios e dificuldades; requer muito envolvimento e comprometimento com a cultura.

Os parques desempenham um papel educacional e interpretativo, onde a principal motivação do visitante é a observação e a apreciação da natureza.

O reconhecimento da importância dos valores da comunidade e a preparação adequada propiciam o desenvolvimento do Ecoturismo legítimo.

Os amantes da natureza encontram em Ubatuba, litoral norte paulista, o Núcleo de Picinguaba, responsável pela preservação da área do Parque Estadual da Serra do Mar.

Dotado de grandes atributos naturais é destinado a preservação dos ecossistemas, da diversidade genética e da pesquisa científica. A floresta em Picinguaba chega até os costões rochosos e se espalha pela planície em sete praias.

A trilha do Picadão da Barra percorre o antigo caminho entre a vila dos pescadores e o sertão.Outras trilhas são a do Jatobá, Poço da Rasa ou da Casa da Farinha, que abriga ruínas de um antigo engenho,com peças e construção de valor histórico.

Além da paisagem, o Núcleo Picinguaba permite um contato com a cultura caiçara,na tradicional colônia de pescadores,que fica em frente a um remanso de águas verdes e calmas.

Por trinta anos, a Ilha de Anchieta ficou abandonada.Em 1977, foi criado o Parque Estadual da Ilha de Anchieta, transformando-se num dos pontos turísticos mais visitados em Ubatuba.

Possui lindas praias e uma grande diversidade de peixes,propiciando ao mergulhador se deparar com paredões verticais submersos que apresentam um perfeito cenário da fauna e flora marinha.

O projeto Tamar, um interessante trabalho realizado sobre as tartarugas é outra atração da Ilha. Estudam sua reprodução, comportamento,alimentação e habitat. Após serem analisadas e cadastradas, recebem um grampo inoxidável fixado em uma das nadadeiras,que contém um número de registro e o endereço do Tamar.

A partir daí,as tartarugas voltam ao mar. Existe aqui uma preocupação de preservar as riquezas naturais e o importante patrimônio histórico e cultural, representado pelas ruínas do presídio.

Água pura da floresta, que brota da terra e vai buscando seu caminho por entre as pedras.Descendo a serra em busca do mar,as águas formam corredeiras e se lançam pelos vales em cachoeiras,dando origem as piscinas naturais.

Todo este espetáculo da natureza pode ser apreciado no Núcleo Santa Virgínia,localizado em São Luis do Paraitinga (SP), sendo uma unidade de conservação do Parque Estadual da Serra do Mar.

As dezessete cachoeiras se espalham pelos rios Ipiranga, Rio Grande, Paraibuna e seus afluentes. Esses rios, além de propiciarem um enorme atrativo para o lazer e esportes dos visitantes, representa uma fonte de água pura para milhares de pessoas que vivem no Vale do Paraíba do Sul e abastece também mais de 80% da população do Rio de Janeiro.

A Trilha do Pirapitininga,cujo nome é uma referência a uma espécie endêmica de peixe, nos seus 5,6 quilometros (ida e volta), com duas corredeiras e duas cachoeiras, permite ao visitante contemplar diversas espécies de árvores, cedros, canelas,palmitos e animais nativos da floresta.

Na Trilha do Poço do Pito, de fácil percursso e com 8 quilometros, oferece como opções uma caminhada pelas margens do Rio Paraibuna ou pequenas incursões pela mata em busca das cachoeiras.

Após 3 quilometros do início da trilha,atravessando matas em regeneração, deparamos com um dos maiores atrativos do Núcleo, a cachoeira do Salto Grande, com sua piscina de água natural e lajes de pedra.Muita emoção e aventura para os praticantes do rafting.

Ilhabela é um convite para observarmos atentamente a natureza. Praias exuberantes, milhares de córregos e riachos que se lançam pelas encostas,em mais de 250 cachoeiras,dos mais variados tamanhos.Ilhas, grandes e pequenas, ilhotas, lajes que abrigam uma rica e diversificada fauna e flora.

O Parque Estadual de Ilhabela, criado em 1977,mantém praticamente intocada ,uma das maiores reservas dos 3% da Mata Atlântica,que restam no Estado de São Paulo.

Possui cerca de treze trilhas, abertas na mata, cercadas por árvores centenárias,espécies raras de bromélias e orquídeas e muitos animais silvestres.A área serve de refúgio para aves migratórias e para algumas espécies endêmicas, como o cururuá, um roedor de rabo peludo.

O Parque engloba 85% de Ilhabela, a Ilha de São Sebastião, sede do município,as ilhas dos Búzios e da Vitória, entre outras formações que compõe o arquipélago e que integram a rede de unidades de conservação administradas pela Secretaria do Meio Ambiente, através do Instituto Florestal.

Para melhor aproveitamento dos pesquisadores e visitantes, existe um investimento constante na manutenção e implantação de novas atividades científicas, culturais, educativas e recreativas.

Em 1974 foi criada a Reserva Florestal de Cunha, um dos maiores municípios paulista em extensão.De antiga produtora de madeira, esta área se transformou numa unidade de conservação.

Em 1987 , foi anexada ao Núcleo Cunha,uma nova gleba e deu a unidade o nome atual:Núcleo Cunha / Indaiá do Parque Estadual da Serra do Mar.

Conhecer as belezas e riquezas da Mata Atlântica , é o primeiro passo para que o visitante sinta a importância da criação dos Parques e comece a se despertar para a necessidade da integração harmônica entre o homem e o meio ambiente.

O Núcleo dá suporte a pesquisa que tenham por objetivo o conhecimento do ecossistema na Mata Atlântica, bem como a projetos que visem uma caracterização sócio-econômica das comunidades que habitam o Parque Estadual da Serra do Mar.

A unidade dispõe de três trilhas para visitação: a Trilha do Rio Paraibuna, Trilha do Rio Bonito e Trilha das Cachoeiras. Não é permitido caçar, pescar e retirar ou danificar a vegetação.

Compartilhar nas Redes Sociais

Comentários


 

Veja também

Poços de Caldas, a força que vem da terra !Turismo religioso : a força que vem da fé

 

editar    editar    editar    1.515 visitas    0 comentários