Quatinga

Luxo e contato direto com a exuberante natureza da mata atlântica são um pouco do que o hotel tem para oferecer aos hóspedes. Um novo conceito de hospedagem e ecoturismo. Vista panorâmica do hotel Foto: Cesar Greco Muito se discute atualmente sobr

  
  

Luxo e contato direto com a exuberante natureza da mata atlântica são um pouco do que o hotel tem para oferecer aos hóspedes. Um novo conceito de hospedagem e ecoturismo.

Vista panorâmica do hotel

Vista panorâmica do hotel
Foto: Cesar Greco

Muito se discute atualmente sobre o fenômeno do ecoturismo no Brasil e no mundo por especialistas. As principais questões sobre o assunto referem-se à conservação do meio ambiente, o uso dos recursos naturais de forma sustentável e a valorização das comunidades locais onde se pratica a modalidade de turismo. Considerando essas informações, imagine agora um projeto que busca os princípios do ecoturismo sem deixar de lado o conforto, aliás, muito conforto. Assim é o Quatinga, um hotel cinco estrelas cravado na mata atlântica na região do Vale do Ribeira, em Iguape (SP).

Sauna de frente para a mata

Sauna de frente para a mata
Foto: Cesar Greco

História
O gosto dos proprietários do hotel pelo meio ambiente vem de família, fato bastante curioso na concepção do projeto. O pai dos irmãos Jonny, Henrique e Bárbara, o engenheiro mecânico Enrique Altstadt, veio para o Brasil em 1970 para acompanhar as obras da ponte Rio-Niteroi. Fascinado pela natureza brasileira comprou uma fazenda no Vale do Ribeira. Lá, não se rendeu ao desmatamento das áreas nativas para a criação de gado, comum na época, e começou a montar uma fazenda aproveitando os recursos naturais do local. Com isso criou seus filhos em meio à natureza da região, de onde surgiu o amor da família pela mata atlântica. Por fim veio a falecer sem conseguir desfrutar da fazenda pronta.

Piscina natural, água da natureza

Piscina natural, água da natureza
Foto: Cesar Greco

Motivada pelos ensinamentos do pai sobre o meio ambiente, a família deu continuidade ao projeto e manteve a Fazenda Martha Maria até a sua constituição total, inclusive, mais tarde, com projetos de criação de animais nativos de forma inusitada como o porco monteiro, que possui saborosa carne com baixos níveis de gordura, de forma natural. A partir daí os irmãos compraram o terreno onde funciona o hotel para construir um recanto particular para a família. Durante os 5 anos de construção do hotel, somente nos dois últimos, é que resolveram disponibilizar o espaço para o turismo. “Fomos construindo e percebemos que deveríamos dividir com as pessoas esse paraíso, então montamos uma infra-estrutura para receber hospedes no Quatinga”, disse Henrique Altstadt, um dos sócios do empreendimento.

Requinte no restaurante do Quatinga

Requinte no restaurante do Quatinga
Foto: Cesar Greco

Atrativos naturais
Todo o espaço foi pensado para proporcionar ao hóspede conforto e contato direto com a natureza, já que o hotel está localizado em meio às montanhas pertencentes à mata atlântica do Vale do Ribeira. Todos os recursos naturais do terreno foram brilhantemente aproveitados para construção de uma piscina natural, sauna, lago, mirante e ainda passeios por trilhas selvagens que levam a cachoeiras e belos lugares dentro do mato.

Uma das cachoeiras da região. Trilha parte do hotel

Uma das cachoeiras da região. Trilha parte do hotel
Foto: Cesar Greco

A sauna e a piscina natural são as grandes estrelas do hotel. Construída de frente para mata nativa, disposta como uma grande caixa de vidro, a sauna proporciona sensações indescritíveis aos hóspedes. Tem-se a impressão de que se está flutuando dentro da floresta e, com um pouco de sorte, pode-se observar animais nativos passeando pelo local. Não contente, o hóspede pode sair da sauna e dar um mergulho na piscina natural, que nada mais é do que a água que escorre da montanha represada. Curiosamente os cabelos ficam macios e fáceis de pentear depois de um bom mergulho na piscina. Coisas da natureza.

No lago pode-se fazer um gostoso passeio de caiaque e aproveitar o visual da mata atlântica ao redor. Para quem preferir se divertir com uma boa pescaria basta pedir uma vara e esperar um dos pacus (espécie de peixe) que nadam no lago abocanhar a isca, com a diferença de que os peixes serão poupados de serem machucados pelo anzol. É que o cuidado com os animais e com o meio ambiente por parte dos proprietários do hotel é tamanho que, até nesse detalhe, tomaram o cuidado de dispor varas com anzóis ecológicos, que não machucam os peixes quando fisgados e, se acaso a linha arrebentar, o anzol é biodegradável e derreterá em pouco tempo sem matar o animal.

As trilhas que partem do hotel são bastante selvagens e foram aproveitadas dos palmiteiros que atuavam nos 350 hectares de mata atlântica da propriedade. São de extrema beleza e de contato íntimo com a floresta. Levam a cachoeiras e picos de onde se pode ver a Ilha Comprida e a histórica cidade de Iguape. Ao todo são 15 quilômetros de trilhas. Há também um campo de golfe em construção.

Social
O hotel conta com os serviços de dezoito funcionários, dos quais, quinze são da comunidade local. Entre eles estão pessoas que viviam da pesca e da exploração dos recursos naturais da mata nativa. Os empresários investiram em capacitação de todos os seus funcionários, inclusive firmaram parceria com a ONG Fundação SOS Mata Atlântica para ministrar cursos de monitoria para os guias que acompanham os hóspedes nas trilhas. Além disso, escolas públicas e especiais da região, como a APAE de Iguape, são convidadas gratuitamente para conhecer o hotel e as belezas naturais com intuito de promover conscientização ambiental às crianças.

Comida
O cardápio do hotel é um verdadeiro deleite de sabores, principalmente porque é quase todo feito com ingredientes caseiros vindos da fazenda Martha Maria de propriedade dos empresários do Quatinga. Há um chef suíço especialista em confeitaria que faz verdadeiras delícias para o café da manhã. Para o almoço e jantar pode-se pedir pratos maravilhosos com sabores extremamente equilibrados e de muito bom gosto a base de peixes, frutos do mar e carnes silvestres que compõem as iguarias do bar e restaurante. A cozinha do hotel conta com cozinheiros vindos de restaurantes de renome como o especialista em comida espanhola Don Curro, da capital paulista.

Quem já foi
O casal Marcos e Débora Anfimof, de 28 e 36 anos respectivamente foi ao Quatinga e disseram o seguinte: “Um sonho, temos natureza e conforto em um lugar só. A gente viu até a árvore de palmito, que pensávamos que nascia na latinha”, brincaram. Outra questão que comentaram é o isolamento que o local proporciona a correria do dia-a-dia das grandes cidades. É preciso esquecer do aparelho de celular, mesmo porque, lá não chega sinal e os proprietários não pretendem investir em uma antena. “Pena que aqui tem televisão, não precisava”, finaliza o casal.

Serviço
O Quatinga fica a cerca de 160 quilômetros de São Paulo seguindo pela BR 116 até a entrada que vai para Iguape na rodovia Professor Casemiro Teixeira (Biguá), entrando à esquerda no quilômetro 45,9 e seguindo na estrada Barra do Ribeira até o quilômetro 6,4. Reservas podem ser feitas no (0xx13) 3848-1337 em Iguape ou (0xx11) 283-5126 na Aventura no Mundo, em São Paulo. Mais informações podem ser obtidas no site do hotel www.quatinga.com.br

  
  

Publicado por em

André Guilherme Gevegir

André Guilherme Gevegir

24/07/2009 18:25:00
Olá Jonny! Fui pioneiro nas trilhas de sua Fazenda. Trabalhei com Paulo Bezerra no início de seu projeto, me chamo André Guilherme Gevegir, na época estudante da UFRRJ (ZOOTECNIA) meu tel de contato é 21-75451681, gostaria muito de revê-lo novamente, as lembranças da época em q trabalhei aí fazem parte da minha vida e tenho muitas saudades. Gostaria muito de ver como ficou tudo o que sonhamos um dia. Abraço! e aguardo retorno meu e-mail é: andregevegir@yahoo.com.br.