Animais não votam....nem se decepcionam!

O novo milênio, trouxe uma possibilidade muito grande, de termos os animais inseridos, de uma forma plena, dentro da nossa sociedade. A eleição para a escolha do novo prefeito do Rio de Janeiro trouxe uma inovação por parte do candidato César Maia que

  
  

O novo milênio, trouxe uma possibilidade muito grande, de termos os animais inseridos, de uma forma plena, dentro da nossa sociedade.

A eleição para a escolha do novo prefeito do Rio de Janeiro trouxe uma inovação por parte do candidato César Maia que no “santinho”de campanha prometia:

  • Abrigo digno para todos os animais desamparados.
  • Apoio aos protetores dos animais.
  • Esterilização gratuita
  • Assistência veterinária gratuita
  • Assistência jurídica gratuita
  • Ressocialização de deficientes através dos animais
  • Treinamento de animais para serem acompanhantes de doentes e idosos.
  • Conscientização da importância do animal para a evolução psíquica do homem.

Encerrando com: `É isso ai,bicho!`

Os protetores dos animais se uniram, para que a vitória deste candidato fosse um marco decisivo, para que os animais finalmente, se tornassem seres dignos e respeitados.Foram momentos de grande euforia.Parecia que através do voto encontrariam o caminho para que o sofrimento dos animais nas ruas fosse extinto e, que a cidade passaria a ser uma referência nacional, desenvolvendo um trabalho inédito voltado para a conscientização e preservação da vida.

Com a criação de uma `Secretaria Especial para a Defesa dos Animais`, surgiram as primeiras dúvidas e um impacto muito grande na mídia , com a nomeação de um cão da raça pastor alemão para assessor.A causa animal começava a ser questionada e os propósitos passavam a ser ridicularizados.

As letras do nome do cão , Doca, expressava por coincidência o que ele representava naquele momento , `Destruição do Objetivo da Causa Animal`.

O lançamento do projeto de um Santuário que seria construído com o apoio da Universidade Estácio de Sá para abrigar todos os animais abandonados da cidade e com uma infra –estrutura majestosa ,demonstrava que a utopia sobressaia em detrimento do bom senso.

Passado mais de um ano , a realidade é muito diferente da que foi prometida.Os animais continuam perlambulando pelas ruas e vítimas da própria sorte.

Constata-se então, que a dedicação aos animais é algo que nasce de maneira espontânea e desinteressada, um trabalho cuja “ferramenta” principal é o amor .

Os animais continuam sendo maltratados e desrespeitados em seus direitos adquiridos através das leis.Embora,continuem sendo superiores a nós.Como não possuem a capacidade de se iludir, não se decepcionam!

Os eleitos para os representarem não foram escolhidos por eles.Animais não votam!Os seus representantes, somos todos nós que lutamos voluntariamente, para lhes garantir uma vida digna e muito feliz.O dono responsável é seu melhor candidato , tendo garantido um cargo vitalício no governo de sua vida.

“Os homens as vezes tropeçam na verdade, mas na maioria das vezes se levantam e saem apressadamente como se nada tivesse acontecido”(Winston Churchill)

  
  

Publicado por em